Crítica | The Twilight Zone – 1X01 e 2: The Comedian e Nightmare At 30,000 Feet

The Comedian e Nightmare At 30,000 Feet plano critico the twilight zone alem da imaginação

Vocês estão entrando em um mundo cheio de sombra, de substância e idéias.
Vocês passaram para além da imaginação

Rod Serling é um dos maiores roteiristas de sua era, seja no cinema com Planeta dos Macacos ou na TV, principalmente com o formato antológico, como ficou conhecido por Galeria do Terror e sua maior criação, Além da Imaginação. A série é um marco da ficção científica, com algumas das melhores tramas que já assisti. De tão icônica, rendeu três remakes em décadas diferentes; o último, que vou abordar nessa crítica, tem sido talvez a série mais antecipada do ano para mim.

Além de reunir um elenco impressionante, essa nova versão é apresentada pelo requisitado Jordan Peele, que depois de anos atuando com seu parceiro cômico, Keegan-Michael Key, se mostrou um ótimo diretor comandando os longas Corra! e Nós. É uma pena ele estar restrito apenas ao papel de apresentador, pelo menos nas primeiras três histórias, porque nem todas tiveram uma sinopse liberada até o momento. Mas está cedo para começar com as reclamações, então vou abordar os dois episódios de estréia liberados em primeiro de abril (sim, a data rendeu uma pequena preocupação para o público, que não sabia se haveria algum tipo de pegadinha): The Comedian e Nightmare At 30,000 Feet.

.    

1X01: The Comedian

Kumail Nanjiani esteve em Doentes de Amor, uma das comédias românticas indie mais queridas dos últimos anos. Seu nome começou a ser um pouco mais reconhecido pelo público, mas quem já segue seu trabalho provavelmente assistiu a comédia da HBO, Silicon Valley, onde ele faz um dos personagens mais engraçados. Com esse histórico, faz sentido escolherem o ator para um episódio de Além da Imaginação, interpretando um comediante.

Samir Wassan (Nanjiani) tem sua rotina na frente do microfone, contando as mesmas piadas. Seria menos doloroso se o público ao menos achasse graça delas. Seu material é bastante político e está mais interessado em reflexões sobre sociedade, moral e ética do que aquele clássico cotidiano onde coisas “aleatórias” e bobas acontecem. Uma noite, depois de novamente ter sido ignorado pela platéia, Wassan encontra seu ídolo, JC Wheeler, que desapareceu há anos depois de um sucesso estrondoso. Os dois conversam, mas as coisas seguem um rumo inesperado, e o que antes era apenas um debate sobre a profissão, torna-se rapidamente em um pesadelo para Samir.

Ele aceita um desafio do veterano e muda sua abordagem nos palcos, sendo bem mais pessoal e irreverente. A primeira apresentação termina em aplausos, depois do comediante passar a noite falando sobre seu cachorro. Ao chegar em casa, ele não encontra o animal, e ninguém parece ter conhecimento dele sequer ter existido. A premissa é estabelecida, a câmera se movimenta lateralmente para revelar em outro cômodo o apresentador, pronto para compartilhar um de seus incontáveis casos de pessoas perdidas além da imaginação. É uma imagem clássica e provavelmente uma das mais aguardadas pelos fãs. Jordan Peele pode não ter a mesma presença quase maliciosa de Serling, mas acolhe bem o público com sua voz mais calma e atitude receosa.

Mesmo com a boa atuação de Nanjiani, que é facilmente a melhor parte do episódio, e Diarra Kilpatrick, uma de suas concorrentes, The Comedian sofre com os próprios elementos que introduz. O primeiro deles sendo a figura misteriosa de JC Wheeler, que não é apenas interpretada por um Tracy Morgan caricato, como entrega rapidamente que tipo de história teremos. Pequenas piadas visuais são inseridas, mas poucas são engraçadas ou contribuem para a construção daquele mundo. Talvez o maior desperdício seja o mal entendido envolvendo o nome do clube de comédia e a falta de um apóstrofo. Parece uma grande piada com uma excelente preparação, mas que vai a lugar nenhum.

Com um enredo interessante apenas até metade do episódio, ficando previsível rapidamente, a série pode ter começado com um pé esquerdo, mas as coisas podem mudar.

..

1X02: Nightmare At 30,000 Feet

The Comedian decepciona um pouco pela falta de brilho e vontade de chegar causando algum impacto, mas felizmente encontramos mais originalidade no episódio seguinte, que acaba sendo, ironicamente, uma nova abordagem de um clássico da série. Nightmare At 30,000 Feet é estrelado por Adam Scott, outro ator conhecido por seus papéis em comédias, mas também por ter feito um bom trabalho no drama televisivo Big Little Lies. Aqui temos escolhas melhores, não só na escalação de um ator mais versátil que combina com a proposta do episódio, mas na direção mais claustrofóbica de Greg Yaitanes, que conseguiu executar uma ideia conhecida de forma diferente.

Um dos episódios mais conhecidos da série clássica é Nightmare At 20,000 Feet. Parodiado até hoje, essa é a história de Bob Wilson, um homem aterrorizado por uma figura monstruosa que surge na asa do avião no qual acabou de embarcar, mas o pior de tudo é que apenas ele vê a criatura. O homem foi interpretado por um William Shatner pré-Jornada nas Estrelas, e dirigido por Richard Donner, bem antes de todo o sucesso de Superman: O Filme. Como se não bastasse ser referenciado em outras séries e filmes, a própria Além da Imaginação tem o costume de revisitar a trama, como já fez em 1983, com John Lithgow no papel de Shatner, e faz novamente, agora com Adam Scott.

O mais inteligente desta nova versão é a mudança em um dos principais pontos da narrativa original: ao invés de sofrer angustiado por conta de uma criatura, o protagonista tem outra preocupação, uma em menor escala. Scott interpreta o jornalista Justin Sanderson, pronto para mais uma viagem de negócios. No avião encontra um pequeno aparelho de som com um áudio intitulado “O trágico mistério do vôo #1015”, coincidentemente o mesmo que Sanderson acabou de embarcar. Ele fica curioso e decide colocar seu fone de ouvido para escutar. A curiosidade transforma-se em preocupação rapidamente quando o jornalista percebe como o podcast que está ouvindo detalha com precisão cada acontecimento daquele vôo, incluindo seu nome e como aquele avião acaba desaparecendo.

Nightmare At 30,000 Feet entrega uma nova versão de um clássico e tem sua própria voz. Esse é um exemplo mais próximo do tom único de Além de Imaginação, com ênfase na paranoia e um pé na insanidade. O roteiro aqui é melhor aproveitado, apresentando a ansiedade de Sanderson logo nos primeiros minutos, e revelando informações sobre o voo e alguns passageiros aos poucos. Os dois episódios possuem reviravoltas que prefiro evitar na crítica para não estragar a experiência, e como elas não possuem grandes implicações necessitadas de uma análise própria, vamos seguir em frente com algumas referências e easter-eggs.

The Comedian não perde tempo e abre o episódio revelando um enorme mural com alguns rostos de antigos frequentadores do bar. Com a passagem da câmera e um efeito simples de distorção, podemos ver referências da série clássica, como as pessoas deformadas do excelente episódio Eye of the Beholder. E se você prestar bastante atenção, pode ver num canto do bar, um daqueles bonecos de ventriloquista, bem parecido com um de outro clássico, The Dummy, da terceira temporada. Há também a mais óbvia das referências à um dos filmes de Stanley Kubrick, que não vou mencionar para não dar spoiler, mas você vai notar assim que surgir.

Indo para Nightmare At 30,000 Feet, a maior ligação com o episódio original é uma rápida aparição de um boneco da criatura que deixou Shatner tremendo de medo. No episódio ele só serve mesmo como uma peça de nostalgia, sem qualquer relevância narrativa. Outra menção interessante é Richard Donner, que tem seu sobrenome emprestado para um dos personagens do podcast. Para concluir, a série tem referências dela mesma logo no segundo episódio, revelando capas de revista no aeroporto, com o rosto de Samir Wassan, o comediante. Abaixo dela, podemos ver o rosto do ator Jacob Tremblay, que fará parte de um futuro episódio intitulado The Wunderkind.

Além da Imaginação retorna com pouco emoção, mas o teaser revelado depois do primeiro episódio pode animar um pouco por conta de alguns rostos conhecidos e possíveis propostas e tramas que nos levem para o lugar onde Rod Serling sempre conseguiu. Agora é torcer para Peele fazer o mesmo.

Além da Imaginação (The Twilight Zone) – 1X01 e 1X02: The Comedian e Nightmare At 30,000 Feet (EUA, 1º de Abril de 2019)
Criação: Jordan Peele, Marco Ramirez, Rod Serling
Direção: Owen Harris (The Comedian), Greg Yaitanes (Nightmare At 30,000 Feet)
Roteiro: Alex Rubens (The Comedian), Marco Ramirez (Nightmare At 30,000 Feet), Rod Serling (criador)
Elenco: Kumail Nanjiani, Diarra Kilpatrick, Tracy Morgan, Josh Collins (The Comedian). Adam Scott, Chris Diamantopoulos, J. Cameron Barnett, Katie Findlay (Nightmare At 30,000 Feet), Jordan Peele
Duração: 60 min.

ROBERTO HONORATO . . . Criado pela TV, minha família era o programa dos Muppets e minha segunda casa era a locadora (era fácil de chegar, só precisava atravessar a rua). Não me incomodava rebobinar todas as fitas, e nem podia, já que assistia o mesmo filme várias vezes. E quando não é cinema, o cheiro de quadrinhos me chama de longe e preciso gastar dinheiro que não tenho. E nunca esqueça: #sixseasonsandamovie