Home TVTemporadas Crítica | The Resident – 1ª Temporada

Crítica | The Resident – 1ª Temporada

por Leonardo Campos
222 views (a partir de agosto de 2020)

Enquanto uma equipe médica realiza uma cirurgia, alguns membros produzem selfies para postagem em suas redes sociais. Você consegue imaginar tamanho absurdo? No mesmo espaço onde tal uso mirabolante da tecnologia se desenvolve, os familiares são enganados por médicos para que seus entes queridos, já desenganados, continuem internados no hospital, tendo em vista os lucros com obtidos por meio dos planos de saúde. Um abuso, não é mesmo? E o que dizer de gestores que tratam seus funcionários, isto é, indivíduos que estão o tempo inteiro cuidando da vida de tanta gente, como máquinas de um sistema que visa apenas o capital? É por esta via que trafegam os temas da primeira temporada da série The Resident, criada por Amy Holden Jones, Roshan Sethi e Hayley Schore.

Com episódios que giram em torno dos 45 minutos de duração, os conflitos são estabelecidos num breve preâmbulo, seguido da abertura com tema musical de Jon Ehrlich, composição que também está presente em alguns desfechos, ao longo dos créditos finais. Situada no fictício Chastain Park Memorial, em Atlanta, a série nos apresenta os “bastidores” de um hospital, com enfermeiros, médicos, pacientes, acionistas, seguradoras, dentre outros, representantes do lado burocrático de um suntuoso centro médico, envolvidos em tramas que versam sobre corrupção, avanço tecnológico, convivência humana, mecanização da medicina e relacionamentos interpessoais.

Na esteira de Plantão Médico, Grey’s Anatomy, Chicago Med e as demais séries sobre o cotidiano dos profissionais de saúde, The Resident tem como ponto nevrálgico as ressonâncias do capitalismo na dinâmica de um hospital arquetípico, com pacientes “no limite”, interesses amorosos entre os personagens principais e a velha fórmula maniqueísta dos mocinhos e vilões. A fórmula convencional, entretanto, não atrapalha a crítica social, tampouco o entretenimento, pois ambas andam juntos e bem dosados.

Ao tratar da mercantilização da saúde, os episódios da primeira temporada retratam o cartelizado ambiente dos médicos estadunidenses, profissionais que só podem atuar se aprovados pelo conselho profissional da categoria, “amontoado” de pessoas que tem o interesse de manter o quadro baixo para que seus salários sejam supervalorizados. Uma prática, inclusive, que ressoa ao redor do planeta, como apontou Cláudio Luiz Viegas, médico brasileiro de renome, ao dizer em entrevista que “a medicina deixou de ser humanista, pois a educação do médico está americanizada, ou seja, visando o lucro mais que o paciente”. As afirmações do especialista coadunam com as propostas apresentadas pela série, material ficcional que espelha bem o caos que está a saúde na contemporaneidade, com pessoas que “dormem tarde demais e acordam mais cedo, as cidades barulhentas, o alto uso de psicotrópicos”, além da total falta de respeito em relação aos seus próprios limites, com gestores (o estado) que desconhecem a situação e não planejam o futuro.

Há um amplo feixe de personagens, mas as presenças regulares e que impactam no desenvolvimento e resolução dos conflitos de cada episódio são poucos: Conrad Hawkins (Matt Czuchry) é um dos residentes mais competentes do hospital, um cara com pinta de bad boy, problemático e cheio de truques na manga quando o assunto é “improvisar”. Fisicamente atraente, é interesse romântico da enfermeira Nicolette Nevin (Emily VanCamp), uma dedicada profissional que mescla o trabalho com o doutorado e entende bastante do que faz, além de compreender a dinâmica do hospital e estudar detidamente as ações para cada caso. Ela é o contraste do grosseiro e às vezes “infantil” Conrad, um rapaz de boas intenções e atencioso com seus pacientes, mas arauto do clichê mais batido da dramaturgia: um cara aparentemente durão por fora, mas amável por dentro. Nic, como é apelidada a enfermeira, adentrou o campo da saúde depois de perder a mãe e representa o lado humanista do hospital.

Devon Pravesh (Manish Dayal) é o residente que vai ser supervisionado/massacrado/detonado por Conrad nos primeiros episódios, numa parceria e amizade que se cristaliza mais adiante, quando os conflitos no hospital pedem que eles se unam. Pravesh é jovem, idealista, humanista e ciente da sua condição de aprendiz, tendo sempre que seguir à risca as regras para não perder a oportunidade aparentemente única de trabalhar no ambiente médico mais caro e poderoso de Atlanta. Em contraponto ao comportamento “subserviente” de Pravesh temos Mika Okafor (Shaunette Reneé), uma exímia cirurgiã que sabe do seu potencial e sustenta-se nisso para manter-se relevante diante da realidade cotidiana do hospital, afinal, é uma das poucas negras no ambiente. Mulher de poucas palavras, Okafor é prática e dinâmica nos atendimentos, além de ser boa em gerenciar situações conflituosas. Junto com essa equipe do “bem” temos Irving (Tasso Feldman), personagem propositalmente mais raso do conjunto, dono de poucos diálogos e mantenedor do cargo de alívio cômico da série.

Há várias celeumas que tornam a prática profissional dessa galera um exercício de paciência e constante adoção de medidas cautelares, em especial, as batalhas diárias contra as forças do mal: Dr. Soloman Bell (Bruce Greenwood) e Dra. Lane Hunter (Melina Kanakaredes). Ele é um cirurgião de renome que atualmente vive uma situação delicada, haja vista a tremedeira nas mãos que indicam Parkinson e provavelmente o impedirá de agir dentro de pouco tempo. Ela é a oncologista com passado sombrio que também visa apenas o lucro. Uma das suas práticas irresponsáveis é aplicar doses generosas aos pacientes em tratamento, tendo em vista ganhar mais dinheiro com os procedimentos. Juntos eles formam o outro eixo maniqueísta da série, uma produção com limite bem delineado entre os mocinhos e vilões.

Os quatorze episódios foram dirigidos por Phillip Noyce (Pilot e Independence Day, episódios 01 e 02), Rob Corn (Conrades in Arms, The Elopement e Total Eclispse of the Heart, episódios 03, 07 e 14, respectivamente), Bill D’Elia (Identity Crisis, episódio 04), James Roday (None The Wiser, Rude Awakenings and The Raptor e Run, Doctor, Run, episódios 05, 12 e 13, respectivamente), David Rodriguez (No Matter The Cost, episódio 06), Thomas Carter (Family Affair, episódio 08), Bronwen Hughes (Lost Love, episódio 09), David Crabtree (Haunted, episódio 10), Liz Allen (And The Nurses Get Screwed, episódio 11). Ao longo do episódio piloto, os personagens são apresentados e a ambientação se estabelece ao público, precedentes que nos preparam para a saga pela imagem por parte do Dr. Bell no segundo episódio, além das discussões sobre o que é “certo” e o que é “errado” quando é preciso salvar uma vida. O terceiro episódio tem como conflito central o paciente como produto, com uma discussão sobre ética e aumento dos custos de determinados procedimentos. Será que é possível solicitar exames desnecessários para que o hospital possa aumentar os seus rendimentos? Essa é uma pergunta realizada por uma analista que é contratada para supervisionar o funcionamento das consultas e atendimentos emergenciais pelos diversos corredores do amplo hospital.

O quarto episódio continua a sua crítica ao sistema, preâmbulo de tensões que culminam na relação abusiva do Dr. Bell em relação à permanência de Mika no hospital, pois ciente da sua derrocada enquanto cirurgião, o oportunista pretende usar a nigeriana como seu suporte, ameaçando-a constantemente de não assinar documentos que viabilizam a sua permanência nos Estados Unidos, tudo isso, conflito que fermenta o quinto episódio, algo que desagua no clima do sexto, dedicado ao maior delineamento das práticas antiprofissionais da Dra. Hunter. O que vem à seguir é uma montanha-russa de emoções envolvendo as investigações dos jovens médicos, atentos aos procedimentos da dupla de “vilões”, um fofo episódio que retrata a terapia com animais, o alto preço pago por Nic ao enfrentar a oncologista antiética e a entrada e saída de pacientes que representam a diversidade cultural de um país repleto de contradições.

Em meio aos conflitos dos personagens, os méritos da série também trafegam pelo contextual e estético. O design de produção da dupla formada por Geoffrey S. Grimsman e Laurence Bennet captam bem a atmosfera clean, com uso constante das cores verde, azul e branca para dar o tom ideal para os episódios, setor beneficiado pela cenografia competente de outra dupla, desta vez, formada por Summer Eubanks e Jennifer M. Gentile.  O trabalho de construção da identidade visual da série não apresenta falhas evidentes, pois tudo é muito nem delineado, graças ao eficiente trabalho de John Brawley e Elliot Davis na direção de fotografia, ambos responsáveis por enquadrar adequadamente cada cena, tendo em vista transmitir as propostas dramáticas tecidas pelo roteiro da temporada. A condução musical de Jason Derlatka e John Ehrlich funciona bem, ao evitar a intrusão e o aborrecimento narrativo com excessos, numa comprovação da qualidade visual da equipe que compõe The Resident, série que apresenta algumas falhas apenas no campo da dramaturgia, haja vista os problemas na condução do roteiro.

No que tange aos aspectos contextuais, há os problemas citados anteriormente, em especial, a mercantilização da saúde, além de discussões sobre relações interpessoais, respeito ao próximo, necessidade do bom trabalho em equipe, a paciência e a observação analítica como virtudes para o bom exercício profissional e as ressonâncias da situação política estadunidense em meio ao trânsito de personagens que adentram o hospital a cada episódio: os estereótipos em relação aos grupos étnicos; o ódio aos imigrantes; a carga horária de trabalho abusiva para as pessoas que estão na base da pirâmide contemporânea, dentre tantas outras discussões. Sem o tom “barato” da primeira temporada de Grey’s Anatomy, mas trechos emulados para provável identificação do público, The Resident nos envolve pelo ritmo mais direto e incisivo, crítica social corajosa e temática mais realista. Isso não impede, no entanto, que a série não erre a mão no roteiro entre um episódio e outro, principalmente nos momentos finais, indo do drama médico ao gênero investigativo policial, numa mudança brusca que causa um pouco de estranhamento.

Renovada para uma segunda temporada, The Resident tem o desafio de continuar relevante em meio à grande oferta de séries com a temática médica.  Ao iluminar outros profissionais do ambiente hospitalar, como a enfermeira Nic, por exemplo, a produção sai da hierarquia de sempre e oferece um olhar para outros pontos, entretanto, aproveita dos clichês e de algumas situações absurdas demais para manter-se relevante. Agora é aguardar para saber o que a série nos reserva em seu segundo ano.

The Resident – EUA, 21 de janeiro a 14 de maio de 2018.
Showrunners:  Amy Holden Jones, Roshan Sethi, Hayley Schore.
Direção: Phillip Noyce, Rob Corn, Bill D’Elia, James Roday, David Rodriguez, Thomas Carter, Bronwen Hughes, David Crabtree, Liz Allen
Roteiro: Amy Holden Jones, Roshan Sethi, Hayley Schore
Elenco: Manish Dayal, Emily VanCamp, Matt Czuchry Bruce Greenwood, Melina Kanakaredes, Tasso Feldman, Shaunette Reneé
Duração: 45 min (cada episódio – 14 episódios no total)

Você Também pode curtir

183 comentários

Laisia Carmem 12 de junho de 2020 - 15:21

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

A série relata bem sobre oportunismo, comportamento que define bem a área da saúde atualmente, onde muitos se deixam levar pelo ego e deixam de lado o que de fato sua profissão deve levar por todos os cantos, que é o afeto, o cuidado com o próximo, a preocupação com todos ao seu redor. O Dr. que tem como um dos papéis principais na série apresenta esse comportamento, onde o status e o dinheiro falam mais alto do que qualquer outra coisa, levando o dr a cometer erros médicos por busca do status e fazer com que sua equipe acoberte esses erros para assim ter “nome”.
Não é de forma geral, existem aquelas profissionais da saúde que atuam com todo amor do mundo e se preocupando no bem estar do próximo, apesar de ser um comportamento raro, ainda existem pessoas assim.

Responder
Luana Apolonio 9 de junho de 2020 - 08:56

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

A série relata alguns erros médicos que ocorrem na nossa realidade, onde se ver a rivalidade, ambição. O que é bastante ruim tanto para o paciente, quanto para a relação dos médicos. Eles tratam os pacientes como se fossem objetos, mas claro que mostra outros médicos que tem amor a profissão e aos pacientes e que tratam os pacientes como deveriam.
Infelizmente o episódio da série mostra o que mais acontece ai no mundo, onde a sociedade capitalista ta interessada mais no dinheiro do que no bem estar do paciente. Tem a profissão como um vínculo de dinheiro e não por amar.

Responder
Gustavo Damaceno 8 de junho de 2020 - 22:37

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

A série deixa bastante evidente os dois lados no ramo da saúde, onde a sensibilidade de um recém-formado é posta a prova em diversos momentos e também a maturidade, dinâmica, autoritarismo e ambição do Doutor que o orienta, acaba nos mostrando lados opostos que nem sempre é contado. Portanto, a conclusão que pude chegar é que salvar vidas sobre pressão é algo totalmente difícil, mas é algo diário em ambientes hospitalares. O que tem a ser feito é manter a ética profissional e não se deixar levar pela emoção nos momentos de maiores tensões. Também faço uma crítica negativa ao caso de manter pacientes sem chances de melhora só por valores e negócios, acredito que a verdade tem que ser dita até como forma de empatia pelo próximo, em especial a família.

GUSTAVO DAMACENO SANTOS 2º semestre, Odontologia UNIFTC

Responder
Diones Xavier de Souza 8 de junho de 2020 - 18:52

A série tem uma boa produção e uma até que bacana, nada muito extraordinário, continuo gostando mais de Grays Anatomy que se tornou um saco logo após a 12ª temporada. Mas respondendo a pergunta didática, a série traz a realidade no mundo da medicina, frisando erros, irresponsabilidade e uma rivalidade que encontramos em qualquer profissão, pois o que de fato mais da maioria zelam é pelo salário e um status de “bom”. Não podemos esquecer que tem sim profissionais dedicados que realmente são bons, aplicados à saúde do próximo. Acho que não tenho muito o que dizer, a serie é meio tediosa com roteiro clichê, não tive muita paciencia.

Responder
Júnior Cláudio 8 de junho de 2020 - 18:37

No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?
Em meu ver, os tempos de hoje, existem muitos seres humanos oportunistas e outros com uma visão melhor de ajudar ao próximo, dando seu melhor, se esforçando para ver o outro bem, outras só pensam em lucros e não querem saber se o próximo esta bem ou mal.

Responder
Ayala 8 de junho de 2020 - 09:39

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

A trama destaca alguns erros médicos que ocorrem na nossa realidade Onde o oportunismo, ambição e disputa infelizmente ocorre por parte dos profissionais de saúde. E nessa área os pacientes são tratados como negócios, mas por outro lado existe sim médicos com amor a sua profissão e busca salvar as vidas dos seus pacientes.

AYALA MAIA DE JESUS – 2• semestre, Odontologia, FTC.

Responder
Micaella Ribeiro 3 de junho de 2020 - 10:33

O primeiro episódio da série nos mostra duas realidades que acontecem em vários hospitais, enquanto alguns profissionais de saúde estão preocupados apenas com o status, outros exercem sua profissão com dedicação e amor, fazendo de tudo pra salvar a vida do paciente.
O abuso de autoridade do médico Dr. Bell com a sua equipe que só pensa no status e bem estar financeiro e a sensibilidade do residente no seu primeiro dia, que ama sua profissão e faz de tudo para salvar a vida dos pacientes.
Michaella Ribeiro Boa sorte – 2° semestre de odontologia

Responder
João Breno 1 de junho de 2020 - 01:48

No primeiro episódio da séria ”The Resident”, mostra a realidade de muitos que acontecem pelo Mundo, a sociedade capitalista que sempre tem aquele médico que não faz a profissão por amor, mas sim por dinheiro, status e isso acaba acarretando em riscos nas vidas das pessoas que são atendidas por profissionais dessa índole. Sempre tem a salvação que é os verdadeiros médicos, os caras que realmente se importa com a dor dos outros, tem a empatia para ser um profissional de saúde. Portanto, eles podem ser a minoria e com isso prejudicando toda a área de saúde daquele Hospital, e um bom exemplo de uma pessoa hostil é o Dr. Bell que foi apresentado na série.
Nutrição – João Breno Araújo de Carvalho, 1 SEMESTRE (MATUTINO)

Responder
Beatriz Vieira 29 de maio de 2020 - 17:26

No primeiro episódio da série “The Resident”, intitulado como “Piloto”, são expostas as realidade do que acontece nos hospitais, como as negligências encobertas e abuso de poder, tais acontecimentos mostrados é a consolidação do ditado “a vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida”, onde são encontrados diversos profissionais da área de saúde mais preocupado com status e dinheiro, sem levar em conta a vida do sue paciente. As várias negligencias cometidas pelo Dr. Bell ao perder seu paciente por um falha médica levou toda sua equipe a acobertar essa mentira, e isso leva a uma longa crítica sobre os princípios éticos adotados.
Beatriz Vieira dos Santos Silva
1° Semestre- Enfermagem- NOTURNO/ UNIFTC

Responder
Débora Borges 21 de maio de 2020 - 21:28

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

O primeiro episodio da série expõe um cenário muito presente fora da ficção, médicos que visam apenas enaltecer seus nomes, e lucrar independente do quanto ou o que isso custe, em contraste, profissionais dedicados, que são realmente apaixonados pela profissão e buscam fazer a diferença no meio.. Acredito que mesmo com toda pressão exterior que possa existir, um bom profissional não deve abrir mão dos seus valores, sensibilidade e senso de humanidade.
Débora Borges- Odontologia, 2ª semestre.

Responder
JULIANA ROCHA 17 de maio de 2020 - 19:42

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas”?
Na sociedade capitalista no que se refere a saúde,fica muito a desejar ao mesmo tempo que salva vidas eles também vê muito lucro para os hospitais com a vida dos pacientes que se encontra desenganados e que continuam internados tendo em vista os lucros obtidos por meio dos planos de saúde.Pois a medicina deixou de ser humanista porque a educação dos médicos esta visando o lucro mais que o paciente isso tudo talvez seja pelo salário baixo dos médicos .Reconhecemos que os médicos e enfermeiros se dedicam em uma boa qualidade na vida das pessoas dando de melhor deles para a sua profissão .
aluna :juliana rocha da matta,2 semestre nutricão.

Responder
Israel Almeida 16 de maio de 2020 - 05:32

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas”?

Uma sociedade regida pelo capitalismo descontrolado acaba afetando diversas áreas, entre elas, a saúde. Na série “The Resident”, mostra muito aquilo que acontece na vida real, em que vários profissionais de saúde atuam de forma desonesta, considerando vidas como objetos, tornando-se insensíveis à dor do outro, não se importando mais em salvar vidas, errando nos procedimentos, diagnósticos, se importando somente, e tão somente com o lucro (obtido de maneira corrupta), status e fama.

Responder
Adriele Couto Giordani 12 de maio de 2020 - 13:06

O primeiro episódio retrata a realidade de alguns hospitais, onde há médicos, enfermeiros que amam a profissão e os pacientes e que fazem o possível para dar o melhor tratamento e vê-los bem. E uma outra parte dos profissionais que só pensam nos lucros, no status e esquece que estão ali para cuidar das pessoas.
Adriele Couto Giordani, odontologia 2°/6°

Responder
Jaine Mangueira 12 de maio de 2020 - 12:45

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Tratando-se do 1ep da série atue Resident, ficou claro que infelizmente o capitalismo se sobrepõe. Mas esse ep mostrou também profissionais empenhados em salvar vidas, com todo o seu cuidado e amor pelo que faz. E do outro lado temos Dr.Bell um homem que só pensa em si próprio, em seu próprio crescimento, mas não tem a menor condição de exercer a sua profissão, infelizmente há muitos profissionais como ele, que só pensa em na fama, em dinheiro, colocando sempre em risco a vida dos seus pacientes que estavam sob seus cuidados. Acho que não só no âmbito da saúde, mas como em todos os âmbitos profissionais, deve haver sim sensibilidade e humanização em relação a vida do outro.

Jaine Santos Mangueira, 2 semestre Odontologia.

Responder
Nargela Alves Marinho 12 de maio de 2020 - 12:30

No episódio da série the resident na primeira cena mostra profissionais da área medica tirando selfies no meio de uma cirurgia , e nisso começamos a perceber que eles nem sempre falam a verdade sobre o que aconteceu naquele momento , enganado os familiares dos pacientes , nesse episódio também mostra que existe médicos que são atenciosos e ama a sua profissão e fazem o possível para salvar as vidas dos pacientes de forma ética, e mostra o outro lado que são egoístas e orgulhosos , que preferem ocasionar uma morte , isso mostra o quanto os profissionais negligentes , e que eles se preucopam mais com o dinheiro do que com as vidas que estão ali precisando deles, exemplo disso é pacientes internados sem nem saber se vai sobreviver aquilo, fazendo familiares sofrerem só para obter lucros .
Aluna : Nárgela Marinho
odontologia
1 semestre

Responder
Bruna Andrade 12 de maio de 2020 - 12:26

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

O primeiro episódio da série deixa esclarecido a temática crítica de um ambiente hospitalar entre sensibilidade e capitalismo. O médico mais requisitado em cirurgias esconde-se em uma imagem que não condiz com as atitudes do mesmo ao decorrer do episódio, onde ele usa do seu lugar de poder e preocupa-se mais com a sua reputação que com as vidas dos pacientes, visando o lucro. Em contrapartida, tem-se o residente no seu primeiro dia, que acredita no lado da medicina e age conforme a sensibilidade, seguindo os protocolos recomendados, indo contra recomendações do médico atendente. Assim, existe sim espaço para a sensibilidade (como o medico recém formado) mas diante do sistema corrupto e negligente que coloca o lucro acima da vida, ele provavelmente precisará dialogar com as relações capitalistas ao longo da profissional, pois é algo que a série deixa claro que ocorre de forma “normal”.

– Bruna Andrade, Odontologia, 2º semestre

Responder
Sérgio de Souza Ferreira 12 de maio de 2020 - 10:16

A trama enfatizam alguns erros médicos, que são consequência do oportunismo financeiro e ambição por parte dos profissionais, tal situação infelizmente é corriqueira no ramo da saúde, mesmo que muitos profissionais exerçam suas profissões por amor e zelo, uma parcela ainda tende a tratar pacientes como um “negocio”, sendo assim, há espaço para a sensibilidade profissional sim, contudo torna-se é uma consequência dos interesses profissionais de cada um.

Sérgio de Souza Ferreira – odontologia, 2 semestre.

Responder
Tamaiale 12 de maio de 2020 - 04:51

O primeiro episódio da série retrata a temática hospitalar acerca de duas realidades, de um lado, demonstra que existem sim, médicos com amor a profissão, que estão em busca de salvar vidas, e que existe importância na saúde dos seus pacientes, do outro, o lado ‘’obscuro e escondido’’, onde há ocorrências reais e bastante comuns praticados por médicos. É evidente a falta de ética profissional e a negligência médica, o capitalismo acima de tudo, colocando a saúde dos pacientes em último plano a fim de obter apenas lucros acima de qualquer vida. Na minha opinião, o grande foco e destaque do episódio foi a ganância e o ego, que sempre falavam mais alto, e sobre os atos e erros encobertos por parte de profissionais.

– Tamaiale Palma
Odontologia – 2/3ª semestre

Responder
Luan Bonfim 12 de maio de 2020 - 00:53

Em suma, no primeiro episódio da série “The Residente”, deixa bem claro a relação entre a área da saúde e o capitalismo. Durante boa parte do primeiro episódio é encontrado a relação e uso da tecnologia para com sua aplicabilidade no ramo da saúde. Haja vista, que, diante da correlação Capitalismo X Saúde, é possível discutir que grande parte do mercado hospitalar tem em vista e impõe como prioridade a “mercantilização da saúde“. Logo, o hospital retratado na série, cuja é condenado por um importante e renomado chefe cirúrgico, mostra coloca em posição prioritária o ego, egoísmo e o capital acima da vida de um paciente que está e uma situação complicada. Ademais, o uso do celular em momento de cirurgia também é algo que chama a atenção do telespectador.

Luan Bonfim – Odontologia 2020.1 Turma A

Responder
Giovanna 12 de maio de 2020 - 00:48

O primeiro episódio da série, retrata como alguns médicos exercem sua profissão em função de auferir ganhos e agindo de forma negligente, de modo consequente que o paciente venha a óbito.

Responder
Rafael Barreto 11 de maio de 2020 - 23:40

A priori, o episódio piloto da série “The Resident” tematiza a problematica da imprudência medica em feitos cirurgicos nos EUA. Nesse contexto, podendo ser citado:
Uso do aparelho celular durante a realização de uma cirurgia (para realizar fotografias, que parcialmente não estariam autorizadas pelo paciente); O comportamento ególatra do chefe de cirurgia Dr. Bell, após cometer um grande erro na sala de cirurgia, e consequentemente tentar influenciar os profissionais a ocultar os fatos reais que teriam acontecido, para que não hovesse prejuizo em sua renomada carreira profissional. Além disso retrata o primeiro dia de trabalho de um medico récem formado, que foi confiado a um residente que negligencia todos os aprendizados que lhe foi concedido na faculdade, tomando medidas incoerentes e desumanas, em detrimento do egoismo, visando apenas o retorno financeiro.

Rafael Barreto dos Santos
Odontologia- 1° Semestre

Responder
Iasmin fortuna 11 de maio de 2020 - 23:29

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

A série, no primeiro episódio, trata uma parte sobre o desatento, ego, orgulho profissional, manutenção do status, busca de lucro, negligência de alguns médicos na área de saúde e dos hospitais, sendo desumanos com seus pacientes (como exemplo o óbito do paciente enquanto eles tiravam fotos). É uma série dramática muito necessária é importante nos tempos atuais para pararmos, refletirmos e percebemos a significância da vida, a relevância da convivência humana e principalmente sobre o capitalismo exacerbado em que estamos vivendo. Para somente assim repensarmos no tipo de profissional queremos ser.

– Iasmin Fortuna, 2º semestre

Responder
Elis Neri Araujo 11 de maio de 2020 - 23:29

O episódio piloto da série “The Resident” induz o espectador a refletir e discutir acerca da irresponsabilidade médica no ambiente cirúrgico, visto que, é apresentado o caso de um paciente em que se encontrava sobre a mesa de cirurgia e acabou vindo a óbito por um erro médico, no qual foi acobertado pelas outras pessoas presentes na sala de cirurgia; o mesmo médico acabou sendo isentado do seu ato de irresponsabilidade, colocando em risco assim, a vida de outros pacientes.

Aluna: Elis N. Araujo.
Curso: Odontologia, 1° semestre.

Responder
Italo Torres 11 de maio de 2020 - 23:26

O episodio trata da mercantilização da saúde, a não importância pela saúde do paciente e o egoísmo, nele ocorre situações de erros médicos, encobrimento, negligência médica, relacionamentos amorosos impróprios no ambiente de trabalho, ganância, ocorre principalmente a falta de experiência e treinamento dos funcionários, um episodio virado ao que não pode se acontecer em um hospital, uma crítica à área mais importante, pois a responsabilidades dos profissionais da saúde são de extrema importância e a vida do seu paciente que está na mãos deles, onde não se tem espaço para antiprofissionalíssimo, falta de ética e deve principalmente ter comprometimento e respeito para com todos.

Italo Adorno Torres
Administração – Noturno

Responder
Raissa Cruz 11 de maio de 2020 - 23:19

No primeiro episódio da série “The Resident” é possível observar críticas ao sistema médico, como o cirurgião chefe da cirurgia que passa por um problema de saúde e o esconde do público o que leva a morte de pacientes, tudo isso somente pelo orgulho. é importante ressaltar a fala de uma das personagens onde ela diz que “a negligência médica é a terceira maior causa de mortes nos EUA” através disto percebemos com é importante a conscientização de um trabalho mais humanitário.
Raissa Da Cruz Pereira.
Uniftc/odontologia 1° semestre Turma A.

Responder
Raquel Paraíso 11 de maio de 2020 - 22:45

O episódio piloto da série “The Resident” instiga o espectador a refletir sobre diversas temáticas que circundam as realidades médicas, tais como: o uso do celular durante um procedimento cirúrgico; o egoísmo de um médico bem sucedido; suprimindo as qualidades de outro profissional em detrimento da sua própria fama; os altos custos de uma internação rendendo lucros ao hospital; relações interpessoais dos médicos dentro do ambiente de trabalho e a eutanásia.
É uma série com um enredo muito bem elaborado e que discute várias questões extremamente necessárias diante de um cenário médico atual tão desumano!

Raquel M. S. Paraíso
Odontologia- 1° semestre

Responder
ananda reis 11 de maio de 2020 - 22:40

No primeiro episódio de The Resident mostra para o público, logo nos primeiros minutos, que os erros médicos são grande parte da mortalidade hospitalar nos Estados Unido, erro que é mascarado por uma manipulação hierárquica que coloca os residentes e internos nas mãos dele, criando uma rede de cumplicidade que é vendida para o espectador como o centro dramatúrgico da série.

Ananda Reis
Odontologia, matéria de língua portuguesa, 1 semestre.

Responder
Ananda reis 11 de maio de 2020 - 22:35

No primeiro episódio de The resident mostra para o público, logo nos primeiros minutos, que os erros médicos são grande parte da mortalidade nos EUA, erro que é mascarado por uma manipulação hierárquica que coloca os residentes e internos nas mãos dele, criando uma rede de cumplicidade que é vendida para o espectador como o centro dramaturgico da série.

Ananda reis
Odontologia, matéria de língua portuguesa, 1 semestre

Responder
Marcia Gabriela 11 de maio de 2020 - 22:09

A série trata da área da saúde, que se distingue em pessoas que trabalham com o lado humanizado e outros com lado associado ao capitalismo. A segunda opção é um absurdo, visto que, profissionais trabalham para o seu ego e para o seu bolso, esquecendo muitas vezes que se tratam de vidas. Essa série demonstra o que é pouco discutido nos dias de hoje, porém é uma triste realidade.
Márcia Gabriela
Odontologia- 2 semestre

Responder
Bianca Mota 11 de maio de 2020 - 21:39

The Resident é uma serie americana onde mostra a realidade do dia a dia entre os residentes e médicos experientes coisa que acontece em muitos hospitais e não é mostrado. o episodio 1 da serie fala sobre profissionais negligentes que se preocupam mais em manterem um status e se manterem bem financeiramente, sem levar em consideração a vida e bem estar do paciente. Aluna Bianca De Jesus Santos Mota Curso- Odontologia 2020.1 Professor- Leonardo Campos Turma- A UniFTC Av Paralela

Responder
clara Santana 11 de maio de 2020 - 21:39

A série de início relata a grande irresponsabilidade dos profissionais, ou seja em uma cirurgia que precisa de extremo cuidado, eles estão tirando fotos e logo o paciente vai a óbito, ao longo da série é possível perceber a negligência de alguns profissionais e que a causa de muitas mortes é devido as irresponsabilidades e falta de ética desses profissionais. É possível perceber também como alguns só pensam em seu bem financeiro e poucos que realmente trabalham gostando do que faz e selando pela saúde dos pacientes.
Ana clara Santana Ferreira
Odontologia- 1 semestre

Responder
Pedro Eduardo 11 de maio de 2020 - 21:17

No episódio mencionado da série, demonstra a infeliz realidade de alguns centros hospitalares, onde muitos profissionais não são capacitados para tal tarefa, mas acabam sendo egoístas, negligentes e não pensando no bem dos pacientes, agindo apenas pensando na fama e no reconhecimento do público, também é evidenciado que existe profissionais, que são duramente criticados, mas que são qualificados para as operações.

Responder
Nathan Vitor Cassol 11 de maio de 2020 - 21:11

O episódio fala principalmente sobre como a vida do paciente muitas vezes é deixada de lado, em detrimento da busca insaciável pelo sucesso medico, ego de alguns profissionais influenciando assim o tratamento com os pacientes. Além da incansável busca pelo lucro do hospital que muitas vezes influencia os medicos a serem desumanos e por vezes ate cometendo crimes, dentro da area médica.
Aluno: Nathan Vitor Cassol
1° Semestre

Responder
Anne Caroline Mascate 11 de maio de 2020 - 21:11

A série aborda um tema muito interessante, mas pouco discutido atualmente, e de extrema importância, a falta de humanização na medicina. o que é irônico se pensarmos no fato de que essa profissão está diretamente ligada ao auxilio humanitário. num mundo onde o capitalismo é rei, nem mesmo a esfera da saúde se salva, aliás esta, tem sido uma das mais comprometidas com a corrupção ultimamente.

– Aluna: Anne Caroline Mascate
– Curso: Odontologia – 1º semestre – turma A (UniFTC)

Responder
Yasmin Machado 11 de maio de 2020 - 21:03

O primeiro episódio da série ‘The Resident’ apresenta ao telespectador, um lado desconhecido e latente da medicina, a valorização do capital. A série se inicia retratando uma negligência de uma equipe médica durante um procedimento cirúrgico ao realizarem uma fotografia num momento tão importuno. Ao longo do episódio são exibidos casos de diferentes escalas e diferentes contextos, onde, um deles é confiado ao novo residente do hospital o Dr. Devon Pravesh. Possuindo um olhar médico diferente dos demais, Pravesh mostra ao telespectador uma concepção mais empatica, defendendo salvar a vida dos pacientes sempre em primeiro lugar e não o capital.
Aluna: Jade Yasmin Machado
Turma: Odontologia/Primeiro Semestre/ A

Responder
Laura Andrade 11 de maio de 2020 - 21:01

Em resposta a pergunta, no ramo da saúde há sim um espaço para a sensibilidade, pois médicos que trabalham com amor a profissão sempre dar tudo de si para salvar a vida dos pacientes. Mas na série retrata o outro lado da realidade em um hospital, onde os profissionais de saúde não possuem ética e nem mesmo os pacientes, não se importa em salvar a vida de quem precisa, se importam com o capital, se importam muitas vezes em deixar o paciente internado mesmo que sem chances de sobreviver só para obter certos lucros. No episódio relata bem a realidade em que convivemos, e mostra abertamente quem são os médicos que amam a profissão, e quem são os médicos que só estão ali pela fama e dinheiro.

Laura Maria Ribeiro de Andrade
Odontologia/ 2° semestre

Responder
Lucas Andrade 11 de maio de 2020 - 20:31

A serie, the resident mostra uma realidade não muito distante do Brasil, em que muitos médicos, se preocupam mais com o seu dinheiro, do que com a própria saúde, percebe-se também que a tecnologia usada na hora errada, de maneira equivocada, pode causar sérios problemas. Dr bell, não aceita que possui um problema na mão, e como ele tem o cargo de cirurgião, se ele tremer as mãos, em uma cirurgia, o paciente pode vir a falecer, como ocorreu no inicio, para dr. Bell manter seu cargo de cirurgião, acaba usando Dr. Okafor para fazer a cirurgia ao vivo, como se fosse ele que estivesse operando, é necessário que o profissional da área de saúde, tenha mais compaixão e se coloque no lugar do próximo, como Devon que faz de tudo para manter o paciente bem.

aluno: Lucas Andrade Ramos
curso: odontologia – 1 semestre
Uniftc

Responder
Augusto Caires 11 de maio de 2020 - 20:29

O primeiro episodio da série “The Resident” retrata o primeiro dia de trabalho de um medico recém-formado em que ele descobre que a realidade dos hospitais não era como ele havia aprendido na faculdade. Nas primeira sena demonstra um caso de negligencia medica que resulta na morte de um paciente por culpa de profissionais que só se preocupam com as aparências e com a fama, fica bastante evidente também a comercialização da saúde e a oclusão de erros para manter o status. Por essa razão a ideia de medico mais sensíveis e desfeita pois a essência de salvar vidas e perdida e o único objetivo relevante e o retorno financeiro e o status.
UNIFTC
Aluno: Augusto Caires Oliveira Brito
Curso: Odontologia – 1º semestre

Responder
Maria Eduarda Souza 11 de maio de 2020 - 20:23

Nesse episódio, da série “the resident “, mostra o dia a dia dos médicos no hospital. Podemos perceber algumas negligências do famoso Dr. Bell, e como alguns profissionais da área de saúde pensam no capital e na fama, antes da saúde dos pacientes, limpando seu nome pelos erros cometidos. Por outro lado, esse episódio mostra que ainda existem profissionais corretos, que trabalham por amor e pela saúde de seus pacientes.

Maria Eduarda de Souza Pinto
Uniftc
Odontologia 1º semestre

Responder
Bruno Martins 11 de maio de 2020 - 20:17

No início do episódio já vimos que há uma grande irresponsabilidade dos profissionais de saúde que ao decorrer de uma cirurgia vão tirar uma foto e ocorre outros erros médicos que acabam levando o paciente a óbito e a equipe médica mente sobre o verdadeiro ocorrido para não sujar o nome do cirurgião, visando assim manter um falso status de uma boa reputação. No episódio os profissionais de saúde enfrentam diversas dificuldades, profissionais e pessoais, que acabam interferindo na vida dos pacientes e expõe também a falta de ética de muitos profissionais e a sensibilidade de outros.
UNIFTC
Aluno: Bruno Martins de Almeida
Curso: Odontologia
1º semestre

Responder
Thiago Gama 11 de maio de 2020 - 20:16

Trata-se de uma série sobre a residência medica, o primeiro episódio retrata o dia dos profissionais de saúde no hospital. É nítido já no começo que o tema “erro médico” é tratado com destaque, ali foi possível observar a pressão que o médico trabalha, a forma como eles vão se acostumando com o fluxo dos acontecimentos e deixando a negligencia e imperícia passar despercebidas. O status acima de tudo, acima da vida humana. No entanto, não são todos que pensam assim, ainda há esperança apesar de tantos absurdos.

Aluno : Thiago da Silva Gama
Odontologia 2020.1 – 1º semestre UNIFTC

Responder
Ysabella Ferreira 11 de maio de 2020 - 20:03

O primeiro episódio da série retrata de forma bem concisa a dura realidade do dia-a-dia de um hospital, cheio de negligências aonde erros médicos são a maior causa de mortes ,e que ainda assim são encobertos pelo hospital. Além disso fica bem explicito a forma como alguns médicos buscam crescimento e status as custas da vida dos pacientes

Responder
Adrielle Almeida 11 de maio de 2020 - 19:33

A serie mostra uma grande verdade que ainda acontece nos tempos de hoje .. A soberba e vaidade de alguns médicos não levando em conta a vida do paciente. Onde existe uma disputa de egos e visando sempre no lucro que aquele paciente(numero) pode trazer para a instituição; E descriminando e perseguidos novatos internos que ainda estão vislumbrados com a tal sonhada formação em ser Medico, que a intenção principal é salvar vidas.Não levando em conta ao juramento que fazem ao se formarem.Com isso trazendo alguns conflitos internos e frustrações para os recem formando.
Aluna: Adrielle Almeida Brito
Curso: Odontologia – 1º semestre
Uniftc

Responder
Carolina Mereu 11 de maio de 2020 - 19:28

No episódio em questão da série “The Resident” é retratada a realidade do que acontece no cotidiano de alguns hospitais. Dentre as críticas que puderam ser notadas, deixa evidente o abuso de autoridade e a negligência dos profissionais que tem como foco unicamente o seu bem estar financeiro, enquanto a saúde dos seus pacientes fica em segundo plano. Dessa forma, é possivel perceber o quão influente o capitalismo é no meio da saúde, mas é importante destacar que apesar disso, é preciso que os profissionais que disponham a atuar nessa área mantenham a ética.

Nome: Carolina Batista Mereu
Curso: Odontologia
1° semestre

Responder
Victor Manoel Nascimento Neves 11 de maio de 2020 - 17:32

Na série mostra o dia-a-dia dos médicos no âmbito de trabalho. Logo no início do episódio mostra que uma cirurgia foi malsucedida por culpa humana como por exemplo falta de atenção, uso de celular entre outros erros. Então o médico para limpar a sua barra induz que todos envolvidos no ocorrido mentissem sobre a morte do paciente, para que a sua reputação não ficasse difamada. A série quer mostrar que alguéns profissionais da saúde não quer manchar a sua imagem mesmo sendo culpados pelo ocorrido. Mostra também um médico recém-formado que quer fazer tudo com cautela. Mostrando assim que existe sim médicos que trabalham com amor e com um único proposito que é salvar vidas. A série faz uma crítica para os grandes hospitais onde eles não pensam em somente salvar vidas, mas sim no capital que aquele paciente pode trazer para o hospital.
Aluno- Victor Manoel Nascimento Neves
Curso: Odontologia – 1° semestre.
UniFTC

Responder
Gabriela Carvalho da Silva 11 de maio de 2020 - 17:25

O primeiro episódio da série “The Resident” mostra a realidade do que acontece em muitos hospitais e não é mostrado. Profissionais negligentes que se preocupam mais em manterem um status e se manterem bem financeiramente, sem levar em consideração a vida e bem estar do paciente. É inegável que as relações capitalistas estão cada vez mais presentes na área da saúde, visando mais o lucro que o paciente, mas é muito importante e necessário que haja profissionais que tenham um olhar sensível e humanista ao lidar com os pacientes, estabelecendo uma relação sólida e atenciosa com os mesmos, até para se ter um melhor tratamento e recuperação.

Responder
Camila Nunes Schenk de Castro 11 de maio de 2020 - 17:06

Nesse episódio mostra diversas negligências médicas que são encobertas pelo próprio hospital, casos de abuso de poder e importunação de um supervisor de residência sobre seu subordinado, gratificação do hospital pelo caso de uma paciente com morte cerebral que só irá gerar dinheiro para eles por conta de seu tratamento. Todas essas situações só mostram como o ‘’salvar vidas’’ está cada vez sendo mais capitalizado e menos humanizado.

Responder
Nathaly Alves de Oliveira 11 de maio de 2020 - 17:06

No episódio mencionado, a série The Resident, retrata o que acontece em muitos meios hospitalares atualmente, onde o menor sabe muito porém o maior utiliza dessa sabedoria para ter nome; evidência também o cuidado e afinidade que os profissionais criam com o paciente durante o tratamento, se afetando pois são humanos sentimentais. Bem como os que querem ter mídia o tempo todo, desrespeitando a ética profissional, podendo causar problemas graves.
UNIFTC
Nathaly Alves de Oliveira
Odontologia 1° Semestre Turma A

Responder
Gabriela Carvalho da Silva 11 de maio de 2020 - 17:06

O primeiro episódio da série “The Resident” mostra a realidade do que acontece em muitos hospitais e não é mostrado. Profissionais negligentes que se preocupam mais em manterem um status e se manterem bem financeiramente, sem levar em consideração a vida e bem estar do paciente. É inegável que as relações capitalistas estão cada vez mais presentes na área da saúde, visando mais o lucro que o paciente, mas é muito importante e necessário que haja profissionais que tenham um olhar sensível e humanista ao lidar com os pacientes, estabelecendo uma relação sólida e atenciosa com os mesmos, até para se ter um melhor tratamento e recuperação.
Curso: Odontologia

Responder
Adrielle Almeida 11 de maio de 2020 - 19:33

A serie mostra uma grande verdade que ainda acontece nos tempos de hoje .. A soberba e vaidade de alguns médicos não levando em conta a vida do paciente. Onde existe uma disputa de egos e visando sempre no lucro que aquele paciente(numero) pode trazer para a instituição; E descriminando e perseguidos novatos internos que ainda estão vislumbrados com a tal sonhada formação em ser Medico, que a intenção principal é salvar vidas.Não levando em conta ao juramento que fazem ao se formarem.Com isso trazendo alguns conflitos internos e frustrações para os recem formando.
Aluna: Adrielle Almeida Brito
Curso: Odontologia – 1º semestre
Uniftc

Responder
Ana victoria pinheiro 11 de maio de 2020 - 13:26

No ramo da saúde há sim espaço para sinsibilidade, pois isso que torna o trabalho humanizado, se colocar no lugar do seu paciente e assim conseguir a melhor opção para resolver o seu problema com o minimo de danos possiveis, o dinheiro sim é importante como em qualquer profissao, pos tambem é um trabalho mas o certo é você se importar sim com o bem estar de sei paciente. No primeiro episodio de the resident comeca como uma cirurgia que deveria ser simples mas algums profissionais registram a cena com total desrespeito ao paciente o que vai de encontro com a etica das profissões que trabalham com pessoas eque devem as respeitar.
Ana victoria pinheiro
UNIFTC
2° semestre

Responder
Queren Hapuc Ferrira 11 de maio de 2020 - 12:27

O contexto retratado no primeiro episódio da série médica “ The Resident ” evidencia atitudes discrepantes no cotidiano hospitalar, no qual a negligência médica, a comercialização da saúde e a ocultação de erros em procedimentos são reflexos das distorções éticas. Por essa razão, a expectativa em “salvar vidas” frustra-se da realidade, à medida em que o humanismo deixa de existir na Medicina em detrimento da ocupação do capitalismo.

Aluna: Queren Hapuc Ferreira dos S.Silva.
Curso: Odontologia- 1° semestre.
UniFTC

Responder
Letícia Fernandez Costa 11 de maio de 2020 - 12:01

A serie mostra o dia a dia dos médicos. No primeiro episodio é possível ver as negligencias cometidas por eles, como nesse caso foi tirar fotos durante a cirurgia, não levando a serio o trabalho e a situação, após isso ocorreu um erro medico que levou o paciente a orbito e o Dr.Bell induziu a sua equipe a mentir sobre o que levou o paciente a orbito para poder se acobertar.

Uniftc
Letícia
Odontologia – 1° semestre

Responder
Lucas Andrade 11 de maio de 2020 - 11:26

No meu ver, no ramo da saúde os profissionais acabam se relacionando bastante com alguns pacientes, e isso é uma coisa comum do ser humano, mas as vezes temos que deixar a sensibilidade de lado e fazer o que é certo, o que seja melhor para o paciente mas sempre com a permissão da família. O capitalismo está cada vez mais presente no ramo da saúde com inovações tecnológicas para melhoria dos procedimentos, na série mostra uma maquina capaz de realizar cirurgias com alta precisão, acabando assim com as possibilidades de um erro médico durante um procedimento.

UNIFTC Odontologia 2 Semestre
Aluno: Lucas Andrade Peçanha Martins

Responder
Thay Silva 11 de maio de 2020 - 00:43

A série inicia com a realização do que deveria ser uma cirurgia simples. Porém profissionais que estavam envolvidos naquele procedimento começaram a registrar aquela cena, desrespeitando o paciente, o que é extramente hipócrita, já que esse não seria o comportamento adequado. Acredito que haja sim sensibilidade, por aqueles que levam a vida de um paciente a sério, entretanto, não descarto que haja as relações capitalistas, e que esteja mais presente do que deveria.

Responder
Beatriz Santana 10 de maio de 2020 - 23:21

É uma série americana de TV , que mostra o lado “oculto” da medicina, pois na série, os médicos enfrentam um desafio todos os dias e eles tem que escolher quem vive e quem morre diariamente. Dessa forma, causando problemas profissionais e pessoais. The Resident mostra o lado positivo e negativo que a medicina tem e não é exposta para o público ou seja, para os pacientes, Muito interessante assistir e ler sobre uma profissão tão importante.

Responder
Adriane da Silva Paranaguá 10 de maio de 2020 - 10:10

A série mostra as desavenças, as negligências e até onde uma pessoa vai para manter um status e sua vida financeiramente bem, deixa a desejar sobre a vida dos pacientes. A história mostra o lado dos princípios éticos quando um cirurgião perde um paciente por erro médico, se oculta o verdadeiro motivo da morte do paciente para encobrir o acontecido.

Aluna : Adriane da Silva Paranaguá
Odontologia / 2 semestre

Responder
Tainá de Oliveira Costa 10 de maio de 2020 - 09:51

De início a série demonstra várias negligências da parte do famoso Dr. Bell, coordenador de cirurgia que ao perder um paciente por uma falha médica, induz toda a sua equipe a acobertar essa mentira. Já por outro lado, o interno Dr. Devon enfrenta uma dura realidade quando o residente Dr. Hawkins impõe suas regras nada convencionais. Dando início ao uma longa crítica de princípios éticos ao longo da série.

Aluna: Tainá de Oliveira Costa
2 semestre – Odontologia

Responder
Tainá de Oliveira Costa 10 de maio de 2020 - 09:38

De início a série demonstra várias negligências da parte do famoso Dr. Bell, coordenador de cirurgia que ao perder um paciente por uma falha médica, induz toda a sua equipe a acobertar essa mentira. Já por outro lado, o interno Dr. Devon enfrenta uma dura realidade quando o residente Dr. Hawkins impõe suas regras nada convencionais. Dando início ao uma longa crítica de princípios éticos ao longo da série.
Aluna: Tainá de Oliveira Costa
2 semestre – Odontologia

Responder
Analice Santos 9 de maio de 2020 - 08:43

The Resident, é uma série de Tv Americana , transmitida originalmente pelo Fox . A história segue o jovem médico Devon Pravesh , que começa seu primeiro dia , sobre a supervisão de brilhante e austero residente Sênior Conrad Hawkins que revela o lado bom e o mau da medicina moderna .
Nesse drama , que acompanha um de médicos do hospital Chastain Memorial , eles enfrentam desafios pessoais e profissionais diariamente, e as vidas podem ou não ser salvas , mas as expectativas serão sempre destruídas .
Instituição: UniFtc
Curso : Enfermagem
Aluna: Acacia Oliveira Nogueira
Turno : noturno / 1 semestre

Responder
Jeisiane Santos 8 de maio de 2020 - 23:17

O primeiro episódio da série retrata o penhasco entre a expectativa e a realidade de ser um médico. Trazendo um contexto atual, expõe as desavenças profissionais e até onde essas pessoas são capazes de ir para manter um status e se manter financeiramente bem sem se importar com os pacientes que lhe confiaram a vida.
No ramo da saúde não só há um espaço para sensibilidade como é um pré-requesito de suma importância para aqueles que dedicam a vida para cuidar de outras pessoas. Contudo, as ambições capitalistas modificaram o real sentido do que é ser um profissional da saúde. Uma vez que o retorno financeiro se tornou muito mais imprtante do que ser verdadeiramente um profissional de referência.

UNIFTC
Jeisiane Santos da Conceição
2º semestre de Medicina Veterinária

Responder
Stella 8 de maio de 2020 - 17:15

A série The resident, trás um contexto tanto atual quanto crítico da realidade do cotidiano hospitalar , no que tange a área da saúde sob um olhar mais humanista no qual os princípios bioéticos , podemos perceber de forma até crítica que estes princípios nem sempre são adotados , e o hospital o qual se passa o seriado, Chastain Memorial, nos remete a pensar que no cotidiano e no universo real, os acontecimentos se assemelham a muitos outros .

UNIFTC
Stella Costa
Enfermagem 1 semestre ,

Responder
Alice Nunes 8 de maio de 2020 - 12:38

A série ”The Resident” faz uma abordagem sobre o dia a dia do exercício medico em um hospital. Retrata o comportamento dos médicos e como funciona a ralação da administração hospitalar.
Logo no inicio médicos aparecem tirando selfie e postando em redes sociais em meio a uma cirurgia, já mostrando que não levam a sério o ambiente hospitalar. Há interesses pessoais no exercício da profissão, onde o mais importante é ser destacado enquanto profissional, e não no cuidado com os pacientes, são poucos aqueles que estão ali por dedicação e cumprindo seu juramento. Mostra também uma situação em que um médico dedicado em salvar vidas se vê em uma situação difícil, mas ouve que será premiado pelo hospital por manter uma paciente (que já não tem esperanças), mas está sendo uma fonte de renda, pela diária paga pelos familiares. Há também condutas médicas de prescrição de medicações e exames desnecessários.
Por fim ocorre situação, que após o falecimento de paciente por erro médico, se oculta o verdadeiro motivo da morte do paciente para encobrir o acontecido.
UNIFTC
Alice Nunes do Sacramento Almeida
Nutrição 1º Semestre Matutino

Responder
Hanna Paganucci 7 de maio de 2020 - 20:24

No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relaçoes capitalistas.
No ramo de saúde há espaço para sensibilidade pois estamos falando de uma área que lida diretamente com o ser humano, e se não houver isso grande parte do que a saúde busca não vai ocorrer, que é o cuidado. Porém é importante conter a relação com o capitalismo, visto que qualquer profissional precisa cuidar de si próprio e da sua saúde e alimentação o que só será possível a partir do dinheiro, até para poder cuidar de outras pessoas.
Aluna: Hanna Paganucci
UNIFTC/ ODONTOLOGIA / 2°Semestre

Responder
Chirlei Maia 7 de maio de 2020 - 10:10

The Resident é uma série de TV americana, que conta a história de um jovem médico chamado Devon Pravesh, que começa seu primeiro dia sob a supervisão do residente Conrad Hawkins, que revela o lado bom e mal da medicina moderna. Nesse drama, que acompanha um grupo de médicos do Hospital Chastain Memorial, eles enfretam desafios pessoais e profissionais diariamente e as vidas podem ou não ser salvas, mas as expectativas serão sempre destruídas.

Responder
caroline de Souza machado 7 de maio de 2020 - 00:06

The Resident mostra o cotidiano hospitalar, as relações inter e intrapessoais e como isso pode atrapalhar/ajudar no dia dia. Inicialmente podemos ver uma negligencia medica provocada por um renomado cirurgião que tenta cobrir seu erro arriscando a carreira de outra pessoa, em outro momento podemos ver um medico tipico ”garanhão” cheio de truques na qual muitos são eficientes e o medico estagiário que se destaca no seu primeiro dia de atendimento. Diante toda rotina medica, podemos ver também a falta de ética de vários profissionais, subornos e chantagens, tudo isso para alimentar um sentimento egoísta e mesquinho para se manter como melhor profissional diante a sociedade, apesar de ser o primeiro capitulo, podemos identificar com muita clareza o objetivo e enredo desta fantástica serie.

Aluna: Caroline de Souza Machado
UNIFTC/ NUTRIÇÃO / 1°Semestre / MATUTINO

Responder
Cibele Araújo 6 de maio de 2020 - 21:38

Relata o lado verdadeiro de uma carreira profissional na área da saúde mostrando imprudências médicas, profissionais mais experientes julgando o “certo” e o “errado” e os erros médicos alguns deles cometidos sem mais intenções e sim como parte do processo de crescimento profissional.

Discente: Cibele de Araújo Silva
UNIFTC/ ENFERMAGEM / 1°Semestre / Noturno

Responder
Amanda 6 de maio de 2020 - 21:37

O seriado The Resident mostra o lado oculto da medicina, os bastidores de um hospital. Nós primeiros minutos retrata a irresponsabilidade dia profissionais quando usam o celular na sala de cirurgia, retratando o cotidiano nas pessoas que estão sempre conectado e com a necessidade de mostrar sua rotina. O seriado retrata também o capitalismo passando por cima da bem primordial que é a vida, confrontando o ético e o capitalista .
Amanda Sampaio Ogando
Nutrição
amandasampogandoo@gmail.com

Responder
Alessandra Ramos Daltro 6 de maio de 2020 - 21:18

No primeiro episódio da série “The Resident”, começa com uma demostração de negligência pela equipe durante uma cirugia de um devido paciente, os médicos começaram a “brincar” com a vida de alguém tirando selfies do momento e fazendo a maior graça quem por sua vez está no comando é o tão importante Dr. Bell, o coordenador do centro cirúrgico. O paciente acaba morrendo por um erro médico dele, demostrando que não possui nenhuma ética profissional como fazem nos juramentos. As falhas do médico são encobertas e os demais profissionais se sentem muito ameaçados. Fazendo insinuações de que o paciente não faleceu pela mão dele todos concordam por medo. Em meio a isso tudo o residente Devon Pravesh chega ao hospital mostrando o quanto é importante salvar vidas tendo um pensamento diferente do médico. Dando início a uma longa crítica que será debatida durante a série.
Aluna: Alessandra Ramos Daltro
Odontologia/2 semestre. Uniftc

Responder
Analice Santos 6 de maio de 2020 - 20:38

O episódio da série “The Resident” nos passa o que não é tão abordado, que alguns profissionais da saúde que deveriam dar prioridade ao bem estar do paciente, infelizmente, visam muito o lucro em torno disso. Neste episódio percebemos os dois lados da moeda: O capitalista (Dr. Bell) e o Ético (Devon). É necessário que os profissionais da saúde tenham mais compaixão, e se coloquem no lugar do outro antes de certas atitudes, e agir como Devon pois ele sempre busca dar o seu melhor para manter o paciente bem.
|
Discente: ANALICE SANTOS SILVA
UniFTC/ ENFERMAGEM / 1° semestre/ NOTURNO

Responder
Bianca dos Santos Rocha Silva 6 de maio de 2020 - 19:38

O primeiro episódio da série “The Resident” abordar de forma ficcional diversas temáticas presentes na realidade da saúde pública, que muitas vezes não chega ao conhecimento de toda população. Mostra intimamente os bastidores dos hospitais, e levanta uma questão importante a ser debatida quando aborda que a terceira causa da morte da maioria dos estadunidenses é ocasionada por erros médicos, isso demonstra que a ética profissional pregada nas universidades é deixada de lado e oque voga é o capitalismo, onde os lucros são mais importantes que os próprios pacientes. Mas deixa explícito que existe profissionais competentes e que estão ali para por em prática o seu trabalho e zela acima de tudo a vida dos seus pacientes.

Discente: Bianca dos Santos Rocha Silva.
UniFTC/ Nutrição/ 1 semestre/ Matutino.

Responder
Maria Laura Baptista da Silva 6 de maio de 2020 - 19:31

O primeiro episódio da série “The Resident”, demonstra logo nos seus primeiros minutos uma das negligencias cometidas pelos médicos, onde uma equipe medica realizam selfies em meio a uma operação cirúrgica, onde quem estar no comando é o tão glorificado Dr. Bell,o coordenador do centro cirúrgico, o mesmo que é responsável por se tornar muitos de seus colegas negligentes como ele. Em um ambiente onde o ideal é salvar vidas, acaba se tornando uma opção, quando o meio capital estar em jogo. Visando assim, o ocultar os principais erros médicos, principalmente pelo o coordenador, onde o próprio prefere esconder o seu problema na mão para não perder o seu posto tão querido por muitos. Demonstrando assim, logo nesse primeiro episódio, que o comprometimento profissional é deixado de lado, uma visão nada distinta do mundo real.
Aluna: Maria Laura Baptista/ Curso: Nutrição(Matutino)/UNIFTC Paralela

Responder
Bianca dos Santos Rocha Silva 6 de maio de 2020 - 19:18

O primeiro episódio da série “The Resident” abordar de forma ficcional diversas temáticas presentes na realidade da saúde pública, que muitas vezes não chega ao conhecimento de toda população. Mostra intimamente os bastidores dos hospitais, e levanta uma questão importante a ser debatida quando aborda que a terceira causa da morte da maioria dos estadunidenses é ocasionada por erros médicos, isso demonstra que a ética profissional pregada nas universidades é deixada de lado e oque voga é o capitalismo, onde os lucros são mais importantes que os próprios pacientes. Mas deixa explícito que existe profissionais competentes e que estão ali para por em prática o seu trabalho e zela acima de tudo a vida dos seus pacientes.

Discente: Bianca dos Santos Rocha Silva.
UniFTC/ Nutrição/ 1 semestre/ Matutino.

Responder
Bruna Santos Ribeiro 6 de maio de 2020 - 18:57

A série “The Resident” nos passa o que não é tão abordado, como por exemplo, a saúde era pra ser a prioridade mas infelizmente o que acontece é que eles visam muito o lucro em torno disso, percebe-se que a tecnologia em um ponto ajuda a todos, mas sendo usada na hora errada pode causa sérios problemas. Para Dr.Bell é difícil assumir que possui um problema na mão e como ele tem o cargo de cirurgião se começar a tremer pode acabar levando este paciente a óbito como foi o que ocorreu no início, então para manter seu cargo ele usa a Dr. Okafor para fazer a cirurgia ao vivo iludindo a todos, como se fosse ele que estivesse operando. É necessário que o profissional tenha mais compaixão, e se coloquem no lugar do outro antes de certas atitudes, e agir como Devon pois ele sempre busca da o seu melhor para manter o paciente bem.
Uniftc- Paralela, Curso- Nutrição, matutino 1° semestre.

Responder
Bruna Santos Ribeiro 6 de maio de 2020 - 18:57

A série “The Resident” nos passa o que não é tão abordado, como por exemplo, a saúde era pra ser a prioridade mas infelizmente o que acontece é que eles visam muito o lucro em torno disso, percebe-se que a tecnologia em um ponto ajuda a todos, mas sendo usada na hora errada pode causa sérios problemas. Para Dr.Bell é difícil assumir que possui um problema na mão, e como ele tem o cargo de cirurgião se começar a tremer pode acabar levando este paciente a óbito como foi o que ocorreu no início, então para manter seu cargo ele usa a Dr. Okafor para fazer a cirurgia ao vivo iludindo a todos, como se fosse ele que estivesse operando. É necessário que o profissional tenha mais compaixão, e se coloquem no lugar do outro antes de certas atitudes, e agir como Devon pois ele sempre busca da o seu melhor para manter o paciente bem.

Responder
Maria Laura Baptista da Silva 6 de maio de 2020 - 18:43

O primeiro episódio da série “The Resident”, demonstra logo nos seus primeiros minutos uma das negligencias cometidas pelos médicos, onde uma equipe medica realizam selfies em meio a uma operação cirúrgica, onde quem estar no comando é o tão glorificado Dr. Bell,o coordenador do centro cirúrgico, o mesmo que é responsável por se tornar muitos de seus colegas negligentes como ele. Em um ambiente onde o ideal é salvar vidas, acaba se tornando uma opção, quando o meio capital estar em jogo. Visando assim, o ocultar os principais erros médicos, principalmente pelo o coordenador, onde o próprio prefere esconder o seu problema na mão para não perder o seu posto tão querido por muitos. Demonstrando assim, logo nesse primeiro episódio, que o comprometimento profissional é deixado de lado, uma visão nada distinta do mundo real.
Aluna: Maria Laura Baptista/ Curso: Nutrição(Matutino)/UNIFTC Paralela

Responder
Bianca dos Santos Rocha Silva 6 de maio de 2020 - 18:27

O primeiro episódio da série “The Resident” abordar de forma ficcional diversas temáticas presentes na realidade da saúde pública, que muitas vezes não chega ao conhecimento de toda população. Mostra intimamente os bastidores dos hospitais, e levanta uma questão importante a ser debatida quando aborda que a terceira causa da morte da maioria dos estadunidenses é ocasionada por erros médicos, isso demonstra que a ética profissional pregada nas universidades é deixada de lado e oque voga é o capitalismo, onde os lucros são mais importantes que os próprios pacientes. Mas deixa explícito que existe profissionais competentes e que estão ali para por em prática o seu trabalho e zela acima de tudo a vida dos seus pacientes.

Discente: Bianca dos Santos Rocha Silva.
UniFTC/ Nutrição/ 1 semestre/ Matutino.

Responder
Bruna alves 6 de maio de 2020 - 18:26

No episódio disponibilizado, é apresentado o Dr. Soloman Bell, um médico antiético e amoral, é perceptível que o mesmo tem uma doença nas mãos, que mesmo estando doente participa de uma cirurgia, e a negligência é nítida tanto da parte do Dr. Bel como de outros médicos ali presentes, que tiram selfies em meio a uma cirurgia, colocando a vida do pacientes em risco, no caso desses, o paciente veio a óbito. Em correlato, tem o novo residente que é notório que enfrentará empecilhos na trajetória dentro daquele hospital, o Devon conhece seu chefe residente Contad, cheios de técnicas e uma bagagem de experiências, ele mostrará ao Devon o outro lado da medicina aplicada naquele hospital. A série retrata uma medicina mercantilista, onde o capitalismo é sobreposto a vidas, é destacado nesse episódio numa frase dita Nicolette Nevin ” …a medicina não é praticada por santos Devon, é um negócio..” é claro que a problemática abordada é a negligência, a falta de ética, moral e o capitalismo acima de tudo!
Aluna: Bruna Jesus Alves dos Santos
Curso: Nutrição- Matutino-2020.1

Responder
Bruna Santos Ribeiro 6 de maio de 2020 - 18:08

A série “The Resident” nos passa o que não é tão abordado, como por exemplo, a saúde era pra ser a prioridade mas infelizmente o que acontece é que eles visam muito o lucro em torno disso, percebe-se que a tecnologia em um ponto ajuda a todos, mas sendo usada na hora errada pode causa sérios problemas. Para Dr.Bell é difícil assumir que possui um problema na mão, e como ele tem o cargo de cirurgião e se começar a tremer pode acabar levando este paciente a óbito como foi o que ocorreu no início, então para manter seu cargo ele usa a Dr. Okafor para fazer a cirurgia ao vivo iludindo a todos, como se fosse ele que estivesse operando. É necessário que o profissional tenha mais compaixão, e se coloquem no lugar do outro antes de certas atitudes, e agir como Devon pois ele sempre busca da o seu melhor para manter o paciente bem.

Responder
Jamile Souza 6 de maio de 2020 - 18:02

No primeiro episódio da série, é possível notar a cadeia hierárquica entre os profissionais do hospital. Apesar de uma excelente formação na universidade de harvard, o jovem e inexperiente Devon Pravesh (Manish Dayal) é submetido a concordar sem questionar com os comandos dado pelo residente Conrad Hawkins.
Diversas situações que remetem a uma realidade universal é atuada, dentre elas a falta de ética e moral de alguns profissionais, sobretudo a do Dr. Soloman Bell, que apesar de ter renome, passa por um grande estorvo, que evidentemente interromperá sua carreira, além do mais importante em sua visão, o faturamento, que por sua vez, boa parte do mesmo é injusto.
Dentre diversas temáticas abordadas no episódio da série, a que circunda é a contraposição de culturas e personalidades para atuar em uma única esfera, a de salvar vidas.
Jamile Souza dos Reis
Nutrição (2020-1)
Matutino

Responder
Jade Botelho Jade 6 de maio de 2020 - 15:46

O episódio da série “The resident” aborda a realidade interna de um hospital, questões como a falta de ética dos médicos em uma cirugia, uma crítica sobre o sistema de saúde e a discursão sobre os erros médicos que são escondido, o sistema que que só pensa no negócio e no seu lucro, deixando a principal função de um medico de lado,a vida dos pacientes. E nos monstra que mesmo sabendo toda a teoria, na pratica se torna bem diferente.

Aluna jade Brandão Botelho do Carmo
Curso nutrição 2020.1 noturno

Responder
Clara Ribeiro Del Rei de Jesus 6 de maio de 2020 - 14:12

No episódio piloto os espectadores são apresentados ao Doutor Bell, celebridade médica acometida por uma doença que prejudica os seus movimentos. Isso já bastaria para que ele se afastasse das mesas de cirurgia, entretanto, o mesmo continua a realizar procedimentos que terminam na maioria das vezes em óbito dos pacientes. Graças ao seu prestígio e poder no hospital, as falhas são encobertas e os demais profissionais ameaçados para que ele continue com a sua reputação intacta, e dessa forma permaneça a receber investimentos.
Em paralelo a isso o jovem residente Devon Pravesh é apresentado ao Conrad que o orientará nessa etapa da formação. Nesta relação é perceptível a diferença entre o pensamento de ambos, enquanto Pravesh está cheio de expectativas com a nova fase e a missão de salvar vidas; Conrad pela maior experiência, sabe que a medicina não é apenas sobre pessoas e suas vidas, há muito mais questões implícitas na área como a negligência, falta de ética, dinheiro, arrogância e prestígio.
Portanto, ao término do primeiro episódio fica evidente as questões que a série abordará pelo menos na sua primeira temporada como: mercantilização da saúde, erros médicos, interesses privados sobreposto sobre a vida dos pacientes e outros pontos por vezes pouco debatidos da medicina.

Uniftc
Curso: Odontologia 2020.1, turma A
Professor: Leonardo Campos
Matéria: Língua Portuguesa
Aluna: Clara Ribeiro Del Rei de Jesus

Responder
Thailly Scheidegger 6 de maio de 2020 - 14:12

O episódio “Piloto” surpreende muito ao sair da esfera convencional do que se espera de séries/filmes sobre médicos. Ao longo do episódio, ele vai desmanchando a ideia fantasiosa e romantizada sobre a profissão e o meio hospitalar, trazendo uma percepção mais condizente com a realidade, isto é mostrado através da conduta do famoso Dr. Bells, um cara egocêntrico e em grande estado de negação da realidade além de ganancioso, deixando claro que corruptos, infratores e pessoas de mau caráter estão em todos os lugares e que se é preciso saber como lidar com todas essas adversidades da realidade a fim de um bem maior que no caso do episódio seria o bem estar dos pacientes e a preservação da vida, seja do paciente ou dos seus familiares. Aluna: Thailly Scheidegger Curso: Enfermagem (2020.1) Turno: Noturno

Responder
Paloma 6 de maio de 2020 - 14:07

Já no primeiro episódio da série “The
Resident” é abordado várias temáticas,logo a princípio,na primeira cena é mostrado a negligência tanto na incapacidade do chef de cirurgia tanto dos outros profissionais da saúde que estavam presentes se distraindo com o celular, após o Dr.Bell matar o paciente,ao invés dele relatar o seu problema e se afastar da profissão ele quis encobrir os fatos por imodéstia e fama.Outros aspectos que são retratados são:as relações interpessoais entre os profissionais do hospital,a tecnologia sendo implementada para auxiliar os médicos promovendo uma divulgação e despertando o interesse do público alvo.

FTC
ALUNA-Paloma verusa
CURSO-Nutrição
TURNO-Noturno

Responder
raianeamaral 6 de maio de 2020 - 11:17

O episódio inicia expondo uma total falta de ética dos médicos em meio a uma cirurgia. No encontro do residente com seu supervisor, é perceptível que ele encontrará muitos obstáculos em sua jornada. Ao decorrer do episódio, percebemos o lado obscuro da medicina, médicos inseridos em um sistema que visa lucros e negócios, negligenciando a vida dos pacientes. Isso nos faz refletir, sobre a realidade do mercado de trabalho, cheio de desafios e decisões muitas vezes tomadas sob pressão, que trazem consequências inrrervessiveis, como a morte de um paciente. Instigante, o piloto cumpre o papel de deixa o espectador curioso para os próximos episódios.

Raiane Amaral – Enfermagem 2020.1 (Noturno)

Responder
raianeamaral 6 de maio de 2020 - 00:31

O episódio inicia exibindo uma total falta de ética dos médico em meio a uma cirurgia. No encontro do residente com seu supervisor, é perceptível que ele encontrará muitos obstáculos em sua jornada. Ao decorrer, percebemos o lado obscuro da medicina, médicos inseridos em um sistema que visa lucros e negócios, negligenciando a vida dos pacientes. Isso nos faz refletir, sobre a realidade do mercado de trabalho, cheio de desafios e decisões muitas vezes tomadas sob pressão, que trazem consequências inrrervessiveis, como a morte de um paciente. Instigante, o piloto cumpre o papel de deixa o espectador curioso para os próximos episódios.

Raiane Amaral
Enfermagem 2020.1
Noturno

Responder
raianeamaral 5 de maio de 2020 - 23:39

O episódio inicia mostrando uma total falta de ética dos médico em meio a uma cirurgia. No encontro do residente com seu supervisor, é perceptível que ele encontrará muitos obstáculos em sua jornada. Ao decorrer, percebemos o lado obscurso da medicina, médicos inseridos em um sistema que visa lucro e negócio, negligenciando a vida dos pacientes. Isso nos faz refletir,a sobre a realidade do mercado de trabalho, cheio de desafios e decisões muitas vezes tomadas sob pressão, que trazem consequências inrrervessiveis, como a morte de um paciente. Instigante, o piloto cumpre o papel de deixa o espectador curioso para os próximos episódios.

Raiane Amaral – Enfermagem 2020.1 (Noturno)

Responder
Letícia Carrilho 5 de maio de 2020 - 23:22

O primeiro episódio é marcado pela falta de humanidade, destacando como o capitalismo vem corroendo cada vez mais a compaixão na área de saúde, e como o sistema de hieraquirzação tem sido manipulado em função daqueles que tem maior poder. Dando início a uma longa crítica que será debatida ao longo da temporada sobre o sucateamento do sistema de saúde e a falta de empatia devido ao desejo de prestígio social.

Aluna- Letícia de Jesus Carrilho da Silva –
Curso- ENFERMAGEM MATUTINO
1º semestre

Responder
Leticia Carrilho 5 de maio de 2020 - 23:21

O primeiro episódio é marcado pela falta de humanidade, destacando como o capitalismo vem corroendo cada vez mais a compaixão na área de saúde, e como o sistema de hieraquirzação tem sido manipulado em função daqueles que tem maior poder. Dando início a uma longa crítica que será debatida ao longo da temporada sobre o sucateamento do sistema de saúde e a falta de empatia devido ao desejo de prestígio social.

Aluna- Letícia de Jesus Carrilho da Silva –
Curso- Enfermagem Matutino- 1 semestre

Responder
sthefanie lorrane 5 de maio de 2020 - 23:15

No primeiro episódio da série é possível ver que eles valorizam muito o lucro, quando na verdade a prioridade deveria ser o paciente e sua saúde, desta forma agindo com sensibilidade e empatia por seu paciente, e é notável também como os médicos são alienados a todo momento.

Aluna: sthefanie lorrane cernadas de Moura
Curso: nutrição, noturno.

Responder
sthefanie lorrane 5 de maio de 2020 - 23:15

No primeiro episódio da série é possível ver que eles valorizam muito o lucro, quando na verdade a prioridade deveria ser o paciente e sua saúde, desta forma agindo com sensibilidade e empatia por seu paciente, e é notável também como os médicos são alienados a todo momento.

Aluna: sthefanie lorrane cernadas de Moura
Curso: nutrição, noturno.

Responder
sthefanie lorrane 5 de maio de 2020 - 22:48

No primeiro episódio da série é possível ver que eles valorizam muito o lucro, quando na verdade a prioridade deveria ser o paciente e sua saúde, desta forma agindo com sensibilidade e empatia por seu paciente, e é notável também como os médicos são alienados a todo momento.

Aluna: sthefanie lorrane cernadas de Moura
Curso: nutrição, noturno.

Responder
Leticia Ramos 5 de maio de 2020 - 22:41

Em todas as áreas ,e em principal a área de saúde , é necessário um olhar humanizado para com o outro , seja ele seu cliente ou paciente . Porém principalmente na área da saúde em especial a medicina , onde a vida e o futuro do seu paciente estar em suas responsabilidade , é preciso haver um olhar mais cuidadoso , o que não vemos em alguns casos , em redes de hospitais ou clinicas particulares , o capital é visto como o mais importante , fazendo então com que alguns Médicos tomem escolhas que iram prejudicar os paciente , como vimos em cenas da Série The resident , onde mostra duas versão da medicina , ” a Boa e a Má ” . Portanto é preciso que esse olhar humanizado, seja o que prevaleça em nossos profissionais de saúde , fazendo com que ele não esqueça de seus juramentos , feitos quando ainda eram um mero estudante , e que tenham casa dia mais um olha sensibilizador para com o próximo .
Leticia Ramos Silva
Curso :Psicologia
Segundo semestre noturno .

Responder
Lívia Santos 5 de maio de 2020 - 22:41

A série “The resident’’ aborda a realidade interna de um hospital, onde o médico cirurgião Dr. Bell comete um grande erro levando o paciente á orbito e esconde a situação por egoísmo e fama, pois mesmo sabendo que não é qualificado o suficiente, o médico cirurgião prefere não abrir mão da sua profissão, visando sempre o lucro e a fama.
Aluna: Lívia Jesus dos Santos
Curso: Nutrição, 1º semestre
Turno: Noturno

Responder
Evellin Araújo 5 de maio de 2020 - 22:22

A serie se passa em um importante hospital em Atlanta, onde podemos perceber que o ego do ser humano chega a ser maior do que o paciente que ele está perdendo ali na mesa de cirurgia. Quando a fama e o dinheiro chega a corromper o profissional que jurou cuidar da vida do outro. Mostra a realidade do hospital para um medico recém formado idealista, e ai ele passa a ver na pele que a realidade é muito diferente do que ele imaginava.

Evellin Araújo
Nutrição 1º semestre -Noturno

Responder
Brenda Oliveira 5 de maio de 2020 - 22:06

Iniciado por uma cena absurda, aonde médicos quebram toda a ética profissional utilizando aparelhos eletrônicos para tirar ” selfie ” no momento em que uma cirurgia acontece, o episódio mostra uma série de acontecimentos onde a experiência profissional dirige o resultado de cada operação, e consequentemente retrata um ambiente de trabalho onde interesses econômicos e práticas indevidas se tornam recorrentes. A série nos impulsiona a refletir sobre como o papel do profissional de saúde é importante para cada vida, e como um erro, ou ação antiética, pode interferir negativamente em cada uma delas.

Aluna: Brenda Oliveira Silva
Curso: Nutrição – Noturno
Turma: 04_ NUT1AN

Responder
Carolina Alves pereira 5 de maio de 2020 - 21:48

The Resident começa com uma importante discussão sobre os erros médicos, já que como todos sabemos, alguns desses erros são cometidos sem más intenções, como parte do processo de crescimento de um profissional. Contudo, o foco se torna o erro criminalizado, voltado para o oportunismo financeiro, há uma série de situações dramáticas provocadas pela ambição desmedida dos planos de saúde e clínicas especializadas.

UNIFTC- Carolina Alves pereira
NUTRIÇÃO/MATUTINO/1 Semestre

Responder
Lucilede Monteiro 5 de maio de 2020 - 21:25

A série relata o cotidiano de profissionais que de imediato querem demostrar os seus conhecimentos,mas esbarram numa realidade que os jogam dentro de um sistema,onde serão explorados física e mentalmente e tendo que lhe dá com médicos que visam crescimentos lucrativos sem se preocupar com as vidas e que muitas vezes não diferencia de outras profissões.

Responder
Carla Rogéria Souza da Silva 5 de maio de 2020 - 20:45

O filme fala sobre a realidade dentro de um hospital, como é a prática e como pode ser aplicada a teoria no dia a dia, a realidade é bem diferente do que se imagina, médicos antigos que já não acompanham a tecnologia de hoje, médicos que salvam vidas com práticas diferentes do que dizem os livros, e iniciantes que chegam com toda a teoria na cabeça, mas percebe que salvar vidas é muito maior que tudo aquilo que ele aprendeu no faculdade, mostra até onde vai a vaidade de um médico, ele mata pessoas por não conseguir mais fazer o seu trabalho, e mesmo assim não abre mão da profissão.

Responder
Vitória Melo Batista 5 de maio de 2020 - 20:21

The residente revela o lado bom e mau da medicina moderna.Nesse drama, que acompanha um grupo de médicos do Hospital Chastain Memorial, eles enfretam desafios pessoais e profissionais diariamente e as vidas podem ou não ser salvas, mas as expectativas serão sempre destruídas. Em meio aos desafios diários do hospital, percebem-se que a profissão é mais desafiadora do que parece, assim como o novato Devon Pravesh (Manish Dayal) pensou.
Aluna: Vitória Melo Batista
Curso: Nutrição/Noturno

Responder
Tais de Jesus dias 5 de maio de 2020 - 20:21

O início da série The resident fez criarmos expectativas sobre como seria o primeiro dia de residente, mas foram totalmente frustradas com a realidade. Mostrando como pode ser difícil o dia-a-dia de um médico, que muitas decisões terá que ser tomadas e muitas dessas diferentes do que se aprendeu na faculdade, independente em qual instituição tenha estudado.
Mostrando que a realidade é diferente, não totalmente, mas, diferente do que se aprende nos livros.

Enfermagem -2020.1
TAIS DE JESUS DIAS
Noturno

Responder
victoria pelegrin 5 de maio de 2020 - 20:14

No primeiro episódio de The Resident, podemos perceber a negligencia médica, a ignorancia, a ganancia e o poder utilizados pelo renomado Dr. Bell, onde usa a medicina de uma forma inapropriada, fazendo com que seus pacientes morram. Além do uso de seu poder para oprimir e ameaçar uma residente. A serie tem dois lados , um lado onde vemos a pior parte do ramo da saúde, o capitalismo sobressaindo juntamente com a arrogancia, e por outro lado temo Devon, Conrad e nic que tentam de todos os jeitos ajudar os seus pacientes, o que deveria ser feito por todos no ramo da saúde.
Dados: Victoria Mendonça Pelegrin, Enfermagem, Matutino, terças as 7:30

Responder
Laís Albuquerque 5 de maio de 2020 - 20:14

A serie The Residente é uma dramaturgia bastante contemporânea em que
trás uma reflexão de como se encontra os hospitais por aí e como os
profissionais da área se colocam perante aos problemas da vida, discutindo diversos tema. Outra coisa bastante importante é que a serie mostra como a medicina esta mercantilizado atualmente e em como muitos medicos estao de olho no lucro e nao apenas em salvar vidas.
Aluna: Laís Albuquerque Borges
UNIFTC- paralela/ enfermagem- 1 semestre

Responder
victoria pelegrin 5 de maio de 2020 - 20:14

Dados: Victoria Mendonça Pelegrin, Enfermagem, Turma das 7:30, às terças.
No primeiro episódio de The Resident, podemos perceber a negligencia médica, a ignorância, a ganancia e o poder utilizados pelo renomado Dr. Bell, onde usa a medicina de uma forma inapropriada, fazendo com que seus pacientes morram. Além do uso de seu poder para oprimir e ameaçar uma residente. A serie tem dois lados , um lado onde vemos a pior parte do ramo da saúde, o capitalismo sobressaindo juntamente com a arrogância, e por outro lado temo Devon, Conrad e nic que tentam de todos os jeitos ajudar os seus pacientes, o que deveria ser feito por todos no ramo da saúde.

Responder
Lívia Marinho 5 de maio de 2020 - 19:47

A série ” The resident ” acompanha o cotidiano de profissionais da área de saúde em seu ambiente de trabalho. Ademais, ao longo da trama, são evidenciadas diversas atitudes antiéticas por parte dos profissionais, como cirurgiões tirando fotos durante um procedimento cirúrgico, o cirurgião chefe cometendo um erro fatal e, logo em seguida, culpando outro médico, além de chantagear a equipe para não relatar oque ocorreu. Vale ressaltar também que, a corrupção, mentira, e a mercantilização da saúde, se fazem presentes na série.

Aluna: Lívia Maria Marinho Candido
Curso: Enfermagem / 1° semestre
Turno : matutino

Responder
Andrêza Maiara Borges Lemos 5 de maio de 2020 - 19:47

The Resident aborda um tema polêmico sobre a realidade que os profissionais de saúde vem enfrentando, sobre a personalidade de cada um e a rotina de trabalho. A série consegue retratar um cenário totalmente em volta disso, de como muitos médicos observam, como sabem o que acontece porém são forçados a ficarem calados e sobre o erro médico.

Estudante: Andrêza Maiara Borges Lemos
Curso: Enfermagem Noturno.
Semestre: 2020.1
Professor: Leonardo Campos

Responder
Verônica Paranhos 5 de maio de 2020 - 19:47

No ramo da saúde deve haver, obrigatoriamente, espaço para a sensibilidade, da mesma forma que há o envolvimento inevitável com o capitalismo nesse contexto, considerando que é um sistema atravessado por diversas questões que o mantém funcionando. Porém, enquanto profissionais da saúde, é elementar observar e compreender o outro (ou o paciente) em todo o seu complexo, não apenas ponderando sua condição fisiológica, que nesse caso é indissociável e também necessita atenção.

Responder
Suiian Dos Santos 5 de maio de 2020 - 19:47

A série “The Resident” retrata no primeiro episódio de forma explicita a negligência por parte dos funcionários do hospital para com os pacientes. Justamente em um hospital, o qual deveria salvar a vida das pessoas tem o papel contrário, nos levando a questionarmos os princípios e formação de tal equipe, seja como profissionais ou pessoas.

Suian Carmo dos Santos- Nutrição 1º semestre/ matutino

Responder
Renata Nascimento 5 de maio de 2020 - 19:28

No início da dramaturgia, se é nota do um tremor na mão do Dr. Randolfh, por querer fama e reconhecimento, ele trata os pacientes como coisa e não pessoa, agindo com falta de ética e responsabilidade profissional, levando algumas pessoas a óbito por conta de sua incompetência. É relato de forma realista a realidade dos médicos e a pressão nos hospitais.

Responder
Sandrihellen Borges da Silva 5 de maio de 2020 - 19:17

Podemos perceber que a série mostra sobre determinados preconceitos e egoísmo na área hospitalar. Também podemos ver que existem interesses em dinheiro e fama nessas áreas profissionais. Um dos principais pontos, é que um cirurgião bem famoso no hospital, esconde alguma doença e não pode atuar como um cirurgião, o importante é a vida das pessoas, mas a fama fala mais alto e ele não quer jogar fora toda a sua fama por conta de uma “doença”. Podemos perceber o egoísmo em atuação profissional. Mentiras, acompanhantes de pacientes recebem notícias “fakes”, alguns dos profissionais mentem por arrependimento.
A minha conclusão, é que a mentira, o egoísmo, o preconceito, o arrependimento e o caráter, também existe nas áreas de saúde, portanto, posso concluir que um dia iremos encontrar determinadas situações como assistidas na série. Essa série nos mostra a realidade dentro de um hospital e que nem tudo é o que se vê!

Aluna: Sandrihellen Borges da Silva
Curso: Enfermagem
Turno: matutino – Turma: I semestre

Responder
Hanna Freitas 5 de maio de 2020 - 19:11

Na série em questão, “The Resident”, pode-se observar a falta de sensibilidade de alguns profissionais de saúde para com os pacientes, tanto aos situados nos leitos do hospital quanto aos pacientes na sala de cirurgia, ocasião exposta logo no primeiro episódio. Porém, no próprio episódio piloto, nota-se um começo de crítica ao sistema hospitalar capitalista, onde há presença de abuso do poder na hierarquização diretor-funcionários, ameaçando-os tanto com relação a carreira quanto com relação a permanência no país.

UNIFTC
Hanna Victoria Santos Freitas
Psicologia, 2° Semestre Noturno

Responder
Letícia Carrilho 5 de maio de 2020 - 23:22

..

Responder
Debora Oliv 5 de maio de 2020 - 18:53

Débora Oliveira
Psicologia- 2º semestre noturno
Linguagens e produção de texto

“The resident” é uma série que retrata inúmeros temas da atualidade dentro do contexto hospitalar. O episódio inicia-se com um grave erro médico que leva o paciente a óbito, sendo esse erro encoberto pela equipe presente no momento da cirurgia, o que mostra a irresponsabilidade do médico cirurgião, pois ele sabe que não está apto a ocupar aquele lugar, porém o seu orgulho não permite que ele abra mão da posição de destaque e sucesso. Entre as temáticas abordadas no episódio, destaca-se o capitalismo acima da humanidade, onde os pacientes internados não passam de números, além de terem suas vidas entregues a uma guerra de egos entre os profissionais de saúde. Realidade essa, que o jovem residente iniciante, aparentemente decepcionado no seu primeiro dia de trabalho, precisa aprender na prática.

Responder
Vanessa Silva de Jesus 5 de maio de 2020 - 18:36

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?
O episódio retrata uma situação complexa, uma vez que, um hospital não deve deixar de ser humanista pensando no paciente como prioridade, porém o lado financeiro de uma instituição não deve ser ignorado, afinal como um hospital funcionaria sem capital nos dias atuais para custear suas despesas? Por outro lado, a prática como alguns hospitais se comporta, não é a mais apropriada, utilizando práticas que fogem dos seus princípios éticos, deixando de lado o paciente e as pessoas com ele envolvidas.

Responder
Valquiria Rodrigues Vaz 5 de maio de 2020 - 18:36

A serie THE RESIDENT fala de um grupo de estudantes de medicina residente onde passam por experiencias, e enfrentam dificuldades para darem o melhor de si .Colocando seus medos e pondo em pratica tudo aquilo que foi passado para eles executarem , em pro de salvar vidas ,e com isso vem os novos desafios as dificuldades e a rivalidade recorrentes no âmbito hospitalar.

Curso: Enfermagem – matutino – 1° semestre
Professor: Leonardo Campos
Matéria: Língua Portuguesa
Aluna: Valquiria Rodrigues Vaz

Responder
victoria pelegrin 5 de maio de 2020 - 18:22

No primeiro episódio de The Resident, podemos perceber a negligencia médica, a ignorância, a ganancia e o poder utilizados pelo renomado Dr. Bell, onde usa a medicina de uma forma inapropriada, fazendo com que seus pacientes morram. Além do uso de seu poder para oprimir e ameaçar uma residente. A serie tem dois lados , um lado onde vemos a pior parte do ramo da saúde, o capitalismo sobressaindo juntamente com a arrogância, e por outro lado temo Devon, Conrad e Nic que tentam de todos os jeitos ajudar os seus pacientes, o que deveria ser feito por todos no ramo da saúde.
Aluna: Victoria Mendonça Pelegrin, Enfermagem, turma das 7:30, às terças.

Responder
Renata Nascimento 5 de maio de 2020 - 18:22

No início do episódio piloto, mostra o Dr. Randolfh que sofre de um tremor em sua mão, mas por conta da fama e de ser reconhecido ele age com falta de ética e responsabilidade profissional, trata seus pacientes como coisas e não pessoas, levando muitos a óbito. Relata de forma realista as falhas médicas.

Responder
Kelly Monteiro 5 de maio de 2020 - 18:22

The Resident é uma série que mostra de cara os diversos problemas dentro de um hospital de grande prestígio.O primeiro episódio mostra a dificuldade que médico residente passa pois nem tudo que se ensina na faculdade se encaixa na realidade. Mostra a irresponsabilidade de Dr Bell com a vida do paciente , já que ele está com tremores nas mãos e a chantagem para que seus erros não sejam descobertos.Além disso a enfermeira Nic explica ao novo residente que o hospital se preocupa mais em lucra do que com a vida dos paciente e que a terceira maior causa das mortes é por conta de erros médicos.
Curso : Enfermagem – matutino – 1 semestre

Responder
Yasmin 5 de maio de 2020 - 18:13

The residente mostra a rotina dos profissionais de saúde em seu ambiente de trabalho e as dificuldades que passam. Logo nos primeiros instantes, podemos ver a gravidade em relação aos erros médicos e os impactos que isso pode causar. Também é mostrado a manipulação e o que ocorre por trás do que muita gente acha que são apenas cuidados. Mas além disse, tb são representados profissionais que realmente se importam e demonstram esforços para salvar vidas, e respeitam cada um de seus pacientes.

Responder
Júlia Reis 5 de maio de 2020 - 18:13

A série “the resident” mostra a realidade de muitos hospitais. Nem tudo é tão perfeito como parece, ah diversos problemas enfrentados por médicos.Infelizmente, erros médicos vem se tornando algo presente e vários hospitais, porém, em sua maioria não são revelados.trabalhar com a saúde de outras pessoas é algo muito delicado e requer total dedicação e cuidado.

Responder
Isadora Santos 5 de maio de 2020 - 18:13

A série “The Resident” é bem diferente do que qualquer um pode imaginar. A ideia é mostrar a realidade de um hospital e das pessoas que trabalham nele. Corrupção, tecnologia, relações interpessoais e a pressão para salvar vidas, tomam conta dessa trama. A série inicia com um Doutor admirado por muitos, cometendo um erro médico e colocando a culpa no anestesista, entretanto, a equipe arranja um jeito de cobrir esse erro. Um ponto que chama bastante atenção é a mercantilização da saúde, e isso mostra o quanto os profissionais da saúde, principalmente os médicos, estão mais preocupados com o lucro, tornando o verdadeiro  significado da “Medicina” uma coisa banal.

Nutrição/Noturno – 1° semestre
Isadora Luzia Santos de Jesus

Responder
Aleandra Jamille 5 de maio de 2020 - 17:32

A série “The resident” traz em seu primeiro episódio os diferentes desafios enfrentados todos os dias pelos profissionais de saúde na forma das personalidades de cada personagem, como o jovem residente Devon que revela o amor, a ansiedade, o medo, o doutor Conrad, a dureza, a frieza e o autoritarismo, o renomado doutor Bell, com todos os seus prêmios e fama pela sua sabotada e falsa reputação e a enfermeira Nic, o equilíbrio, a seriedade e a sensatez da equipe. Uma trama gostosa de assistir pela forma realística que foi produzida.
Uniftc
Enfermagem/ matutino/ I semestre
Aleandra Jamille F. Cruz

Responder
Wanessa Oliveira 5 de maio de 2020 - 17:27

A série “The Resident” acompanha a rotina de um médico residente enfrentando as dificuldades em lidar com seu orientador e os questionamentos éticos que envolvem a medicina. O primeiro episódio mostra a falta de ética ligada á arrogancia de ser um médico. A série destaca isso quando por irresponsabilidade da equipe cirúrgica um paciente vem a óbito e o médico chefe do hospital chantagea os companheiros para não relatarem o ocorrido. Além disso, a série mostra que a saúde é vista, por alguns, como mercadoria e fonte de prestígio.

Curso: Enfermagem – matutino – 1° semestre
Professor: Leonardo Campos
Matéria: Língua Portuguesa
Aluna: Wanessa Oliveira de Abreu

Responder
Aleandra Jamille 5 de maio de 2020 - 17:14

A série “The resident” traz em seu primeiro episódio os diferentes desafios enfrentados todos os dias pelos profissionais de saúde na forma das personalidades de cada personagem, como o jovem residente Devon que revela o amor, a ansiedade, o medo, o doutor Conrad, a dureza, a frieza e a sensatez, o renomado doutor Bell, com todos os seus prêmios e fama pela sua sabotada e falsa reputação e a enfermeira Nic, o equilíbrio e a seriedade da equipe. Uma trama gostosa de assistir pela forma realística que foi produzida.

UNIFTC
ENFERMAGEM/ I SEMESTRE/ MATUTINO
ALEANDRA JAMILLE

Responder
Evelyn Haack 5 de maio de 2020 - 17:09

The resident apresenta uma trama diversa que mostra corrupção, mentiras relacionamentos conturbados e tecnologia . Seu primeiro episódio é direcionado a uma análise da medicina moderna – em caráter acadêmico e funcional – e também sobre como ela é comportada com os avanços significativos da tecnologia. Entretanto, não será somente sobre a relação da medicina com seus avanços mas também com a convivência humana,participação dos operadores e sobre os aspectos comuns da significância da vida.
Enfermagem – 1ª semestre – matutino – UniFTC

Responder
Bianca Souza Alcântara 5 de maio de 2020 - 16:48

A série “The Resident”, relata acontecimentos gerados dentro de um centro médico, onde ocorre, um legado de corrupção, mentira, egocentrismo, e um desejo incontrolável pelo poder e mídia. Nesse viés, com relação as citações já menciondas, que dão enredo a série, o Dr. Randolph engloba todas elas, sua sede por fama, faz com que a vida dos pacientes sejam insignificantes, no primeiro episódio, suas mãos trêmulas, ocasionam um erro em que vale a vida de um paciente. E
nfermeiros e médicos que estão no local, encobrem esse erro deixando por isso mesmo, dando a oportunidade para que outras vidas estejam em risco nas mãos de tal personagem. Devon é um residente que tem um primeiro dia de trabalho emocionante, graças ao seu mentor Dr. Conrad, que guarda muitos mistérios percebidos já no primeiro episódio da série.
UNIFTC
ESTUDANTE: Bianca Souza Alcântara
CURSO: Enfermagem, matutino, 1° semestre

Responder
Vitória Vasselika 5 de maio de 2020 - 16:35

O episódio piloto da série “The Redident” já começa apresentando qual vai ser o principal foco da série: mostrar logo de primeira a falta de ética conciliada à arrogância de um médico. Ele faz isso mostrando o médico chefe do hospital matando um paciente na mesa de cirurgia e chantageando os companheiros para poder esconder que foi uma falha sua.

Responder
Antonio dos Santos Leão 5 de maio de 2020 - 16:22

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os
profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

Assim como em toda área profissional, na área da saúde não é diferente, a priori, o que move grande parte dos profissionais e sobretudo as instituições, é busca financeira, o lucro. Especificamente na área de saúde, independente da natureza comercial das instituições privavas, os profissionais de saúde, devem, até mesmo para garantir seu sucesso profissional e próprio sucesso na cura, isto já é comprovado, tem que fazer uso da sua sensibilidade, ou seja ser mais humanista. Está é uma tendência contemporânea.

Antonio dos Santos Leão

Responder
Teca Lobo 5 de maio de 2020 - 16:13

Na série “ The Resident “, o episódio Piloto relata a existência de profissionais no ramo da saúde cuja priorização são os lucros em vez da vida dos pacientes. Além disso, a série mostra como a saúde mental de médicos, enfermeiros e outros profissionais são afetadas no ambiente de trabalho e também traz temas como racismo, erros médicos, interesses capitalistas, dentre outros assuntos que fazem os espectadores quererem saber o desenrolar da história.

Estudante: Sthefany Dourado Lobo
UniFtc/ Enfermagem/ Matutino/ 1 semestre

Responder
Railana Martha Barbosa Conceiç 5 de maio de 2020 - 16:00

O primeiro episódio da série The Resident, apresenta uma trama diversa, mostrando corrupção, mentiras, relacionamentos conturbados e tecnologia. Oque na minha opnião se aproxima da realidade vivida no mundo, erros humanos colocados debaixo do tapete e vidas sendo perdidas são recorrentes em diversos hospitais pelo mundo. A série produz bastante reflexão sobre oque ocorre no nosso redor trazendo consigo uma rotina considerada estressante dos profissionais de sáude.
CURSO: ENFERMAGEM – MATUTINO – 1º SEMESTRE

Responder
Fabrine Paixão Matos 5 de maio de 2020 - 16:00

A série The Residente retrata uma crítica social e realista no mundo da medicina. O episódio “piloto” se inicia com a chega do interno Devon, que será supervisionado e massacrado por Conrad, um dos residentes mais competentes do hospital. De um lado se vê a humanidade, entre alguns enfermeiros e alguns médicos. Do outro, do Dr. Bell percebe-se a mercantilização da saúde, onde o lucro se torna mais importante que a vida dos pacientes.
Fabrine Paixão Matos, aluna de enfermagem 2020.1-Matutino

Responder
Railana Martha Barbosa Conceiç 5 de maio de 2020 - 15:56

O primeiro episódio da série The Resident, apresenta uma trama diversa, mostrando corrupção, mentiras, relacionamentos conturbados e tecnologia. Oque na minha opnião se aproxima da realidade vivida no mundo, erros humanos colocados debaixo do tapete e vidas sendo perdidas são recorrentes em diversos hospitais pelo mundo. A série produz bastante reflexão sobre oque ocorre no nosso redor trazendo consigo uma rotina considerada estressante dos profissionais de sáude.
Enfermagem-1º Semestre

Responder
Bianca Costa 5 de maio de 2020 - 15:27

A série “The Resident” é totalmente diferente de como se espera. A proposta é muito mais realista acerca de como as coisas funcionam, apresenta os verdadeiros bastidores de um hospital, com enfermeiro, médicos, pacientes e a família. É uma trama relacionada à corrupção, tecnologia, convivência humana e relações interpessoais.
Como por exemplo, a cena inicial do Dr. Randolph cometendo um erro médico, ele acaba culpando o anestesista pelo paciente ter acordado, porém sua equipe encontra uma maneira de sair dessa saia justa e o que resulta em um acobertamento e fica por isso mesmo. Outro fato que é muito destacado é o tratamento entre residente e interno, Dr. Conrad lembra um pouco Dr. House, principalmente em relação a sua postura com o interno Devon, ele é daqueles médicos meio tolo, mas que sabe exatamente o que está fazendo.

UNIFTC
ESTUDANTE: BIANCA COSTA DOS SANTOS
CURSO: ENFERMAGEM – MATUTINO – 1º SEMESTRE

Responder
Jeane Santos 5 de maio de 2020 - 15:14

No primeiro episódio da série “The Resident” é notório que os problemas que acontecem são lacunas habituais recorrente na maioria dos hospitais e evidencia a sensibilidade dos profissionais, ou até mesmo a falta dela. Diante desse cenário, é visível notar que os médicos estão vivendo num contexto capitalista, na qual a saúde não vem sendo tratada como direito, mas sim como uma mercadoria. Dessa forma, a séria traz uma reflexão de como se encontra os hospitais no nosso cotidiano e como os profissionais da área se colocam perante os problemas de uma vida saudável.

Curso: Enfermagem – matutino – 1° semestre
Professor: Leonardo Campos
Matéria: Língua Portuguesa
Aluna: Jeane Santos dos Santos

Responder
geislane maiara silva de abreu 5 de maio de 2020 - 14:57

No episodio, da serie The resident,mostra um ambiente clínico, médico, hospitalar que nele provocam interpretações e camadas exploratórias que podem diversificar diversas histórias, também sobre como ela é comportada com os avanços significativos da tecnologia. Entretanto, não será somente sobre a relação da medicina com seus avanços. É a convivência humana, a participação conveniente dos operadores e sobre os aspectos comuns da relevância, significância da vida. Conrad é mulherengo, mas extremamente preocupado com seus pacientes, além de ser um médico inteligente. E pronto para dar um choque de realidade em Devon, o instigando a todo momento de que nada do que aprendeu em salas de aula será replicado no dia a dia do hospital, agora comandado pelo cirurgião Bell, que tenta emplacar uma tecnologia toda computadorizada de procedimentos cirúrgicos, operada pela Dr. Okafor , uma médica competente, mas com um temperamento avaliado sendo um pouco difícil de lhe dar, mas preocupante início por conta da estabilização emocional dos personagens e por parecer necessitar dos eventos internos do ambiente para a história progredir, The Resident se assemelha ao gênero existente das séries médicas com muitas cargas dramáticas.

UNIFTC
Disciplina:Lingua Portuguesa
Aluna: Geislane Maiara Silva de Abreu
Curso:Enfermagem
turno:Matutino 1 Semestre

Responder
Vinícius Freitas 5 de maio de 2020 - 14:42

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais
precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Do ponto de vista humano, tal questionamento não deveria sequer existir, pois, conforme o Artigo III da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal”. Portanto, sobrepor o capitalismo à sensibilidade, e por consequência, à vida, é violar os direitos humanos, além de ser de imensurável irresponsabilidade,desencadeando desgaste, angústia e falsa esperança em familiares que esperam que seus entes se recuperem de seus quadros e retornem pra casa.

Responder
Gustavo dos Santos Leandro 5 de maio de 2020 - 14:42

O episódio “Piloto” da série The Resident escancara a verdadeira realidade existente por trás do tratamento da equipe médica com seus pacientes, deixando evidente a tamanha responsabilidade que envolve o cargo, mas que, infelizmente, também é um fator que transforma ou até mesmo, expõe o real caráter de um médico quando esse visa mais o próprio status e a manutenção de seu orgulho do que a vida do paciente, fato que é explícito na conduta do Dr. Bell ao acobertar o descuido da equipe após causar uma morte na mesa de cirurgia. Entretanto, o episódio procura deixar claro o esforço e a preocupação de Devon Pravesh em se dedicar para salvar vidas, apesar de ter toda fantasia do ramo médico destruída, além de não concordar inicialmente com seu superior (Conrad Hawkins), Devon se propôs a dar seu melhor mesmo sob a possibilidade de carregar o peso da morte de um paciente que estava sobre sua supervisão.

Nutrição/1°semestre

Responder
Juliana Maria 5 de maio de 2020 - 14:38

No primeiro episódio da série The Resident mostra o primeiro dia de um jovem médico sob a supervisão de um brilhante e frio residente. Ele começa mostrando sobre os erros médicos que é um tema polêmico e conseguem retratar um cenário totalmente em volta disso, de como muitos médicos observam e sabem o que acontece , entretanto são coagidos a ficarem calados.
Enfermagem- 1 semestre-matutino.
Juliana Maria Carneiro da Silva.

Responder
Jose Americo A. Mendes Jr 5 de maio de 2020 - 14:14

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais
precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

No mundo capitalista em que vivemos, os lucros estão acima de tudo e no ramo da saúde não é diferente, a própria serie destaca muito bem isso. Porém como a enfermeira Nic menciona nesse capitulo Piloto: ‘venho para o hospital porque ainda há muitos bons médicos e enfermeiros’. Desta feita apesar do capitalismo no ramo da saúde, há sim espaço para sensibilidade, ainda somos humanos e a sensibilidade faz parte de nossa natureza onde nos move a praticar muitas benfeitorias.

Responder
Fabiane Menezes 5 de maio de 2020 - 13:59

Língua Portuguesa
EP: Piloto “The Resident”

É possível ver no episodio piloto a serie abrange temas que produz bastante reflexão, a rotina em um ambiente hospitalar a sensibilidade dos profissionais de saúde ou a falta desse sentimento, avanços tecnológicos, lucros altos mostrando todo o negocio que envolve os grandes hospitais o grande cenário capitalista, sem deixar de transparecer o grande desafio que é trabalhar com a saúde e também a gratificação e responsabilidade de salvar uma vida.

Aluna: Fabiane Cristina Chagas da Fonseca Menezes
Curso:Enfermagem 1 Semestre
Horário: 18:50

Responder
Júlia Reis 5 de maio de 2020 - 18:13

UNIFTC- enfermagem
primeiro semestre

Responder
Bruno Santos 5 de maio de 2020 - 13:14

O primeiro episódio da série The Resident explicita um complicado panorama acerca do tratamento dos médicos para com os pacientes. Diante do dilema entre adequar-se aos interesses capitalistas impostos pelo mercado da saúde e a sensibilidade e bom senso de um atendimento mais humano, é possível perceber que um pouco de cada é o essencial. Se por um lado, um olhar mais humanizado agrega respeito aos pacientes e seus familiares, por outro, infelizmente, é impossível conseguir ignorar os interesses capitalistas do mercado e buscar ser revolucionário sem sofrer consequências por isso.

Responder
Emanuele Andrade Silva 5 de maio de 2020 - 13:14

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

É evidente que no primeiro episódio da série “The Resident”, é apresentado o cenário capitalista, na qual vivemos, em que muitos médicos se preocupam mais em status e lucro, botando em risco, muitas vezes, a vida dos pacientes. Entretanto, é de extrema importância que profissional da saúde tenha valores éticos, morais e humanista. Pois com a ausência deles terá enorme dificuldade de reconhecer-se no outro (empatia), tratando o outro com descaso, como por exemplo, os erros no diagnóstico, falhas cirúrgicas, mas também, tratamento desumano.

Responder
Rian Silva 5 de maio de 2020 - 13:09

A série The Resident, no primeiro episódio “Piloto”, tem como objetivo mostrar para o telespectador a verdade de como os grupos de médicos da série enfrentam desafios pessoais e profissionais diariamente e como as vidas podem ou não ser salvas, mas as expectativas serão sempre destruídas . O episódio o “piloto” nos mostra a contemplativa análise da medicina moderna e avanços significativos da tecnologia. A convivência humana, a falta de empatia, a hierarquização, capitalismo, a falta de humanização, desequilíbrio emocional, ameaças profissionais e a perca dá credibilidade do profissionalismo são fatores importantes em que a série tem como proposta no primeiro episódio enfatizar esses aspectos importantes.
Dr. Bell, considerado um astro na sua profissão, seu personagem mostra um cirurgião que possuí experiência suficiente para entender como funciona a medicina, mas a arrogância e a hierarquia faz com que ele seja uma pessoa bastante mentirosa e corrupta por está se aproveitando da competência da médica promissora Dra. Okafor, que faz um processo brilhante na série mas tem seu temperamento avaliado como difícil.
Em primeira instância, Conrad é mulherengo e tem um comportamento problemático mas extremamente preocupado com seus pacientes, além de ser um médico inteligente. E pronto para dar um choque de realidade em Devon, o instigando a todo momento de que nada do que aprendeu em salas de aula será replicado no dia a dia do hospital.
Desse modo, Devon é um novato e recebe uma oportunidade de trabalhar no hospital onde se passa por vários desafios e perturbações que fará dele uma pessoa persistente.
O tempo final do episódio contracena em como na verdade, Dr. Bell é um médico desatento em suas próprias inovações, além de estar sofrendo do que aparenta ser uma doença de mobilidade, mas seu orgulho profissional está sempre maior do que propriamente as considerações assertivas dos procedimentos. Com isso, o episódio “PIloto”continua sua jornada em apresentar um choque intenso de realidade. Obviamente que todas as percepções e achismos sobre a medicina são diariamente contrariadas. Especialmente em relação ao que pode ser feito em todas as medidas possíveis.
Aluno: Rian da Silva Borges
Professor: Leonardo Campos
Curso: Enfermagem
UNIFTC

Responder
Verena Pita 5 de maio de 2020 - 12:49

Assistindo ao episódio piloto da série THE RESIDENT é possível ter uma noção de todo o enredo. Na primeira cena pode-se observar a negligência médica devido ao uso indevido de tecnologia, no momento mais inoportuno possível, ocasionando no pior desfecho, a perda de mais uma vida. A trama foge do glamour que existe em volta da profissão médica, trazendo as dificuldades e o lado sombrio do que acontece nos bastidores, mostrando como a vida em determinado momento é banalizada devido a ganância do ser humano. Onde profissionais que deviam zelar, e cuidar de forma correta dos pacientes acabam se perdendo em virtude de sentimentos prejudiciais como o orgulho, frustração, preconceito, hostilidade, e principalmente o desejo de deter todo o poder, prestígio e capital possível.

Responder
sandy borges 5 de maio de 2020 - 12:28

A série “The Resident” tem como principais temáticas os desafios de um residente na sua nova rotina e também, os erros médicos durante procedimentos, onde específica o caso do profissional mais importante do hospital, que visivelmente tem um problema de saúde, o qual, influência no andamento dos procedimentos. Porém, com a questão do ego e poder ele não abre mão das cirugias, criando uma questão voltada a ética profissional.
Aluna:Sandy Borges Fernandes dos Santos
Uniftc- 1° semestre Nutrição

Responder
Letícia França 5 de maio de 2020 - 12:07

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Conforme retratado no primeiro episódio de “The Resident”, percebe-se que, no contexto capitalista ao qual estamos inseridos, a saúde vem sendo tratada como uma simples mercadoria. Os profissionais desse ramo ainda precisam lidar sim com o fato de que a saúde vem sendo comprometida em benefício de grandes grupos capitalistas. Entretanto, a partir do momento em que se lida com vidas, a sensibilidade e a humanização nas relações entre esses profissionais e o paciente tornam-se necessárias e devem ser priorizadas. Mais primordial que a obtenção de lucros é respeitar, valorizar e saber lidar com o emocional de cada paciente.

Responder
Jaqueline Ferreira Maciel 5 de maio de 2020 - 12:07

O episódio piloto da série “The Resident”, mostra com uma clareza próxima ao que vivemos que o sistema de saúde tem se degradado na mesma medida que avançado, os avanços tecnológicos trazem possibilidade, que antes eram remotas, de salvar milhares de vidas. Mas também, trás a necessidade de alimentar as redes sociais e o ego de cada um. Ela trás também a ganância em detrimento do cuidado com o outro, um médico de grande renome que antes era um dos melhores no que fazia agora enfrenta problemas de saúde que deveria o impedir de continuar, porém ele, visando os lucros continua e põe em risco à vida das pessoas, a reputação de um hospital, além de desrespeitar outros profissionais de saúde que o acompanham mas não podem fazer muita coisa a respeito por serem “inferiores hierárquicos”.

Responder
keila 5 de maio de 2020 - 11:26

Notável que no ramo da saúde, ou em outro ramo, é necessário que tenha empatia e respeito, procurando sempre a sua melhoria não apenas visar o lucro.
No primeiro episódio da serie The Resident, é visível que alguns profissionais da saúde estão mais voltados para o capitalismo que à saúde dos pacientes. Assim, é notável no personagem Dr. Soloman Bell, que já no primeiro episódio mostra-se um médico corrompido pelo capitalismo fazendo de tudo para obter lucro e aumentar a fama nas cirurgias, e usando de seu poder para chantagear os médicos que se opõem às suas condutas. em diversas cenas é nítido esse embate entre o sensível e o lucro, negligenciando sua falta de habilidade em determinada situação e deixando o principio da não maleficência ao léu, tudo para garantir que seu nome continue no topo. Então, é evidente que tem que haver espaço para a sensibilidade, pois para uma boa assistência a humanização é indispensável.
keila souza
Enfermagem, UNIFTC

Responder
Samira Khadija Caldas Da Silva 5 de maio de 2020 - 11:21

O episódio piloto de The Resident ,logo nos primeiros minutos nos trás a reflexão de que os erros médicos são grande parte da mortalidade hospitalar, desenvolvendo cenas de grande negligência medica. Trazendo a mensagem de que muitos profissionais tendem a exercer sua profissão por dinheiro e fama, sem ter responsabilidade para com a vida do paciente.

Responder
Bianca Moreno 5 de maio de 2020 - 10:43

No primeiro episódio da série “The Resident” podemos ver explicitamente que a trama da história gira em torno do capitalismo, onde os médicos apenas visam ter lucro através do plano de saúde dos pacientes e um bom status para si mesmo e para o hospital, assim, contradizendo todos os valores que um bom profissional deveria ter, entre estes: a empatia e a honestidade. Além da falta de cordialidade com seus inferiores.

Responder
Alana Silva Santos Santana 5 de maio de 2020 - 10:38

O episódio piloto da série The Resident aborda temas como a falta de sensibilidade dos profissionais de saúde com o paciente, a partir do momento que resolveram tirar fotos durante uma cirurgia, deixando de lado o respeito e empatia com o paciente e levando a morte dele por causa da irresponsabilidade. A série também apresenta uma crítica da forma como os profissionais aproveitam-se do poder para priorizar o lucro ao invés da vida do paciente e como eles usam o poder para chantagear outros funcionários caso eles queiram denunciar. O egoísmo e a busca por lucro levou a esses profissionais da saúde a desrespeitarem a vida humana, visando apenas no financeiro e esquecendo do tratamento humanizado.

Aluna- Alana Silva Santos Santana
Curso- Enfermagem
1°semestre, matutino

Responder
Laila dos Santos Santos 5 de maio de 2020 - 10:24

Na série, é passada uma realidade não muito distante daqui nós vivemos. Médicos que acabaram de se formar, achando que vai salvar todos, na primeira complicação ou óbito vem o sentimento de frustração, médicos com anos de experiência, porém sem nenhum abilidade com o paciente, médicos comprometidos a salvar vida, não importa como e quando, se tem ou não matérias para ser feito o processo, equipes e negligentes, que deixa detalhes importantes para lado, como uma simples profilaxia, para não passar uma infeção cruzada para o paciente ou para se próprio na hora da cirurgia ou outros procedimentos.
Laila dos Santos Santos- Matutino-Nutrição-uni FTC-Professor Leonardo campos

Responder
Barbara Ramos 5 de maio de 2020 - 10:17

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

O sistema médico- hospitalar e toda a áurea que envolve os seus atores, já nos é imposto desde a mais terna infância. Esse inconsciente coletivo de subserviência a medicina (tida como detentora do saber e do poder) e da pirâmide que a cerca, coloca desde a sua base, (os médicos),passando por hospitais, planos de saúde, grupos farmacêuticos… Em uma posição e uma atmosfera de superioridade. E talvez, já estejamos tão imbuídos dessa atmosfera, já nos é tão cotidiano e comum, que se torna algo natural. E o natural se traduza em uma postura demasiadamente capitalista, em falta de ética profissional e ética pessoal.

Responder
Rafael Santos Silva de Jesus 5 de maio de 2020 - 09:52

Sou Rafael Santos Silva de Jesus, aluno do primeiro semestre do curso de nutrição, na faculdade UNIFTC da paralela e tive como atividade assistir o primeiro episódio da série Resident e relatar aqui a minha primeira impressão. Bom, o episódio da série para mim foi a incorporação de umas ideias do sociólogo Florestan Fernandes, ” O homem é lobo do próprio homem.” e por quê? bom, analisando primeiramente a proposta da série, que também é muito bem representada, essa que busca demonstrar como o capitalismo pode afetar o comportamento e o rendimento de um profissional da saúde, somos forçados a sair de uma zona de conforto ou de um senso comum que nos faz acreditar a vida toda que todo médico é capacitado ou ao menos se preocupa com seu paciente, que a área da saúde é um mar de rosas, a série contraria isso e muito bem, criando uma atmosfera que prende e revolta o telespectador com a figura antagônica do primeiro episódio, o chamado Doutor Bell, e é justamente no modo de agir dele que a ideia do sociólogo se encaixa, ele não é capacitado para operar um paciente que iria ser operado por uma doutora imigrante, porém mesmo assim, cogitou colocar em risco a vida do paciente, ameaçou a doutora visando tomar o curso da cirurgia e tudo para que fosse reconhecido, como o feitor, vemos que ele comete erros médicos graves e mesmo assim é chefe de cirurgia pondo em risco a vida dos outros e sendo lobo não só para os pacientes mas também para seus colegas de trabalho. Me questiono ao fim do episódio quantos Doutores Bell’s devem existir na realidade. A série é boa, não costumo me prender a obras cinematográficas ou séries, mas darei uma chance e me comprometerei em assistir, quem sabe uma temporada.

Responder
Jaine Mangueira 5 de maio de 2020 - 09:26

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Tratando-se do 1ep da série atue Resident, ficou claro que infelizmente o capitalismo se sobrepõe. Mas esse ep mostrou também profissionais empenhados em salvar vidas, com todo o seu cuidado e amor pelo que faz. E do outro lado temos Dr.Bell um homem que só pensa em si próprio, em seu próprio crescimento, mas não tem a menor condição de exercer a sua profissão, infelizmente há muitos profissionais como ele, que só pensa em na fama, em dinheiro, colocando sempre em risco a vida dos seus pacientes que estavam sob seus cuidados. Acho que não só no âmbito da saúde, mas como em todos os âmbitos profissionais, deve haver sim sensibilidade e humanização em relação a vida do outro.

Responder
Adrielle santana 5 de maio de 2020 - 08:06

The Resident começa com uma importante discussão sobre os erros médicos, alguns desses erros são cometidos sem más intenções, como parte do processo de crescimento de um profissional.
Logo nos primeiros minutos do primeiro episódio temos o chefe de cirurgia Dr.Bell fazendo a cirurgia com a mão tremendo, por conta desse tremor ele acaba cortando a artéria do paciente em um processo simples de apendicectomia. Enquanto a equipe médica realiza a cirurgia, alguns membros produzem selfies para postar em suas redes sociais.
Contudo, o erro se torna criminalizado,voltado para o oportunismo financeiro.O Dr.Bell é uma celebridade médica que sofre de uma doença degenerativa que prejudica seus movimentos.Ele não deixa que isso atrapalhe sua reputação e os pacientes é que pagam.
(Enfermagem-matutino-Adrielle Santana do Nascimento)

Responder
Kelly Ingrid 5 de maio de 2020 - 02:07

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Os princípios básicos e gerais costumam orientar os pensamentos humanos , está presente em alguns momentos do episódio “The Resident.”
No mesmo espaço outros profissionais utilizam do abuso de poder para obter ralações com objetivos lucrativos, enganando e deixando para segundo plano as vidas, famílias que depositaram toda a confiança. De modo que , deixam de honrar o juramento feito, a ética , para encherem os seus bolsos e elevar o seu próprio “ego”. Portanto a situação é bastante preocupante ,pois a medicina é uma vocação cujo os interesses é ajudar o próximo, a sociedade de maneira humana.

Responder
Jéssica Rodrigues 4 de maio de 2020 - 21:35

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Ao assistir o primeiro episódio nota se que o capitalismo na maioria das vezes é posto acima da empatia. Porém, a sensibilidade, empatia, o respeito, a humanização, devem ser prioritários. O profissional de saúde trabalha com vidas e estas devem está acima de ambições. Contudo, existe a necessidade do dinheiro não só para manter a instituição mas também para retorno do investimento realizado na formação acadêmica.
Doutor Bell, usava sua hierarquia e abusa do seu posto, cometia erros, fazia chantagens, e assim fazia do colega conivente ao seu erro. Movido pela busca ao dinheiro. Sendo assim, ele é exemplo de mal profissional, esquecendo se do juramento feito outrora.

Responder
Jéssica Rodrigues 4 de maio de 2020 - 21:23

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Ao assistir o primeiro episódio nota se que o capitalismo na maioria das vezes é posto acima da empatia. Porém, a sensibilidade, empatia, o respeito, a humanização, devem ser prioritários. O profissional de saúde trabalha com vidas e estas devem está acima de ambições. Contudo, existe a necessidade do dinheiro não só para manter a instituição mas também para retorno do investimento realizado na formação acadêmica.
Doutor Bell, usava sua hierarquia e abusa do seu posto, cometia erros, fazia chantagens, e assim fazia do colega conivente ao seu erro. Movido pela busca ao dinheiro. Sendo assim, ele é exemplo de mal profissional, esquecendo se do juramento feito outrora.

Responder
Jéssica Rodrigues 4 de maio de 2020 - 21:08

Ao assistir o primeiro episódio nota se que o capitalismo na maioria das vezes é posto acima da empatia. Porém, a sensibilidade, empatia, o respeito, a humanização, devem ser prioritários. O profissional de saúde trabalha com vidas e estas devem está acima de ambições. Contudo, existe a necessidade do dinheiro não só para manter a instituição mas também para retorno do investimento realizado na formação acadêmica.
Doutor Bell, usava sua hierarquia e abusa do seu posto, cometia erros, fazia chantagens, e assim fazia do colega conivente ao seu erro. Movido pela busca ao dinheiro. Sendo assim, ele é exemplo de mal profissional, esquecendo se do juramento feito outrora.

Responder
Adriana da Conceição Santos 4 de maio de 2020 - 20:54

No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”
Não só como na série ,mas na vida real principalmente voltada para área da saude ,é necessário que exista a sensibilidade com os pacientes,pois estamos lhe dando
Com seres humanos que estão
Passando por momentos difíceis ,e temos que ter empatia ao próximo , sensibilidade a dor do outro ,pois todo paciente é o pai de alguém ,mãe ,um amor de alguém entre outros ,como profissionais não devemos levar nossos problemas pata o local de trabalho pois isso acaba passando insegurança ao paciente .A série é bem diferente, onde os pacientes Não são tratados com amor e sim como algo referente que irão trazer lucros para eles nesse cenário capitalista onde a humanidade é esquecida e recoberta pelo ambição Do profissional

Responder
Sinara Santana 4 de maio de 2020 - 20:42

No ramo da saúde há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

Na primeira temporada da série The Resident
É notável que não há sensibilidade entre os profissionais de saúde. Onde se busca o lucro e reconhecimentos sem se importar com a dor do outro. O capitalismo fala mas auto, que o real compromisso de salvar vidas se importam somente com os status que vai obter com tal decisão a ser tomada no momento. Trabalhar com pessoas temos o compromisso de ter empatia, de se colocar no lugar do outro sempre.

Responder
Ahelen Vitória Queiroz 4 de maio de 2020 - 20:11

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

No ramo da saúde, ou em qualquer outro, é necessário que exista a sensibilidade para com os pacientes, tendo em vista que tratam-se de pessoas, seres humanos que tem sentimentos, estão sofrendo e anseiam pela melhoria da sua enfermidade. Dessa forma, os profissionais, também sendo seres humanos, devem ter empatia e se sensibilizar com o paciente, procurando sempre a sua melhoria, não visando apenas o lucro.
No primeiro episódio da série americana The Resident, é notável como os profissionais de saúde estão mais voltados para o capitalismo que à saúde do paciente. Prova disso é o Dr. Soloman Bell, que já no primeiro episódio mostra-se um médico corrompido pelo capitalismo fazendo de tudo para obter lucro e aumentar a fama nas cirurgias, e usando de seu poder para chantagear os médicos que se opõem às suas condutas. Por outro lado, o residente Devon Pravesh, recém chegado ao hospital, mostra-se totalmente sensível aos seus pacientes e um bom médico, fazendo de tudo por seus pacientes e comovendo-se com as perdas. Resta-se saber se ao decorrer da série ele ainda se encontrará sensível ou terá sido corrompido pelo capitalismo.

Responder
Elizabete da C. de Jesus 4 de maio de 2020 - 20:02

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Referente ao 1° episódio da série The Resident, é possível sim, entretanto é necessário ter bastante cautela na forma de usar a sensibilidade e bom censo dentro de um cenário em que diversos fatores levam a atitudes voltadas para fins financeiros. Infelizmente os profissionais tem que seguir orientações dos seus ambientes de trabalho, onde muitas vezes entram em conflito aos seus princípios. Muitas vezes o profissional precisa ser incisivo e se impor para evitar atitudes que possam prejudicar seus pacientes e sua carreira e outras vezes é preciso aceitar algumas orientações. Mesmo diante de um cenário voltado para o capitalismo ainda é possível ser sensível e realizar ações que possam amenizar o sofrimento de seus pacientes, buscar alternativas que possam melhorar o estado psicológico e tentar transformar momentos difíceis em lembranças de dias que puderam conhecer profissionais comprometidos com o bem estar dos seus pacientes mesmo diante de toda dificuldade.

Responder
Rafaela Silva 4 de maio de 2020 - 19:18

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Referente ao 1º episódio da série The Resident, é explicito o quanto a história gira em torno do capitalismo, da preocupação em relação a reputação do hospital, do que nas pessoas em si que estão ali. Na minha opinião o profissional de saúde deve ter em primeiro lugar empatia em relação ao próximo, e sensibilidade a dor do outro, afinal estão cuidando do ente querido de alguém, que na maioria das vezes não escolheram está ali passando por aquela situação. O médico em si possui um papel muito importante, precisando assim, cumprir o código de ética.

Responder
Jean Vitor Nascimento 4 de maio de 2020 - 18:38

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas? ”

Após assistir o 1° episódio da série “The Resident”, cheguei a conclusão de que o relacionamento entre profissionais da saúde e pacientes devem ter sensibilidade, pois se trata de seres humanos que estão sofrendo por causa de alguma doença ou algum acidente, e devem ser tratados com respeito e atenção, para tentar minimizar ao máximo o sofrimento do paciente.
O cenário apresentado na série é bem diferente, onde os pacientes são como mercadorias que irão trazer lucros e dessa forma são tratados, nesse cenário capitalista onde a humanidade é esquecida e recoberta pelo lucro.

Responder
Jéssica Rodrigues 4 de maio de 2020 - 21:18

Ao assistir o primeiro episódio nota se que o capitalismo na maioria das vezes é posto acima da empatia. Porém, a sensibilidade, empatia, o respeito, a humanização, devem ser prioritários. O profissional de saúde trabalha com vidas e estas devem está acima de ambições. Contudo, existe a necessidade do dinheiro não só para manter a instituição mas também para retorno do investimento realizado na formação acadêmica.
Doutor Bell, usava sua hierarquia e abusa do seu posto, cometia erros, fazia chantagens, e assim fazia do colega conivente ao seu erro. Movido pela busca ao dinheiro. Sendo assim, ele é exemplo de mal profissional, esquecendo se do juramento feito outrora.

Responder
Juliana Santana 4 de maio de 2020 - 16:58

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

No ramo da saúde,devemos ter espaço para sensibilidade, por que estamos cuidando mais que um corpo e sim de um templo sagrado. E no incio do 1º episodio da série “The Resident” podemos enxergar uma hierarquização por parte do Diretor clínico “Bell”, que usa o seu poder para cobrir suas falhas técnicas, chantageando seus subordinados com seus próprios erros. Ao Seguir da série observamos que o capitalismo está acima da sensibilidade no âmbito médico, e mostrado para seus subordinados que o capital as vezes é mais importante do quer ter empatia pelo próximo.

Responder
Fabiana Ribeiro 4 de maio de 2020 - 16:47

No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Referente ao 1° episódio da série The Resident, foi notório observar uma breve trajetória no ambiente hospitalar em foco na medicina moderna, não só referente ao uso de tecnologias, mas também a displicência dos profissionais da saúde, assim como a falta de ética conciliada à arrogância dos profissionais, erros médicos, chantagens, mentiras, situações manipuladas, negligências e outros atos totalmente ilegais para um profissional da saúde que deve com responsabilidade exercer a sua profissão com amor e dedicação, colocando sempre a vida das pessoas em primeiro lugar, exercendo a empatia, e a compaixão para com o próximo, e não colocando em ênfase o lucro e o poder, onde o ego e a prepotência dos médicos chegam para não abrirem mão de seus cargos ou status..
Portanto deve sim haver espaço para sensibilidade, uma vez que todos os profissionais da saúde devem ter essa plena consciência de que a vida humana estão nas mãos deles, e é de suma responsabilidade, sensibilidade, empatia que devem tratar os seus pacientes, e não colocando a vida deles em jogo.

Responder
Michelle Adriene 4 de maio de 2020 - 16:23

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Assistindo ao 1º episódio da série The Resident, foi possível observar que o dinheiro, na maioria das vezes, está acima de qualquer coisa. É notório a falta de profissionalismo entre os médicos, muitos deixam de visar a situação do paciente, do ser humano e passa a se importar apenas com o dinheiro. Infelizmente não é diferente da realidade, hoje em dia muitas pessoas só escolhem seguir essa profissão visando o lado monetário e esquecem do real motivo do ofício, ajudar as pessoas e salvar vidas. Além disso, observa-se o quanto alguns médicos são imprudentes, não é só a questão do dinheiro que acaba sujando a imagem de um profissional, mas também a mentira, por exemplo, quando um médico falha e faz sua equipe mentir para salvar a própria pele, isso também infelizmente é visto nos dias atuais, muitos médicos encobrindo seus erros e executando procedimentos sem estar em condições por motivo de orgulho ou interesses monetários. No ramo da saúde, é necessário ter um equilíbrio entre a sensibilidade e o capitalismo, pois se um sobrepor o outro, pode causar complicações, principalmente para os pacientes.

Responder
Brenda Portela 4 de maio de 2020 - 16:23

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Analisando o primeiro episódio de “ The Resident”, é claro que há possibilidade de haver sensibilidade pela parte do profissional de saúde para uma boa assistência e humanização para os pacientes, porém a saúde veio sendo organizada historicamente, por dentro de um sistema capitalista tem um caráter de mercadoria, como mostra o Dr.Bell que através da manipulação, chantageia para não perder a sua posição.

Responder
Tainara Cruz 4 de maio de 2020 - 15:25

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais
precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?
Ao meu ponto de vista, acho que a espaço para as duas coisas, pois não necessariamente precisaria ser levados totalmente as emoções. Vemos no primeiro episódio, que um residente chega no hospital apenas com um único objetivo, seguir o que foi ensinado na sua universidade, porém na vivencia prática, podemos dizer assim, é muito diferente da teórica. No ramo da saúde precisamos muitas das vezes deixar o emocional de lado e olhar para o racional pois fatores emocionais podem interferir em condutas, comprometendo a qualidade das decisões e gerando possibilidades, às vezes desastrosas, em determinados casos mais graves. Isso vemos logo quando o residente Devon, vai tentar ajudar uma garota que teve uma overdose, e deu parada cardíaca apos chegar no hospital. apesar de ter seguido todo protocolo, e ter feito com que os batimentos cardíacos voltasse, mas não se atentou que se passaram 26 minutos tentando reabilitar, e isso fez com que a concentração de CO2 subisse para o cérebro, fazendo com que a paciente tivesse morte cerebral. Mas isso não leva em consideração ao o que o medico chefe o hospital faz, o Dr. Bell. onde ele se preocupa apenas na reputação dele e do hospital, passando por cima de todos os princípios e juramento, no qual o mesmo se comprometeu quando se formou em medicina. Isso mostra que para ele, a vida do paciente não importa, o que importa são as relações capitalistas que o regem.

Responder
Kelvin Guedes 4 de maio de 2020 - 15:07

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

É notável que profissionais da área de saúde tenham que demonstrar um lado mais atencioso para com os pacientes, pois estão lidando com a vida e toda uma trajetória. Essa grande importância do domínio da sensibilidade leva em consideração que há momentos que você necessita mais, atendimentos a pacientes e entre outros, e casos onde você necessita menos, situações de morte e etc. E em paralelo com o primeiro episodio da serie “The Resident”, em diversas cenas é nítido esse embate entre o sensível e o lucro, como por exemplo, um médico negligenciando sua falta de habilidade em determinada situação e deixando o principio da não maleficência ao léu, tudo para garantir que seu nome continue no topo. Então, é evidente que tem que haver espaço para a sensibilidade, pois para uma boa assistência a humanização é indispensável, entretanto, a habilidade para dialogar com a dinâmica capitalista não é inútil, já que essas relações estão atreladas.

Responder
Vitoria Gabrielle 4 de maio de 2020 - 14:09

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Tendo em vista o 1° episodio da serie The Resident, podemos enxergar claramente que o foco da maioria esta totalmente direcionada ao lucro e a auto credibilidade como profissionais da saúde onde deveriam prezar pela saúde do próximo e que deveria sim existe a sensibilidade pois se trata se sentimentos, onde se que chega na unidade precisando de atendimento onde o próprio e a família espera por noticias positivas, mas que no fim é tratado como “mercadoria”, onde vemos também a falta de ética que mostra o oposto de juramento feito quando formandos. O Dr: Bell manipula os colegas de cirurgia para que possam sempre esta ao sua posição, no ocorrer da serie só para diante do capitalismo. No ponto de vista tem que tem ambos, sensibilidade e diálogos com relação ao capitalismo.

Responder
Erica 4 de maio de 2020 - 13:34

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Analisando o episódio da série ” The Resident “, dar para notar que eles valorizam muito o lucro e os tratamentos mais modernos do que o paciente e sua saúde, nessa área deve-se ter empatia e sensibilidade por seu paciente, para deixá-lo mais seguro durante o atendimento dessa forma o médico conseguirá recolher informações mais precisas.
Visando também que os médicos são alienado a todo tempo, sem tem o mínimo de espaço para qualquer tipo de sentimento e sensibilidade, colocando suas carreiras em risco, então a melhor forma é trabalhar com diálogo do dinamismo das relações capitalistas.

Responder
João Marcelo Souza de Sá 4 de maio de 2020 - 12:27

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

Em todo e qualquer trabalho deve-se ave humanização e sensibilidade em prol do outro, tendo em vista ah não maleficência do paciente e familiares, por isso os códigos de éticas foram feitos, para norteá a postura profissional de qualquer prestador de serviço.
O ramo da medicina não deixar de ser um negócio rentável como qualquer outro, hoje em dia , á saúde é um dos bens mais precioso na vida de uma pessoa e não pode ter medo de investe na sua qualidade de vida e bem estar, logo depende dos profissionais da área da saúde tomarem as decisões corretas e não as que vão lhe beneficiar financeiramente ou lhe gerar credibilidade, para que se possa usufruir ao máximo da medicina moderna.

Responder
Ágatha Viana 4 de maio de 2020 - 12:15

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?”

Analisando o 1º episódio da série “The Resident”, conclui-se que no âmbito da saúde, o sistema capitalista prevalece e o lucro é mais valorizado do que o paciente e sua doença. São relevantes para o mercado os tratamentos mais modernos e os aparelhos diagnósticos de ponta que ofereçam mais taxa de lucro. O trabalhador passa a ser um alienado e o resultado de seu trabalho é mercantilizado. Portanto, mesmo que o profissional de saúde queira agir com sensibilidade, não há espaço para isso, pois o interesse do sistema nos investimentos privados é tanta que resultará em ameaças ou demissão do profissional. Cabe a eles, dialogar com o dinamismo das relações capitalistas.

Responder
Louise Brandão 4 de maio de 2020 - 08:58

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

Assistindo ao 1º episódio da série ‘The Resident’, percebo que os profissionais do ramo da saúde sofre alienação de seu trabalho e junto com a perda do valor do resultado de seu trabalho se transforma, junto com este, em mercadoria. Ou seja, o erro médico do Dr. Bell, torna-se uma manipulação hierárquica, colocando assim os residentes e internos em suas mãos, fazendo com que a sensibilidade se perca logo nos primeiros minutos da trama. Isso informa que maioria dos erros são cometidos sem más intenções, como parte do processo de crescimento de um profissional voltado para o oportunismo financeiro.

Responder
Louise Brandão 4 de maio de 2020 - 09:08

“No ramo da saúde, há espaço para sensibilidade ou os profissionais precisam dialogar com o dinamismo das relações capitalistas?

Assistindo ao 1º episódio da série ‘The Resident’, percebo que os profissionais do ramo da saúde sofre alienação de seu trabalho e junto com a perda do valor do resultado de seu trabalho se transforma, junto com este, em mercadoria. Ou seja, o erro médico do Dr. Bell, torna-se uma manipulação hierárquica, colocando assim os residentes e internos em suas mãos, fazendo com que a sensibilidade se perca logo nos primeiros minutos da trama. Isso informa que maioria dos erros são cometidos sem más intenções, como parte do processo de crescimento de um profissional voltado para o oportunismo financeiro.

Responder
Elton Miranda 17 de maio de 2018 - 09:15

Opah, é melhor que House MD?

Responder
leodeletras 20 de maio de 2018 - 01:08

Eu não assisti House, mas sei que é uma ótima opção.

Responder
Victor Camacho 15 de agosto de 2018 - 16:46

Diria que ambas as séries tratam conceitos diferentes, House é excelente naquilo que lhe propõem, um médico egocêntrico, porém um gênio!

Diria que Resident trata mais o lado capitalista da área.

Assista as duas, pronto. kk

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais