Home FilmesCríticasCatálogos Crítica | Uma Noite no Museu

Crítica | Uma Noite no Museu

por Gabriela Miranda
215 views (a partir de agosto de 2020)

A premissa é encantadora. Dentro do Museu de História Natural Americano, os animais e personalidades ganham vida à noite — tal como acontece com os brinquedos em Toy Story — só que desta vez tem uma pessoa vigiando. Larry Daley vai ter de lidar com diferentes circunstâncias ao se deparar com essa realidade antes inimaginável.

A partir disso, fica claro que este filme visa um público juvenil, mas consegue ainda reter a atenção de adultos com os efeitos especiais e a narrativa dinâmica. Ao potencializar a estrutura óssea de um dinossauro com a maleabilidade para imitar um cachorrinho entusiasmado, o espectador reconhece tanto o gênero quanto a qualidade técnica.

Protagonizado por Ben Stiller, é de se esperar de Larry Daley, segurança noturno recém-contratado, tenha um jeito meio desengonçado e garanta o status de comédia “sessão da tarde”. Além disso, o elenco conta com uma turma de fácil humor, reunindo Robin Williams, Rick Gervais e Owen Wilson. Já o roteiro segue um padrão já bem mastigado por Hollywood, o que não necessariamente o torna ruim.

Aqui a previsibilidade é até bem vinda, porque a intenção é unicamente entreter o público com uma história divertida. Baseado no livro infantil homônimo, de Milan Trec, o grande potencial de Uma Noite no Museu talvez seja o fato de incentivar as crianças a fazerem mais visitações à museus e despertar a curiosidade delas com ações e aventuras no lugar de figuras estáticas e distantes. Isso faz sentido quando o objetivo é cativar os olhos saltitantes de uma criança.

Além disso, o fato de ter uma história emocional a respeito de como as crianças veem os pais é um ingrediente que torna a história bem “família”. Tudo começa quando a admiração do filho é direcionada ao padrasto, que transmite confiança e poder, em vez do pai, irresponsável e sonhador. A decepção do filho é o que motiva a história de Larry. O resto da narrativa vai engatilhar as transformações necessárias para que isso seja contornado ao final do filme.

De fato, é uma triste visão realizar que os pais não sabem todas as repostas e podem estar tão perdidos quanto os filhos e ainda não saberem o sentido da vida, para onde vamos e de onde viemos. É quando humanizamos as figuras paternais. No entanto, o pai herói consegue achar seu espaço na narrativa. E é por conta das diversas situações, de risco e emoção, que Larry aprende seus pontos fortes e descobre seu verdadeiro potencial.

Com direito a pipoca e minhoca azeda, esse filme pertence a um gênero cômico que preenche espaço e apresenta um retorno esperado. Sem muita pretensão, passar uma noite no museu talvez não seja tão má ideia.

Uma Noite no Museu (Night at the Museum, EUA/Reino Unido – 2006)
Diretor: Shawn Levy
Roteirista: Robert Ben Garant, Thomas Lennon (baseado em livro de Milan Trenc)
Elenco: Ben Stiller, Robin Williams, Rick Gervais, Owen Wilson, Dick Van Dike, Kim Raver, Carla Gugino, Mickey Rooney, Jake Cherry, Kim Raver, Patrick Gallagher, Rami Malek, Pierfrancesco Favino
Duração: 108 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais