Home TVEpisódio Crítica | The Flash 1X16: Rogue Time

Crítica | The Flash 1X16: Rogue Time

por Melissa Andrade
131 views (a partir de agosto de 2020)

estrelas 3,5E se tivemos no episódio passado emoção que não demos conta, nesse que segue, foi bem morno e serviu apenas para apresentar novos personagens e responder algumas questões, mas, não da maneira que gostaríamos.

Flash voltou exatamente para o ponto em que estava se encaminhando para o necrotério e então percebe que já havia estado ali e que tudo estava se repetindo, tipo o dia da marmota. Com isso relembra de todos os fatos que aconteceriam naquele dia devido a aparição de um dos irmãos Mardon e os problemas que o meta-humano causaria Porém, é alertado pelo Dr. Wells a não alterar a linha do tempo, pois acarretaria em outros problemas possivelmente piores. É óbvio que o velocista não segue os conselhos dados por Wells e num impulso invade o esconderijo do Mardon e o leva preso pensando assim que estaria salvando Joe de ser sequestrado, o Capitão de ficar incapacitado e mesmo não sabendo, salvando a vida de Cisco. Porém, os problemas que Mardon traria são entregues pela dupla de sempre Capitão Frio e Onda Térmica, agora acompanhados pela irmã de Snart. Para completar quem é sequestrado é o Cisco juntamente com seu irmão e obrigado a criar novas armas para os vilões. Se apenas isso não bastasse, Capitão Frio tortura o irmão de Cisco fazendo com que o garoto revelasse a verdadeira identidade do Flash que mais uma vez é desprezado por Iris, já que como a declaração dela não aconteceu realmente, o rapaz acaba enfiando os pés pelas mãos e embolando tudo nessa sucessão de eventos que parece não ter mais fim.

Uma pena esse episódio não ter mantido o mesmo nível de tensão do anterior, foi uma verdadeira frustração. No entanto, as explicações e esclarecimentos de alguns pontos foram interessantes, principalmente a questão toda da viagem no tempo e a linha temporal que não deve ser alterada. Wells não escondendo bem sua enorme satisfação ao ver que Barry consegue romper a barreira espaço-tempo, acaba dando conselhos sabendo que o rapaz faria exatamente o contrário, pois tudo o que ele quer é poder evitar que a mãe morra. Ainda assim, Wells lhe diz que alterar a linha do tempo traria consequências muito mais graves, quando na verdade é exatamente isso o que ele quer que aconteça. Desde quando o Wells se preocupa com mortes e ataques? Justo ele que criou o Grodd e o “soltou” em cima do General Eiling? Aham.

No fim, caso essa seja mesmo a decisão final de Barry, vai ser curioso descobrir como os produtores farão isso acontecer na série, provável que fique para a segunda temporada, pois vai alterar toda a linha do tempo, incluindo as relações interpessoais. O exato ponto da minissérie de Flashpoint Paradox, desculpe a repetição.

Os vilões foram mais do mesmo, igual das outras vezes em que apareceram. Creio que é esse o intuito deles, não serem tão difíceis assim ou mesmo muito criativos, tendo em vista que não possuem poderes próprios e gostam mais de atrapalhar a vida dos habitantes da cidade e do próprio Flash, é claro. Aliás, o acordo entre os dois ficou meio dúbio e não sei se algo de perigoso pode sair dali. Difícil saber se Snart irá cumprir a promessa. Inclusive é nesse mesmo momento que o herói fala da Rogue’s Gallery que mencionei em outro episódio e que se refere a uma espécie de gangue que Snart monta com outros vilões para tentar derrotar o Flash e dominar Central City. Dando a entender que outros nomes podem se unir aos planos do Capitão Frio.

E chegamos ao ápice do episódio, que existiu, amém, apesar de ter sido praticamente morno por inteiro. Barry chamando Joe para uma conversa e dizendo que talvez o detetive esteja certo em desconfiar do Harrison Wells. O que é ótimo, mas, me deixou intrigada, pois, quando foi que ele conseguiu, durante esse episódio confuso e sem citar nada diretamente ao Harrison, chegar a essa conclusão? Se for apenas a reportagem da morte do jornalista é muito pouco, sendo que ele não prestou atenção da primeira vez que ouviu a acusação, na verdade, não deu a mínima para o jornalista, então, qual motivo da mudança repentina? Estranho.

Próximo episódio teremos a participação especial de Mark Hamill. Aguardem!

The Flash 1X16: Rogue Time (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: John Behring
Roteiro: Grainne Godfree, Brooke Roberts, Kai Wu
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Malese Jow, Dominic Purcell, Wentworth Miller, Liam McIntyre, Nicholas Gonzales, Peyton List, Patrick Sabongui, Joey Aresco, Peter Hall, Fred Henderson, Charlene Luedke
Duração: 45 min

Você Também pode curtir

13 comentários

Alcides Faria Costa 27 de março de 2015 - 12:22

Um tem um lança-chamas e outro tem uma arma igual só q faz o contrário (ao invés de queimar, gela). Como 2 caras com essas armas conseguiriam dominar uma cidade? Não precisava de super herói para deter esses caras. Qq tira da pesada, máquina mortífera ou até agente 86 dava conta desses caras. Não vou dizer nem do capitão nascimento

Responder
lusali 27 de março de 2015 - 10:06

também achei muito repentina essa mudança de opinião do Barry sobre o Dr. Wells. Só porque ele viu que o jornalista sumiu ele deduziu? Mas não tava ele defendendo o cara antes? É só eu ou mais gente fica aflita achando que alguma hora o Joe vai morrer? rs

Responder
Melissa Andrade 27 de março de 2015 - 12:01

Não, eu também fico aflita @disqus_7IcNeMwxYt:disqus e espero sinceramente que não façam isso, pois é um excelente personagem! Adoro o Joe, o ator é muito bom!

Responder
Cristiano de Andrade 27 de março de 2015 - 02:36

Realmente esse episodio foi estranho.Muito forçada aquele parte do acordo com o Snart e concordo na questão do Barry ter se convencido que o Wells está mentindo, foi muito do nada isso.

E o Barry voltou pra friendzone hahahaha

Responder
Melissa Andrade 27 de março de 2015 - 12:01

Deixa o Barry na friendzone @cristianodeandrade:disqus! Melhor para ele e para nós hahaha

Responder
Rilson Joás 27 de março de 2015 - 01:03

Se alguém que está investigando seu conhecido dúbio é assassinado, o primeiro que você faz é desconfiar. Principalmente com todas as perguntas que já havia feito Joe sobre o H. G. Wells, digo Harisson Wells.

Também achei morno, aliás, ótima crítica, como sempre. Só tô com muito saudade de episódios mais centrados na Caitlyn, que foi bem escanteada ultimamente, mas foi bastante destacada nos episódios com o Firestorm. Cisco recebeu bastante atencao nos últimos episódios, o que achei ótimo pra o desenvolvimento do personagem, falta, claro, um desenvolvimento maior do outro núcleo: Joe, Iris e Eddie. Principalmente a Iris, se eles não conseguirem que a personagem conquiste a audiência (ou a mim) de uma vez por todas, ela pode virar outra Laurel.

Responder
Melissa Andrade 27 de março de 2015 - 12:00

Primeiro, obrigada @disqus_fYzC6RP299:disqus pelo elogio.
Segundo, entendo da desconfiança do Joe que foi algo natural e desde o princípio, mas o Barry sempre admirou bastante o Wells e do nada, num piscar de olhos ele muda de opinião? Sei lá, achei que ficou forçado demais. Ou ao menos deveria ter algo de mais impactante q fizesse com que ele mudasse de opinião.
Teremos outro crossover com Arrow, Nuclear e Flash, então acho que Caitlin terá mais destaque, gosto muito dela e do Cisco e do Joe e não faço questão alguma de ver mais do Eddie e da Iris. Tá ótimo como está.

Responder
Rilson Joás 29 de março de 2015 - 03:05

Você não ficaria desconfiada se o homem que lhe criou levantasse dúvidas sobre uma pessoa, você ao princípio não dá bola, mas você depois vê a notícia de que um repórter que investigava esse alguém foi assassinado?

Responder
Melissa Andrade 30 de março de 2015 - 01:22

Não @disqus_fYzC6RP299:disqus pq o Joe fala isso para ele desde o início e o Barry sempre achou que o pai estivesse com ciúmes do tempo que ele passa no laboratório. Por isso essa mudança repentina é muito estranha.

Responder
Thiago Brandi 27 de março de 2015 - 00:28

Sobre sua dúvida, creio que seja o fato de no episódio anterior Barry ter se encontrado com o jornalista no “café da Iris”, e o jornalista ter falado sobre as suspeitas.

Daí somou as coisas. Um sumiço, mais outro que convinham ao Dr. Wells. Sem contar que em outros episódios o Barry ficou intrigado com algumas atitudes sem escrúpulos do doutor.

Que arma tosca de ouro, hein? hahahaha

Responder
Melissa Andrade 27 de março de 2015 - 11:57

@thiagobrandi:disqus sim, as armas, todas (desculpa Cisco) são muito toscas mesmo. Entendi que ele somou tudo, mas foi muito de repente entende? Sempre ficou do lado do Wells e do nada passa a desconfiar dele? Estranho.

Responder
Junito Hartley 26 de março de 2015 - 21:32

Como vc disse o episodio foi muito morno pra nao dizer horrível, so foram entrar em viagem do tempo que ja rolou o primeiro furo no roteiro, se o flash voltou pro passado era pra ter dois flashs, o que nao foi mostrado no episodio, onde foi parar o outro??? esse inimigo o capitao frio é muito fraco, ele é um cara comum so com uma arma legal, nao sei porque ele aparece tanto no seriado ( e vai aparecer mais vezes), e o Barry no final desconfiar do dr. so pela reportagem foi muito forçado. Resumindo foi decepcionante o episodio.

Responder
Melissa Andrade 27 de março de 2015 - 11:56

@Junito_Silva:disqus o outro Flash sumiu assim que um passou pelo outro. Não tem como ficar 2 Flash ao menos no seriado.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais