Home TVEpisódio Crítica | Titãs – 4X05: Inside Man

Crítica | Titãs – 4X05: Inside Man

Matando a cobra e mostrando o pau.

por Ritter Fan
875 views

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos demais episódios.

Ok, admito que eu tenho que parar de criticar negativamente a quarta temporada de Titãs e reconhecer o nível superior de genialidade que Greg Walker e seus roteiristas irrefutavelmente demonstram na criação de saídas absolutamente impressionantes para impedir de todo o jeito que Gar apareça em cena usando seus poderes, mas ao mesmo tempo fazendo-o transformar-se em absolutamente tudo que podemos imaginar. E isso me faz pensar se matar a Moça-Maravilha com choque elétrico, mostrar Bruce Wayne tentando se matar e não conseguindo e criar um arco de redenção para Robin II depois que ele, dentre outras ações, explode o Rapina, não são, também, outras demonstrações do mesmo tipo de genialidade que, agora, começo a perceber que é criminosamente incompreendida.

Afinal, não há outra maneira de classificar a transformação tripla de Gar em gorila, velociraptor e tatu logo no primeiro episódio da temporada, sua transformação em Gar em todas as lutas seguintes e, agora, sua capacidade inédita de se transformar em um vírus capaz de servir de vetor para cinzas mágicas (também invisíveis, pelo visto) para matar a cobra gestando na barriga de Conner à la xenomorfo de Alien, o Oitavo Passageiro. Como não entender e não apreciar a complexidade narrativa criada ao redor de cada uma dessas incríveis situações que alçam Titãs a um patamar de qualidade raras vezes visto em entretenimento serializado? É como testemunhar o nascimento de uma nova Era de Ouro da TV, talvez Era de Platina ou Diamante, pois ouro não é valioso o suficiente para qualificar o que está acontecendo diante de nossos olhos incapazes de captar a dimensão do que vivemos.

Mal posso esperar para ver em que mais Gar se transformará nos próximos episódios? Em uma mitocôndria? No cavalo branco de Napoleão na hora de uma nevasca? No avião invisível da Mulher-Maravilha? Em uma película protetora de celular? Talvez em um bicho-pau no meio de uma floresta? Ou, mais sensacionalmente ainda, um linguado em um banco de areia no fundo do mar? Considerem-me absolutamente apaixonado por Titãs a partir de agora!

Mas, claro, não tão apaixonado quanto Tim Drake pelo único cara que trabalha no S.T.A.R. Labs cujo nome não me darei o trabalho de pesquisar, paixão essa que torna os dois cegos para os diversos monitores na instalação ultramoderna que eles em momento algum usam para localizar exatamente onde está a cobra vomitada por Conner, tendo que mandar os Titãs percorrerem os corredores desertos do lugar para absolutamente nada de útil a não ser que possamos acreditar que Rachel é tão idiota a ponto de aceitar que Conner abriu a porta do lugar onde ela está reclusa com Sebastian Sanger para rendê-la como se a jovem – obviamente com formação em psicologia agora que perdeu seus poderes de fumacinha – precisasse descansar de tanto nada que ela faz. É um festival de momentos brilhantes que culminam com Tim finalmente matando a cobra e mostrando o pau.

E também certamente não tão apaixonado como eu me sinto por Jinx, que, mais uma vez – três de três! -, demonstra ser a única pessoa na série capaz de usar mais de meio neurônio de cada vez, seja arrumando a cura para o mal que assola Conner, seja dizendo o óbvio para todos os seus coleguinhas. É como se a série fosse só dela, mas sem que ela pudesse fazer alguma coisa realmente importante porque tem um monte de gente ao redor dela que tem cachê mais alto do que Lisa Ambalavanar. Já está na hora de mudar o nome da série para Jinx and the Other Guys.

Finalmente, como não se derreter de paixão por uma cena tão bem construída como a do diner para onde Kory leva Rachel e Sebastian depois que o S.T.A.R. Labs se mostra tão seguro quanto um motel de beira de estrada? É “você tem que matar Sebastian” de um lado, “você não pode matar Sebastian” de outro; “não me matem” aqui, “eu não vou matar ninguém com meu raio azul” acolá que eu me senti, mais uma vez, em meio a um roteiro capaz de envergonhar os criadores de Legion e Patrulha do Destino tamanha sua qualidade. E o melhor de tudo é que toda essa discussão metafísica foi em vão, pois Sebastian basicamente se joga nos braços da Matriarca do Caos, por razão de “o episódio está acabando”.

Inside Man antecede o capítulo de metade de temporada que será seguido de um hiato. Já começo a sentir dores de abstinência (ou seria uma cobra em minha barriga?) pelo tempo que ficarei literalmente sem ver os bichos e outros seres não exatamente viventes em que Gar se transformará…

Titãs – 4X05: Inside Man (Titans – EUA, 24 de novembro de 2022)
Showrunner: Greg Walker
Direção: Jen McGowan
Roteiro: Joshua Levy, Prathi Srinivasan
Elenco: Brenton Thwaites, Anna Diop (Mame-Anna Diop), Teagan Croft, Ryan Potter, Joshua Orpin, Jay Lycurgo, Franka Potente, Joseph Morgan, Lisa Ambalavanar
Duração: 43 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais