Home TVEpisódio Crítica | The Flash – 1X12: Crazy For You

Crítica | The Flash – 1X12: Crazy For You

por Melissa Andrade
99 views (a partir de agosto de 2020)

Preparem os lenços de papel e coloquem as cebolas de lado, porquê dessa vez, os ninjas pegaram pesado.

O episódio começa com o Flash salvando o dia mais uma vez e depois, seguindo com a sua vida. Longe dali, no presídio de Iron Heights, há um carro parado com uma moça que observa através de uma luneta a prisão. Num piscar de olhos ela está lá dentro e enquanto foge dos guardas, se teleportando a todo instante, busca por uma cela em específico. Ela finalmente a encontra e tira o preso de lá de dentro. Os dois se beijam e seguem no carro.

Ao chegar na prisão junto com Joe para investigar a fuga, Barry encontra algumas partículas que formam uma trilha que vai até o exterior da prisão e que certamente, foi deixada pela garota. Enquanto vasculha a cela, Barry dá de cara com seu pai na porta que informa que os detentos não vão contar nada sobre a fuga para eles e promete tentar conseguir informações. O encontro dos dois é bem emocionante e tudo arquitetado por Joe.

No dia seguinte, a garota e o namorado conversam a respeito dos seus poderes que ela não sabe de onde vieram. No STAR Lab, Caitlin faz a varredura no DNA encontrado por Barry na cena do crime e descobre a identidade da menina, Shawna Baez e consequentemente do seu namorado. Cisco continua tentando arrancar de Hartley as informações que ele tem sobre o Ronnie, mas o vilãozinho se mostra irredutível e faz algumas exigências, para a tristeza de Cisco que quer ajudar sua amiga e também, aliviar um pouco a culpa que sente por ser responsável em ter trancado o Ronnie dentro do acelerador de partículas. Joe e Barry são chamados as pressas para a prisão, pois seu pai está na enfermaria. Henry andou se intrometendo demais e alguns presos não gostaram. Os dois tem um momento bastante emocionante e é hora de pegar aquela caixa de lenços, lembra? Flash aparece para consertar a situação e parte atrás da meta-humana da vez. Porém, mesmo com sua supervelocidade, ele não consegue determinar aonde ela vai estar e ao saber disso, Cailtin acaba apelidando-a de Peek a Boo (algo tipo esconde-esconde). O Flash agora precisa descobrir como vai fazer para capturar a meta-humana e também seu namorado que trabalha para mafiosos de Central City.

Deixa enxugar as lágrimas aqui.

Considero a ligação entre Henry e Barry extremamente emocionante. E isso vem muito da excelência da atuação de ambos e a emoção que acaba transparecendo para nós espectadores. Foi uma ótima ideia, mesmo dentro dos muros da prisão, unir os dois que a muito ansiavam por isso. Por outro lado, dessa vez mais cômico, foi a reação da Iris ao ver e sentir pela primeira vez que ela pode não ser a única mulher na vida do Barry. Espero apenas que nada mude entre os dois e sei que estou sendo repetitiva, mas, bem diferente do pai e filho, aqui, não há qualquer química entre os atores e uma relação amorosa apenas ficaria muito forçado, estragando um seriado que está caminhando tão bem.

E mais uma página no mistério do Ronnie foi revelado graças ao Hartley e assim, descobrimos que ele acabou se fundindo com o professor Stein. Algo que também havia comentado aqui, mas que deve ser melhor explicado no próximo episódio que será inteiramente focado no personagem do Nuclear.

A cena no karaokê foi simplesmente sensacional com o Barry e a Caitlin estreitando os laços de amizade. Contudo, a cena final, após o logo da série, pode ser considerada a cereja do bolo. Vocês não queriam ver o Gorila Grodd? Apareceu bem mais do que isso e parabéns, ficou muito bem feita a cena toda e, como não poderia deixar de ser, Grodd está em CG e não vi mal algum nisso. Ok, que ele apareceu bem pouco, ainda assim, melhor que nada. O clima de suspense encerrou bem o episódio.

The Flash 1X12: Crazy For You (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: Rob Hard
Roteiro: Greg Berlanti, Andrew Kreisberg
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Victor Garber, Malese Jow, Andy Mientus, Britne Oldford, Micah Parker, John Wesley Shipp, Fraser Aitcheson, Douglas Chapman
Duração: 45 min.

Você Também pode curtir

13 comentários

Gustavo Henrique Milani Martin 14 de fevereiro de 2015 - 11:22

Boa crítica, mas eu achei este episódio superior ao anterior, que ganhou 5 estrelas. As cenas de Barry com o pai e a final do Grood foram espetaculares. Só não gostei da mistureba de ter aparecido Linda Park (esposa de Wally West, terceiro Flash) para um gancho romântico com Barry. Mas isso é só chatice de nerd mesmo, a série está excelente!

Responder
Melissa Andrade 18 de fevereiro de 2015 - 21:20

Obrigada @gustavohenriquemilanimartin:disqus pelo elogio. O outro episódio ganhou 1 estrela a mais porque o plot em torno do Wells foi mais forte do que nesse episódio, no sentido de história. E eles (criadores) já haviam dito que iriam misturar os dois personagens em 1 só, algo que não acho tão ruim assim.

Responder
Gustavo Henrique Milani Martin 19 de fevereiro de 2015 - 13:46

Eu particularmente não gosto da “mistura”, mas estou começando a mudar de idéia depois de assistir “The Nuclear Man”. Linda Park tem carisma e presença, e “casou” direitinho com o Barry. Espero que continuem juntos por um bom tempo. E o episódio 13 foi um dos que mais gostei até agora.

Responder
Melissa Andrade 20 de fevereiro de 2015 - 20:33

@gustavohenriquemilanimartin:disqus também gostei bastante dela e espero que fique por muito mais tempo e se você curtiu o episódio 13, espera só para ver o 14!

Responder
Cristiano de Andrade 13 de fevereiro de 2015 - 13:18

Impossivel não se emocionar nas duas cenas do Barry com o pai dele. Os atores colocaram muito sentimento nas cenas, ficou incrivel.
Achei muito bacana tambem o “encontro” do Barry com a Caitlin, posso estar até forçando,mas acho que futuramente possa rolar um sentimento entre eles ( da parte da Caitlin, principalmente), seria interessante para a série.Eu torço por isso.
Melissa, posso te perguntar uma coisa: por que você não faz as criticas das temporadas do Arrow? aparentemente vocÊ gosta mais da série que seus outros amigos criticos que massacram a série do arquiero sem dó. queria saber se a sua opinião é a mesma que a dos seus companheiros em relação a série, se você concorda com todos os defetiso apontados por eles.

Responder
Melissa Andrade 18 de fevereiro de 2015 - 21:01

Oi @cristianodeandrade:disqus, desculpa demorar em responder.
Não sei se torço pela Caitlin e Barry, apesar de ter visto o mesmo olhar que ela lançou para ele. Agora com a volta do Ronnie, acho que eles podem pegar de onde pararam.

Quanto a sua pergunta, as séries são divididas irmãmente entre os colaboradores aqui do site e se uma pessoa começou, tem que ir até o final. Bem provável que você não veja outra pessoa escrevendo sobre Flash por aqui, por exemplo. E não concordo que Arrow seja tão ruim, mas sim, tem alguns defeitos que também enxergo, mas não é nada que me incomode tanto quanto o meu colega que escreve.

Responder
Cristiano de Andrade 19 de fevereiro de 2015 - 06:43

Sem problemas Melissa.
Então eu vejo cada a Caitlin se conformar com a “perda” do Ronnie a cada episódio e isso abre espaço para esse affair com o Barry,seria interessante se fosse bem executado,imagina o desespero da Íris? Hahaha

Sobre o lance do massacre ao Arrow é como expliquei acima: concordo bastante com a crítica feito por seu amigo,queria entender se vc tem os mesmos pontos de vista dele,as suas notas para as temporadas seriam as mesmas?

E,a sua nota para o filme 50 tons de cinza é a mesma do seu amigo que fez a crítica? ( eu sempre quis saber a opinião de uma mulher,afinal o público alvo do filme são elas)

Responder
Melissa Andrade 20 de fevereiro de 2015 - 20:37

@cristianodeandrade:disqus ainda não assisti ao 50 Tons e honestamente? Não tenho a menor vontade. Não pelo conteúdo do filme em si, mas pela hype toda em torno dele que é algo que naturalmente me repele.

E te garanto que Ritter e eu não temos os mesmo pontos de vista porque eu defendo bastante a série enquanto ele diz sofrer por ter que assisti-la inteira xD

Responder
planocritico 20 de fevereiro de 2015 - 22:01

Realmente sofro. Arrow era uma série que tinha todo o potencial, mas aí, de repente, virou bagunça. Todo mundo morre e ressuscita, tem 300 vilões, todo mundo sabe que ele é o arqueiro, ele simplesmente pega todas as mulheres ao redor dele (menos a mãe e a irmã – por enquanto) e todo mundo ou vira vilão ou super-herói. Muito maniqueísta, óbvio e clichezaço.

Pronto, falei! 🙂

Abs,
Ritter.

Melissa Andrade 20 de fevereiro de 2015 - 22:10

Viva Stephen Amell!!!

planocritico 19 de fevereiro de 2015 - 01:49

Olá, @cristianodeandrade:disqus. Eu sou o crítico que “massacrou” a 2ª temporada de Arrow (a 1ª eu até elogiei, não foi?). Veja, entendo seu ponto de querer ver uma série que você gosta ser elogiada por um site que você gosta (espero!). No entanto, encare pelo lado bom: é sempre interessante se deparar com uma visão diferente, não? Isso gera discussões sadias e que normalmente levam à abertura de horizontes. Já cansei de criticar negativamente determinado filme ou série, ter um debate interessante com leitor que pensa o contrário e conseguir ver o outro lado (e vice-versa, pois já consegui fazer leitor ver que há problemas naquilo que ele/ela achava ser perfeito ou quase).

Se você estiver disposto, convido-o a debater comigo lá nas críticas de Arrow.

Abs, Ritter.

Responder
Cristiano de Andrade 19 de fevereiro de 2015 - 06:17

Cara,Na verdade eu concordo com muita coisa que vc diz nas suas críticas kkkk
Eu sempre defendi que flash é muito superior a Arrow.seja no quesito roteiro,atuação e etc. Questionei sobre o massacre ao arrow pois a melissa parece gostar da série mais do que os outros,ela parece ter assistido por gosto,não por obrigação entende? Quando vcs vão escolher quem vai fazer a crítica, rola essa de ser uma pessoa que nunca tinha assistido antes,para ela analisar com a razão,não com o coração?

Responder
planocritico 20 de fevereiro de 2015 - 22:03

Eu não vejo The Flash (ainda) e não posso fazer a comparação. Tenho só receio de eu me decepcionar novamente…

Sobre quem faz o que, é uma questão de vontade e afinidade. Quem quer, levanta o dedo e nós anotamos aqui. Se quem estiver escrevendo desistir, outro pega. Como eu não desisto fácil, vou embarcar na 3ª temporada de Arrow e, a julgar pelo tenebroso 1º episódio, a temporada conseguirá ser pior que a segunda… 🙂

Abs,
Ritter.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais