Home TVEpisódio Crítica | The Walking Dead – 11X04: Rendition

Crítica | The Walking Dead – 11X04: Rendition

por Iann Jeliel
1164 views (a partir de agosto de 2020)

Rendition

  • SPOILERS do episódio e da série. Leiam aqui as críticas das demais temporadas, games e HQs. E aqui, as críticas de Fear the Walking Dead. 

Rendition não chega a ser um episódio ruim ou malfeito tecnicamente falando, mas certamente não era do tipo para estar numa última temporada da série, especialmente com seu início forte. Focado apenas em um núcleo, de Daryl (Norman Reedus) conhecendo os Reapers, um grupo de vilões terciários de visual maneirinho. que eram para ser uma simples barreira de missão, e que provavelmente não se comportaram para algo além disso quando essa trama acabar, tomam para si, um episódio inteiro, dedicado a explicar sua filosofia, ou algo do tipo.

Pensando na proposta em isolado, é um capítulo até bem executado. Apesar de ser uma amalgama de vários outros psicóticos que os heróis da série já enfrentaram, o jeitão com cara de seita e o levantamento distorcido da crença divina de seu líder, Pope (Ritchie Coster), é carismáticamente ameaçador.  Só que sabemos que seu papinho, ou a união de Daryl ao grupo não vai dar em nada, logo, ele poderia ser resolvido em maior imediatismo. Dava facilmente para intercalar os eventos ocorridos no episódio passado, com os eventos ocorridos neste e com o que ficou pendente possivelmente para o próximo com Maggie (Lauren Cohan) e Negan (Jeffrey Dean Morgan) se virando sozinhos e tendo que se ajudar e já fechar tudo com objetividade para partir ao que realmente importa.

Porque os Reapers em caráter de relevância dada a imagética e contextualização do momento da série, não são nem maiores que os canibais do Terminus na quinta temporada. Eles foram resolvidos em um episódio, com Carol (Melissa McBride) basicamente se livrando de todo mundo, sobrando alguns para matar em outros dois episódios em tom de anticlímax. Em condições normais, Daryl faria o mesmo, um teatro escondendo as informações do seu grupo sob tortura, ganhando a confiança dos vilões aos poucos manipulando o que diz e no momento oportuno, exterminaria facilmente aquelas quinze pessoas, já facilitando muito a vida dos demais personagens perseguidos pelo restante sobre caçada – que seria bem mais intensa se narrada em conjunto com essa parte.

Isso não é possível, porque o episódio investe novamente naquele romance “borocoxó” dele com a personagem introduzida nos fillers, Leah (Lynn Collins). Dou o mérito da química dos atores estar mais acentuada e a direção até fornecer uma ambiguidade, no ponto certo, de Daryl está falando que não liga para o grupo porque realmente é “gado” da mulher – o que seria ruim porque o episódio teoricamente dedicado a isso não o fez direito – em contraponto há como isso oferece realmente cenas para exploram o histórico da relação. Agora, colocá-los em grupos opostos, mesmo com a ênfase do Daryl em não contar para ela a verdade, é ainda um conflito muito básico, coisa para ser feita em Fear the Walking Dead – alô Dwight (Austin Amelio) e Sherry (Christine Evangelista) por vários episódios, não, novamente, numa última temporada da principal.

Seria bem mais interessante, depois acompanhar como Leah reagiria se Daryl realmente fizesse o que deveria ser feito, ou melhor, que ela no próprio episódio percebesse o quanto aquela “familia” dela era roubada – e podia ser logo depois da boa cena em que Pope joga um dos membros dentro da fogueira por motivo banal – e ajudasse Daryl a fazer o serviço direito, rendendo uma cena de ação mais interessante do que foi aquela fuga da cabana pegando fogo – que poderia ser outro motivo para ela se voltar contra eles, caso confirmassem a aparente traição dos Reapers a Leah por desconfiança. A personagem, como dito, melhora com as interações mais verdadeiras com o Daryl dentro do capítulo – gosto muito do plano dele preso e sentado, com ela do outro lado da grade, sentada em direção oposta, a fotografia da temporada continua excelente – e ganharia ainda mais nossa empatia fazendo esse movimento, que imagino eu, fará de qualquer forma, em um outro momento.

Já vi essa história antes em The Walking Dead. Protelações de ações que poderiam ser imediatas sem uma justificativa a altura posterior, delas não terem sido realizadas antes. Já é lucro os Reapers estarem presentes desde os fillers da décima temporada, mas dado o que foi esse Rendition e Hunted, não duvido nada disso se resolver somente na primeira mid season, o que é provável e será um absurdo, novamente, diante do que é uma última temporada.

The Walking Dead – 11X04: Rendition | EUA, 12 de Setembro de 2021
Diretor: Frederick E.O. Toye
Roteiro: Nicole Mirante-Matthews
Elenco: Norman Reedus, Lynn Collins, Ritchie Coster, Alex Meraz, Glenn Stanton, Dikran Tulaine, Jacob Young, Branton Box, Michael Shenefelt, Eric LeBlanc, Robert Hayes, Ethan McDowell, Dane Davenport, Zac Zedalis, Lex Lauletta
Duração: 43 minutos

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais