Crítica | The Big Bang Theory – 12X19: The Conference Valuation

Contém spoilers.

The Conference Valuation consegue, embora não seja dos melhores exemplares dessa temporada, duas coisas importantes: dar algum sentido, mesmo que um pouco vago, ao núcleo farmacêutico da temporada e, ao mesmo tempo, trabalhar uma vertente inédita no personagem interpretado por Jim Parsons. Pode soar um pouco abrupto, e até que é essa questão da paternidade, mas a narrativa em questão a Sheldon, que envolve o personagem e seus amigos indo à casa de Howard (Simon Helberg) para jogar cartas e cuidar dos seus filhos, é coerente. Engaja-se os espectadores num enredo que quer, estruturalmente, complementar tais histórias propostas umas com as outras.

Por exemplo, se Penny (Kaley Cuoco) e Bernadette (Melissa Rauch) não tivessem viajado por conta do evento farmacêutico – o que cria um impasse entre as duas mais funcional que realmente inventivo -, Howard não precisaria cuidar dos seus próprios filhos. Isso mostra mais inteligência, ao invés de um descomprometimento que, comumente, The Big Bang Theory mostra com seus arcos paralelos, usualmente avulsos entre si. Howard termina sendo deixado um pouco de lado em termos dramáticos, porém, Jim ganha o espaço, que se complementa com a presença de Amy (Mayim Bialik) e a de Leonard (Johnny Galecki). Já Leonard recebe um tratamento particular que é fraquíssimo, quebrando o ritmo da comédia, ao invés de acrescentá-la. Mas Mayim está excelente.

Nos termos desse núcleo, o roteiro mistura uma ordem mais manipulativa de Amy em seu marido – apresentada como uma espécie de plot twist -, querendo que ele se interesse mais por bebês, assim como expõe de modo extremamente natural os anseios de Sheldon. Ambas as noções são unidas com organicidade. O texto auxilia-se também por um humor condizente com o enredo e que evita tornar sentimentalista as intenções dos seus realizadores. Por outro lado, tudo o que acontece entre Penny e Bernadette é muito menos instigante, apesar de ainda contar com certa graça. As personagens são movidas por impulsos artificias. Pois chegando ao fim, mesmo que cansada, a série consegue ter energia suficiente para gerar novas premissas e até crianças talvez.

The Big Bang Theory – 12X17: The Conference Valuation – EUA, 7 de março de 2019
Criação: Chuck Lorre e Bill Prady
Direção: Mark Cendrowski
Roteiro: Chuck Lorre, Steven Molaro, Eric Kaplan
Elenco: Johnny Galecki, Jim Parsons, Kaley Cuoco, Simon Helberg, Kunal Nayyar, Mayim Bialik, Melissa Rauch
Duração: 20 min.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.