Home TVEpisódio Crítica | Titãs – 3X10: Troubled Water

Crítica | Titãs – 3X10: Troubled Water

por Ritter Fan
5.513 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos demais episódios.

O suprassumo do roteiro que faz esforço demais para parecer sombrio, pesado e desesperançoso aconteceu aqui, em Troubled Water, quando a garçonete do bar onde Barbara e Dick se encontram perguntam o que ele quer beber e ele responde algo como “uma dose de absinto”. Absinto? Jura, Melissa Brides? Isso é o melhor que você consegue escrever para passar aquela pegada rangedora de dentes, adultona e toda séria que Titãs vem tentando estabelecer desde seu início e falhando miseravelmente? Se duvidar, vai ser o efeito contrário, com muita gente sequer sabendo o que é absinto e tendo que procurar no dicionário…

E esse momento acontece relativamente cedo no episódio, depois que o Espantalho, magicamente, em mais um esconderijo secreto, faz com que toda a população de Gotham se vire contra Asa Noturna e seus amigos. O “momento absinto” é inesquecível pelo quanto consegue ser ridículo (até porque ele vem em preparação à ideia de jerico de Dick de se entregar…), mas confesso, do fundo do meu coração, que tudo o que veio depois disso pareceu, para mim, uma névoa gerada pelo estupor causado pela fortíssima bebida que o valentão pede.

Lembro-me, em meio a essa névoa, que todo o “caos” em Gotham City gerado pelo envenenamento das águas e pelo vídeo de Crane é criado, no episódio, apenas com palavras, com um policial aleatório da delegacia que dá as caras pela primeira vez na série para dizer que o mundo está desabando ao redor. Lembro-me, também, de ver os Titãs enfrentando, com dificuldade, alguns cidadãos espumando pela boca que tomaram o alucinógeno do Espantalho. Parece que teve também uma cena em que Estrela Negra inadvertidamente (ou não) absorveu todo o poder de sua irmã em um daqueles desvios narrativos inexplicáveis que só essa série consegue fazer.

E também me lembro, bem lá ao longe, da “grande” cena na delegacia em que os Titãs se entregam somente para que o policial da conveniência de roteiro comande seus colegas a prender os heróis a força por razões que não consigo explicar muito bem, mas que desconfio fortemente que não há lógica alguma e que culmina com Barbara atirando no Mr. Random e, depois, sendo presa por isso, basicamente a única pessoa na série inteira que paga por seus atos criminosos. O que eu me lembro com clareza, porém, é que nada, absolutamente nada dessa abordagem mequetrefe que transforma os Titãs em fugitivos ganhou preparação e construção com um mínimo de cuidado, com tudo sendo basicamente jogado na tela na base do “porque sim”.

Da mesma forma, ou seja, igualmente com a justificativa do “porque sim”, algo que me diz que vi a Moça Maravilha chegar de táxi nos arredores de Gotham – sem que o episódio se dignasse a tratar daquele salvamento de último segundo de Bruce Wayne, claro – e passar por um teste em algum tipo de plano astral para provar que ela era ela mesma ou coisa do gênero, teste esse que não só foi absolutamente patético, como não provou nada, não trouxe peso narrativo algum com ele, sendo muito mais um filler do que qualquer outra coisa, só que com uma bonita fotografia em tons ocres. Ah, e lembro também que ela levou um choque elétrico de taser e nem o sentiu, o que me fez ter um lampejo de algo que aconteceu com ela no final da temporada anterior que também tinha relação com eletricidade, mas minha memória não está bem hoje não e pode ter sido só um pesadelo.

Sério, gente. Titãs ficou ridículo demais. Nada mais segue qualquer tipo de lógica interna, situações nos são forçadas goela abaixo completamente do nada como o policial aleatório e nada mais carrega importância. O showrunner Greg Walker, ao tentar fazer uma série com pegada sombria, exagerou na dose (de absinto?) e acabou criando um pastiche de série sombria que nem Zack Snyder seria capaz de criar, algo que está mais afeito às páginas das paródias da revista Mad do que à televisão. E isso é no mínimo revoltante se levarmos em conta o tanto de personagem fenomenal que ele tinha (e ainda tem) para trabalhar. Bem, só nos resta mesmo afogar as mágoas pedindo bebidas bem fortes em um bar escuro e vazio, de preferência falando com os dentes cerrados…

Titãs – 3X10: Troubled Water (Titans – EUA, 30 de setembro de 2021)
Showrunner: Greg Walker
Direção: Larnell Stovall
Roteiro: Melissa Brides
Elenco: Brenton Thwaites, Anna Diop, Teagan Croft, Ryan Potter, Curran Walters, Joshua Orpin, Vincent Kartheiser, Damaris Lewis, Jay Lycurgo, Savannah Welch, Eve Harlow, Debra Hale, Alan Ritchson, Iain Glen, Elliot Knight
Duração: 43 min

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais