Home TVEpisódio Crítica | WandaVision – 1X05: On a Very Special Episode…

Crítica | WandaVision – 1X05: On a Very Special Episode…

por Ritter Fan
4897 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos demais episódios.

Ela reescalou o Pietro?
– Lewis, Darcy

Vou ser chato e falar algo que pode ser incômodo. Tenho quase certeza que muita gente considerará On a Very Special Episode… o melhor episódio de WandaVision até agora e, ainda que gosto sempre seja gosto, diria que a razão verdadeira por trás seja que o quinto episódio é o mais estruturalmente “comum” até agora, ou seja, o mais facilmente digerível e apreciável por um número maior de pessoas. Os três primeiros episódios ganharam a pecha de “arghh, sitcom velha sem graça em que nada acontece” e o quarto explicou a lógica por trás de tudo em uma excelente reviravolta narrativa, mas, agora, o que temos é a velha estrutura – já esperada, vejam bem – de “um pouquinho lá e um pouquinho cá” com os entrelaçamentos naturais que vêm daí.

E, mesmo tendo gostado muito do episódio em razão da reconstrução mais uma vez perfeita de sitcoms dos anos 80, com penteados, figurinos, cenários e piadas típicos e do espaço dado a Paul Bettany para desenvolver seu Visão como um personagem potencialmente trágico ao começar a desconfiar que “algo errado não está certo”, especialmente agora que sabemos que Wanda literalmente roubou seu corpo morto e usou-o como matéria prima para criar um monstro de Frankenstein com sua manipulação da realidade, considerei esse o menos interessante de todos os capítulos até agora. Sim, eu sei que a chegada de Evan Peters como o Pietro Maximoff do Universo Cinematográfico Mutante da Fox abre uma gigantesca Caixa de Pandora e eu sei que isso será objeto de todo tipo de especulação sobre se é ou não multiverso canonizando os filmes anteriores, se é apenas uma criação “aleatória” dela ou se é apenas uma brincadeira que Kevin Feige está fazendo conosco, mas isso é um cliffhanger apenas, um doce que nos é mostrado, mas que não podemos saborear ainda e ele não representa o episódio como um todo.

O que realmente representa o episódio é a potencial falibilidade dos poderes de Wanda, que coloca em primeiro plano a discussão que vem furiosa desde a estreia da série: será que Wanda é mesmo a senhora absoluta da situação ou será que há algo mais aí? E, se houver algo mais, esse algo mais é verdadeiramente o senhor (ou a senhora) absoluta da situação a ponto de Wanda sequer ter consciência disso ou esse alguém está apenas se aproveitando de algo armado anteriormente pela loucura ou, para usar uma expressão mais suave, um ataque de nervos de Wanda? Pessoalmente, desgosto profundamente da ideia de Wanda ser apenas uma marionete de forças ocultas sinistras e gostaria de ver algo como “culpa concorrente” nessa história, de forma que a super-heroína não seja facilmente absolvida pelo que fez com base no bom e velho “mas ela estava sendo controlada o tempo todo”.

Seja como for, nesse aspecto o roteiro de Peter Cameron e Mackenzie Dohr foi muito esperto. A entrada de Agnes, a vizinha abelhuda, agora parecendo Jane Fonda em suas icônicas aulas de ginástica pela TV, cria ótimos momentos bizarros que nos deixam exatamente como o Visão, ou seja, não entendendo patavinas, especialmente levando em conta que Agnes, agora, não só vê a mágica ocorrendo, como mostra uma tendência mágica ela mesma ao “adivinhar” que as crianças precisavam de uma casinha de cachorro. Mais do que isso, é particularmente surpreendente a incapacidade de os poderes de Wanda afetarem seus filhos e por eles, aparentemente, terem já poderes próprios, no mínimo capazes de controlar seu crescimento. Em suma, tudo indica que Wanda tem um grau de controle, grau esse que começa a ser gradativamente menor na medida em que vemos exemplos do que ela não parece mesmo controlar.

Outro momento muito bom é quando Wanda sai de sua bolha para tirar satisfações com o Diretor Hayward, o típico burocrata insuportável cuja resposta para tudo é a violência. Ali, a Feiticeira Escarlate (eu sei que ela não tem codinome!!!) mostra total e absoluta consciência do que está fazendo e total e completo controle de seus poderes ao não só manter tudo funcionando mesmo com ela saindo para passear – e com seu uniforme antigo até! – como também controlando os soldados da S.W.O.R.D. Da mesma forma, Monica parece compreender mais sobre as nuanças do que está ocorrendo, demonstrando não só todo seu valor como agente, como também aparentemente abrindo um pequeno espaço de confiança com Wanda. Será muito interessante como isso continuará e se de alguma forma a personagem ganhará seus poderes já aqui na minissérie.

Com mais um anúncio que lista os traumas de Wanda, On a Very Special Episode… é realmente especial como o título diz por abrir inúmeras possibilidades que estão me dando dor de cabeça para processar, mas não me pareceu, como episódio de uma série que nasceu para ser diferente, toda essa cocada que estão dizendo por aí. É ainda muito bom, revelando que Jac Shaeffer realmente tem exemplar controle de sua narrativa, mas ele parece indicar que, doravante, o futuro de WandaVision é mais… digamos… ordinário sob o ponto de vista de storytelling.

WandaVision – 1X05: On a Very Special Episode… (EUA, 05 de fevereiro de 2021)
Criação: Jac Schaeffer
Direção: Matt Shakman
Roteiro: Peter Cameron, Mackenzie Dohr
Elenco: Elizabeth Olsen, Paul Bettany, Teyonah Parris, Kathryn Hahn, Randall Park, Kat Dennings, Josh Stamberg, Asif Ali, Jett Klyne, Julian Hilliard, Evan Peters
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

100 comentários

Giovani 10 de fevereiro de 2021 - 00:25

Como grande fã do John Byrne corri para reler a edição dos Vingadores da Costa Oeste! Esta tudo lá…o Visão desmontado na mesa me arrepiou. Queria muito ver a versão branca do Visão do Byrne!

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:26

Primeiro, temos que saber se o Visão volta mesmo à vida depois de WandaVision…

Abs,
Ritter.

Responder
Spidey 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Ótima crítica, é muito bom acompanhar a série comentando aqui no site, e bom, muitos comentaram o retorno do Pietro como um ponto chave, e sim, foi algo bom, mas o episódio me ganhou pela cena de discussão do casal, a maneira que a série consegue sair de simples temas do humor e adentrar em campos de seriedade, com um forte drama, algo que esconde as camadas psicológicas da Wanda, que pouco a pouco vem a tona, conforme vemos ela desce a espiral da loucura, seria então que temos a Wanda como uma “vilã”!? E não somente ela merece ser citada nessa cena da briga, pois o Visão acaba por ser incrível, as expressões do ator, que conseguem passar o ar de artificialidade em contraste com uma humanidade latente no ser do Sintozoide.

Aliás, queria dizer que previ o futuro!
https://uploads.disquscdn.com/images/dcd621f4bca922e923c86fb74a4f6f1e23d7979ac37eddb1f87a1c0f1a459a72.png

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:26

A discussão do casal foi excelente mesmo, inclusive – especialmente – os créditos subindo no meio.

Sobre sua previsão, você está bem, hein?

E agora, vai acontecer o que?

Abs,
Ritter.

Responder
Spidey 10 de fevereiro de 2021 - 00:27

A parte dos créditos em meio a quebra da sanidade da Wanda, foi algo muito bom e que quero ver sendo abordado mais profundamente.

E sabe, sobre previsões, meu sensor aranha é eficaz, já foi desde elenco de filmes, teorias e até novos personagens, sim, esse último se realizou, a Yara Flor, 2 dias antes de ser anunciada, eu tinha escrito um texto apresentando um universo alternativo da DC, a Mulher Maravilha de lá era um índia brasileira, kkk…

https://ozymandiasrealista.blogspot.com/2020/10/reimaginando-o-universo-dc.html

Responder
Franz Souza 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

“mas não me pareceu, como episódio de uma série que nasceu para ser diferente, toda essa cocada que estão dizendo por aí.”
Concordo plenamente, e digo mais, se essa série fosse da DC ia ter muita gente descendo a lenha na série…

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:26

Mas acho que você me interpretou mal. Não estou dizendo que a série não é essa cocada toda, mas sim esse episódio específico. A série É SIM essa cocada toda. Infinitamente melhor do que qualquer coisa que a CW tenha feito para a DC…

Abs,
Ritter.

Responder
Franz Souza 10 de fevereiro de 2021 - 00:27

Sim, não me refiro as séries feitas pela CW que ai são sofríveis demais mesmo, mas sim num contexto em geral da DC de qualquer canal ou streaming. Se fosse da DC essas horas estaria levando porrada já..

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:27

Não sei. As séries live-action realmente boas da DC são elogiadas, até onde sei, indiscriminadamente, vide Patrulha do Destino, Watchmen e a finada Monstro do Pântano. O restou ou é CW ou é Titãs (uma porcaria) ou é a finada Krypton (boazinha)… Ou seja, o contexto geral da DC em séries live-action não é algo a ser elogiado, apenas as exceções…

Abs,
Ritter.

Responder
Destruidora de mundos 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Comecei esta série com um pé atrás e dormindo nos 2 primeiros ep, no 3 me conquistou e vi novamente os 2 primeiros com outros olhos. Estou completamente viciado. Vejo uma galera dizendo que Pietro não é o da fox e sim uma referência ou que é o Mephisto,na minha visão aquele é o Pietro da Fox, e alguns fatos comprova isso.

1. Ele usa a mesma jaqueta de Dias de um futuro esquecido.
2. O colar que ele usa é visto em dias de um futuro esquecido quando Xavier visita ele.
3. Na versão legendada ele fala algo do tipo ” Você não vai abraçar seu irmão perdido que veio de longe?”

Outra fato é Mephisto ou Pesadelo é o vilão, não teria muito sentido o vilão ser o Diretor da Sword, a Wanda levaria segundos pra acabar com todos ali.

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Eu gostaria muito que esse Pietro fosse o Pietro dos filmes dos X-Men da Fox, abrindo de vez o caminho do Multiverso, mas cada vez mais eu desconfio que é só uma brincadeira de metalinguagem da Disney. Mas veremos!

Abs,
Ritter.

Responder
Destruidora de mundos 10 de fevereiro de 2021 - 00:26

Acho meio dificil viu, Marvel seria bem criticada se fosse apenas uma brincadeira…

Responder
Barry, o Lanterna 10 de fevereiro de 2021 - 00:26

criticada porquê? Está mais que na cara que o Feige não quer saber do universo da Fox e apenas quer manter o deadpoll

Responder
Destruidora de mundos 10 de fevereiro de 2021 - 00:27

Se vai manter o Deadpool obviamente o Pietro pode ser o da Fox.

Barry, o Lanterna 13 de fevereiro de 2021 - 14:55

depois do ep de hoje, claramente não é o Pietro da Fox

planocritico 13 de fevereiro de 2021 - 14:55

Sim, sim.

Abs,
Ritter.

Alison Cordeiro 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Amei os episódios iniciais e suas homenagens aos programas das décadas de 50, 60 e 70, bem como o clima de mistério subtendido neles que se revelou na sequência. E, adicionalmente, as críticas do Plano, que tem no nosso “mal-humorado” Ritter um controle de qualidade grande. E se o Ritter gostou, é bom sinal.

O clima “normal” do episódio (do que estamos acostumados com o UCM) também curti, e acho que é natural para que a série chegue logo no seu final. A sensação é de estarmos vendo um filme da Marvel, e ao menos para mim, foi uma sensação boa.

Os episódios serem curtos nos deixam com um gostinho de “quero mais”. Estou curtindo.

A chegada de Pietro do Fox me parece ter a ver com o fato que Wanda não pode “ressuscitar” ninguém, com a possibilidade do multiverso, e com o fato de alguém mais estar controlando os eventos do Hex. As teorias são muitas, mas assim como você, Ritter, que conhece bem os quadrinhos, vejo pistas sendo deixadas que referenciam fatos dos quadrinhos. Mas sendo a Marvel, não devemos esperar muitas camadas. A “simplificação” é parte do modus operandi do UCM, então não espero nada épico, mas divertido.

Elizabeth Olsen e Paul Bettany seguem mandando bem. A experiência está sendo gostosa, uma série por enquanto sem fillers.

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

A série tem sido muito gostosa de assistir mesmo.

Sobre Pietro, vamos ver. Eu fico desconfiado de que tudo não passou de uma brincadeira metalinguística da Marvel sem maiores consequências, ainda que eu queira que não seja isso.

Abs,
Ritter.

Responder
Lucas Casagrande 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Só melhora a série, pra mim o melhor episódio, pode ser que seja pelo motivo que vc apresentou mas foi o melhor mesmo pra mim, ansioso demais pelo próximo episódio, que série incrivel

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Incrível mesmo. Jamais esperaria algo assim e confesso que isso me deixa com medo pela vindoura Falcão e o Soldado Invernal, pois ela me parece bem normalzinha…

Abs,
Ritter.

Responder
Loki 8 de fevereiro de 2021 - 11:53

Sinceramente não sei o que esperar dessa aparição do Mercúrio da Fox. Tudo leva a crer que seja o Mephisto disfarçado, mas eu não apostaria 100% nisso pelo fato da Marvel estar introduzindo o multiverso justo nessa fase 4 e o Doutor Estranho 2 estar ligado a esta série. E outra coisa que notei é que parece que a Marvel está corrigindo algumas cagadas das fases anteriores agora, como o Mandarim verdadeiro aparecendo, filme solo da Viúva Negra, série do Gavião, Guerra das Armaduras sendo adaptada novamente na serie do Rhodes, Thor sendo o primeiro personagem a ganhar um 4 filme solo ( Provavelmente pra compensar os 2 primeiros que foram bem meia boca), Barão Zemo retornando e dessa vez com o visual clássico. E baseado nisso não seria de se estranhar que a Marvel trouxesse o Evan Peters pra se redimir da cagada de ter matado o Mercúrio tão precocemente. Enfim, só o tempo dirá.

Obs 1: Ótima critica mano.
Obs 2: se tudo isso do Evan Peters for só uma piada, e ele não for nem Mephisto nem Mercúrio vai ser a maior sacanagem da Marvel kkkkk

Responder
planocritico 8 de fevereiro de 2021 - 11:53

Obrigado!

Eu ainda acho que a presença do Mercúrio da Fox é engodo da Disney. Queria que fosse o multiverso, mas não sei…

Abs,
Ritter.

Responder
Destruidora de mundos 10 de fevereiro de 2021 - 00:24

Eu vejo legendado, ele diz algo do tipo “Você não vai abraçar seu irmão perdido que veio de longe?” E se reparar ele usa a mesma Jaqueta de Dias de um futuro esquecido e o colar que ele usa é visto na mesa no filme.

Responder
planocritico 10 de fevereiro de 2021 - 00:26

Sim. E então em seguida ela pergunta “Pietro?”.

Abs,
Ritter.

Responder
JC 7 de fevereiro de 2021 - 13:08

Eu confesso que como leitor da Marvel desde 1992, estou absolutamente amando cada pedacinho de WandaVision! Gostei de todos episódios até agora, e o final eu dei um berro! ahahahahah
Que coisa mais maravilhosa.

Não consigo separar meu lado fã do lado crítico, achei um episódio delicioso de assistir, seja comum ou não. 😀

Dá pra imaginar tanta coisa que pode acontecer ainda…estou realmente envolvido 😀

Curioso que aquela visão do Visão sendo dissecado, veio diretamente dos quadrinhos!

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 15:19

Mas sem dúvida foi um episódio delicioso de se assistir. Eu apenas achei levemente inferior aos demais. Tão levemente que a nota foi a mesma dos três primeiros!

Abs,
Ritter.

Responder
Alvaro Robledo 7 de fevereiro de 2021 - 13:08

Na minha opinião a Wanda, ta sim, controlando a maioria daquele vilarejo porém a aparição do Mecurio no final não foi obra dela não. A expressão dela de espanto ao ve-lo já deu a entender q “alguem” ta jogando esse joguinho de controle tmb rsrs

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 15:20

É o que eu gostaria que fosse. Vamos esperar para ver.

Abs,
Ritter.

Responder
Wagner Farias 7 de fevereiro de 2021 - 13:08

Estou adorando a serie e, como de praxe, venho aqui para ler as ótimas criticas e participar das discussões. Mas uma coisa me intriga. Pq colocar o mercurio da fox e nao do MCU? poderia ser pq o ator nao aceitou o retorno? Nao acredito nisso, principalmente no MCU, onde eles parecem ser meticulosos com isso. Isso deve ter sido feito de forma pensada, mas quero ver a explicaçao disso. Até por que pelo que vi nos filmes, a origem é diferente nao é? Na fox o mercurio é filho de magneto e no mcu é o irmao da vanda. Ate o nome difere (peter/pietro). existe explicaçao pra isso nas HQs?

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 15:20

@disqus_BT7Uhza3Tr:disqus , obrigado!

Sobre o Mercúrio da Fox, pode haver duas explicações: (1) é só uma brincadeira; (2) é o começo efetivo do Multiverso, com Wanda tendo aberto uma “porta” para outro universo. E nem digo que existam só essas possíveis explicações. Teremos que esperar para ver.

Nos quadrinhos, durante décadas tanto Mercúrio quanto Wanda foram filhos do Magneto. E a diferença de nomes é facilmente explicável pela mais do que comum americanização de nomes europeus nos EUA. É muito comum ver Giovanni ser efetivamente chamado de John e assim por diante.

Abs,
Ritter.

Responder
Wagner Farias 8 de fevereiro de 2021 - 11:53

faz sentido a teoria do multiverso, mas ainda assim, é o mercurio do outro mundo,com outra cara, e ela nao deveria reconhecer ele. Mas aposto que terá uma explicaçao pra isto. Nao deixaram pontas soltas até agora, não acredito que irao começar a deixar.

Responder
planocritico 8 de fevereiro de 2021 - 11:53

Eu desconfio que é só uma brincadeira de metalinguagem como o JJJ no segundo filme do Aranha do UCM, mas veremos.

Abs,
Ritter.

Responder
Wagner Farias 8 de fevereiro de 2021 - 11:53

Agora pensei outra coisa. Nao lembro se ela chamou ele pelo nome antes dele se apresentar por assim dizer. Se foi assim, ela nao o reconheceu pela aparencia e sim pelo q ele disse. To adorando ficar matutando estas teorias, hehehe…

Responder
planocritico 8 de fevereiro de 2021 - 11:54

Ela só falou “Pietro?” depois que ele disse que era o irmão dela…

Abs,
Ritter.

Responder
Rafael Paim 7 de fevereiro de 2021 - 00:33

Sendo chato e reclamando que ela ser manipulada é a pior saída, sendo que já ficou claro que ela que tá manipulando todo mundo e ela mesma admitiu isso na conversa com a espada.

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:33

Não ficou nada claro. Wanda disse ao Visão que não sabe como tudo começou e que sequer sabe quem está tocando a campainha. Além disso, a Agnes pareceu por um momento controlá-la, além de saber mais sobre o que está acontecendo do que Wanda. Além disso, ela não consegue controlar os filhos. E isso sem contar os diversos outros sinais ao longo dos episódios que demonstram que ela não parece estar totalmente em controle.

– Ritter.

Responder
Rafael Paim 7 de fevereiro de 2021 - 00:34

Olha mas 4 ou 5 pessoas que ela não controla até agora.. os gêmeos e ágata, o Pietro e aparentemente visao

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:39

Ou seja, ela não está manipulando todo mundo.

– Ritter.

Responder
Rafael Paim 7 de fevereiro de 2021 - 00:39

c tá certo. Na verdade ela só deve tá manipulando 99,9% de milhares de pessoas na cidade. Mas não são todos de fato.

planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 12:59

Não é assim que se faz “a conta”. Mas, claro, se você prefere concluir dessa forma, beleza, direito seu.

– Ritter.

Rafael Paim 7 de fevereiro de 2021 - 00:34

ela tá mentindo pro visão

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:39

E para a SWORD não?

– Ritter.

Responder
Junito Hartley 7 de fevereiro de 2021 - 00:33

O episodio foi muito top, a serie ta numa crescente legal, pra mim ficou evidente que a Uanda nao tem controle de tudo ali (ela mesmo fala isso pro Visao um pouco antes do Pietro aparecer e ainda diz que nao sabe como tudo começou) ela controla parte daquele mundo, mas tem alguem que manipulou ela pra que fizesse aquilo.

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:39

Alguém tê-la manipulado para começar tudo como ela indica é, para mim, a pior das soluções.

Abs,
Ritter.

Responder
Mario Saporito 7 de fevereiro de 2021 - 00:33

A melhor análise de Wandavision que eu li desde que a série começou. Estou adorando, mesmo com a ideia de sitcom, mas precisávamos mesmo que alguém situasse essa narrativa dentro do contexto Marvel. Parabéns.

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:39

Obrigado!

Abs,
Ritter.

Responder
BUGU 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Outra coisa: o que a ESPADA estava fazendo com o corpo do Visão? Se ele havia pedido em testamento que não usassem seu corpo para nada ele não deveria ser enterrado ou então estar sob custódia de algum vingador que assinou o Tratado de Sokóvia? Provavelmente esse diretor estava usando o corpo para criar mais armas…

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

E você acha que uma agência dessas ia deixar o corpo do Visão quieto? Tem mais é que ser dissecado para aproveitar a tecnologia…

Abs,
Ritter.

Responder
Victor Martins 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

O Norm falando “dela” foi um red herring total. Ele poderia estar se referindo à Agnes, que provavelmente está arquitetando a situação toda, sem tirar o controle da Wanda.
Eu acho que nós teremos em breve um episódio centrado na Agnes explicando como ela foi parar ali.

Sobre o Pietro, o Feige disse que a série se conecta com Doutor Estranho 2 e o novo Homem Aranha, que trará o Aranhaverso e dizem as más línguas que até o Charlie Cox vai voltar, então não duvido que seja o Mercúrio da Fox. Devem colocar o Foxverso como parte do multiverso, algo parecido com a Crise das Infinitas Deep Webs que a CW fez. Provavelmente Deadpool 3, que já foi anunciado, trará algo como o Deadpool fugindo do Universo Fox, que está sendo destruído ou coisa parecida.

E eles deixaram um gancho bem interessante pra Capitã Marvel 2 ali. A Monica deve ter receio da Carol, que sumiu enquanto a mãe dela tinha câncer.

Mas uma coisa que me incomodou é o excesso de personagens explicando as coisas e conversando com outros personagens que também estão explicando as coisas. Seria proposital ?

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

A Agnes tem potencial de ser uma personagem MUITO interessante.

Sobre o Pietro, acho que todas as possibilidade estão na mesa. Pode ser só uma brincadeira da Marvel, como pode ser muito mais do que isso. Temos que esperar para ver.

Mas sim, as explicações das explicações cansaram um pouco… Diferente do episódio anterior em que elas foram super dinâmicas.

Abs,
Ritter.

Responder
Felipe Brandon 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

A série está muito boa de acompanhar, eu não sei bem o que esperar até a finale, só sei que estou adorando.
A utilização do Evan Peters foi uma sacada bem esperta, não só como metalinguagem mas pode ser tanta coisa e ao mesmo tempo não ser nada. Porém a sacada foi genial.
Eu ainda tenho as minhas dúvidas porém acho que a Agnes deva ser o Mephisto mesmo.
E para terminar, espero de coração que a Wanda não esteja sendo controlada por alguém, quero uma consequência devastadora para os personagens ao final da série assim como o Framework foi para os agentes da shield.
Ótima crítica mais uma vez, aguardemos os próximos eps.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Eu não gostaria que a Agnes fosse quem você diz que ela é. Eu gostaria que ela fosse ela mesma (ou a Ag ____ es dos quadrinhos, que pode estar agindo como agente do fulano aí ou não, como alguém que quer justamente impedir que o fulano tome controle. Mas veremos!

E também quero uma consequência devastadora!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Rafael Lucas Pereira Silva 6 de fevereiro de 2021 - 20:54

Pra mim foi um episódio q eu gostei mas com ressalvas… Eu particularmente gostei porque a parte sitcom agora parece indigesta, tudo nela pareceu algo estranho ou simplesmente amargo… Eu não gostei pq esse vai e vem de núcleos não ajuda, mas gente, agora é acostumar assim (foram pela rota mais fácil, e não tem volta), e eles tem q explicar pq a Wandinha não fez seu clássico “não” quando Visão começa a sair do controle, mas talvez seja isso, perder o controle…

PS. A Marvel sendo Marvel fazendo uma coisa q eu odeio, fazer um personagem dizer o q ela quer q a gente entenda, como a Darcy dizer q o Pietro foi reescalado… Não acho q essa seria uma fala normal vinda dela

PS2. Acho q haverá uma boa conveniência pro Pietro e os filhos continuarem existindo pós série, talvez relacionado ao fato de não terem um antes, e como estão explicando, agora de fato existirem… Agora o Visão… Eu já estou ficando triste mais do q eu imaginava.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Sim, mas eu sempre achei as sitcoms indigestas no sentido de desconfortáveis por esconder algo mais sinistro. Agora apenas ficou mais óbvio.

Sobre a frase da Darcy, o objetivo não foi explicar, foi brincar em um contexto de metalinguagem. Pelo menos foi assim que eu vi.

Sobre Pietro e os filhos continuarem existindo, não acho que será conveniência, mas sim algo explicado nem que seja cosmicamente.

Abs,
Ritter.

Responder
Rafael Lucas Pereira Silva 7 de fevereiro de 2021 - 15:19

Pera ai kkkkk acho q o ponto da Darcy pode ser mais implicância minha e torço também pra não seja só conveniência a continuidade dos outros…

Agora quando vc fala do algo sinistro nas sitcoms vc fala de todos os episódios dessa série ou de todas as sitcoms q existem? Kkkkkkkkkkkkkk

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 15:20

Falos das sitcoms em WandaVision, não em geral.

Abs,
Ritter.

Responder
Bernardo Barroso Neto 6 de fevereiro de 2021 - 20:54

Já estou preparando para passar meus panos lagos para a wanda se ela for realmente a vilã da série. Eu acho que o Pietro que apareceu no final não é quem ele diz. Só um palpite.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Tomara que ela seja a vilã mesmo! Ou uma das vilãs.

Abs,
Ritter.

Responder
Carlo Von Sechsron 6 de fevereiro de 2021 - 20:54

O 4o foi superior pois trouxe uma grande novidade, a perspectiva externa, com a Sword e tudo mais. Esse foi uma forma de dar tração a essa nova dinâmica da série. Detalhe já comentado por aí sobre o Norm, que pede ao Visão para “ela” parar, mas não fala especificamente da Wanda.
Sobre o Pietro da Fox, eu chuto que será a mesma artimanha utilizada com o trailer do Aranha longe de casa, onde todo mundo achou que era o início do multiverso, mas era só um golpe manjado do Mysterio. Não imagino nada complexo e ficarei surpreso se for algo interligado. Ainda aposto no criador dos voodoo childs aparecendo por intermédio da Agnes.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Sobre o 4º episódio, concordo. Sobre o Pietro, pode ser só uma distração mesmo. Veremos!

Abs,
Ritter.

Responder
Nathanael Pereira 6 de fevereiro de 2021 - 20:54

Concordo com você gostei muito msm do episódio mas vi muita gente dizendo que era melhor do que os quatro primeiros juntos e isso eu discordo totalmente os três primeiros são episódios perfeitos como um começo de série trazendo informações de algo está errado e as incríveis explicações que vem com o ep4 fazendo conexão com os vingadores e revelando que Wanda estava no controle daquilo fecha com chave de ouro.

Eu achei que eles voltariam para o sitcom totalmente no episódio pq as melhores partes do EP estão lá toda a desconfiança do visão aquela cena do Norm quando visão meio que desbloqueia a mente dele mostrando o que agente já desconfiava que a população tem certa conciencia que estão presos.

A Wanda realmente não tem total controle da situação ou pelo menos eu vejo como se ela tivesse perdendo esse controle só espero que no final não digam que ela tava sendo controlada totalmente por alguém isso na minha opinião tiraria todo o desenvolvimento da personagem que até agora está sendo um dos melhores que a Marvel já fez.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Também gosto muito dos três primeiros episódios. Aliás, já gostei muito de cara do primeiro. Simplesmente genial como tudo foi “capturado” das respectivas décadas.

E eu estou com você: tomara que a explicação não seja do tipo “entidade cósmica controlou Wanda desde o começo”. Isso seria muito preguiçoso…

Abs,
Ritter.

Responder
BUGU 6 de fevereiro de 2021 - 20:54

Não entendi a cena em que Jimmy Woo diz que ela não tem um codinome. Em Guerra Civil o Homem Formiga não chama ela de Feiticeira Escarlate na cena em que diz que ela também é famosa? Ou estou enganado? Em questão à cena de Pietro, pela cena do episódio 6 que vazou tenho a impressão de que ele possa ser o Ralph…

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Não disse não.

Abs,
Ritter.

Responder
Vini 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Não, ele só diz que já ouviu falar dela e ela é incrível

Responder
Leonardo Postal 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Repararam na cara meio apática da Monica quando citaram a Capitã Marvel? Será que houve algum conflito entre elas nesse meio tempo? Será que ela a culpa de alguma forma pela morte da mãe?

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Sim, tem coisa ali. Bacana a forma como eles já deixam sementes para linhas narrativas futuras.

Abs,
Ritter.

Responder
Cahê Gündel 🇦🇹 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Concordo integralmente, Ritter, e também ficarei puto se a Wanda for uma marionete de alguma força.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Vamos torcer para que ela não seja só isso!

Abs,
Ritter.

Responder
Jadiel 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Volto do limbo pra te falar que acho esse o melhor episódio da série, até agora, enquanto o último achei o mais fraco (ou menos forte, já que ainda achei é um ótimo episódio). Mas deixe-me elaborar…

No episódio passado tive que (mais um vez) rever minhas expectativas para com a série. Mas diferentemente do primeiro episódio, onde fui surpreendido por ser algo bem diferente de tudo o que já foi mostrado no MCU até agora, no último episódio senti que houve um retrocesso à fórmula Marvel, talvez pela volta de alguns personagens criados nessa fórmula, como a por vezes simpática, por vezes irritante Darcy Lewis. Além de achar o tratamento dado ao “blip” muito artificial. Talvez alguns minutos a mais explorando o luto da Monica Rambeau, desse mais peso ao que vimos naquela cena inicial. Outra coisa que acho que o tempo reduzido do episódio tenha atrapalhado, foi na forma como os personagens passaram a entender o que estava acontecendo dentro do Hex. Foi tudo muito apressado, muito diferente da queima lenta que vinha sendo os primeiros episódios. Mas enfim, apesar disso tudo, ainda gostei muito do episódio.

Mas gostei mais ainda desse, que apesar de continuar praticamente com o mesmo ritmo do anterior, houve mais tempo pra desenvolver o que estava acontecendo em tela. Sim, admito que gostei muito do cliffhanger no final, então posso parecer meio suspeito pra falar do quanto gostei do episódio como um todo, mas considerando o que o último episódio construiu, esse considero uma quase perfeita continuação das ações do episódio passado. Pra mim a melhor cena do episódio foi a da discussão da Wanda e do Visão, enquanto ela tentava, sem sucesso, forçar o fim do episódio para que seu mundo perfeito não fosse comprometido. E a cena da Wanda saindo do Hex, me deixa muito curioso pra saber o que levou a Wanda a tomar essa decisão extremista, qual foi o gatilho que a levou a ficar assim. A estrutura do episódio pode até ter sido mais comum, mas acho isso compatível com o que veio ateriormente, então por essa razão não considero um ponto negativo. Enfim, continuo extremamente interessado no que pode vir pela frente, até por não saber nada dos quadrinhos, então esperemos mais uma semana de tortura pelo próximo episódio.

Ps: Ritter, acredito que o pronome correto pra se referir a Jac Schaeffer seja “ela”, na verdade, heheh https://uploads.disquscdn.com/images/bacfc88651f9a43fa0e2e30fd9efaf1ea02a14a93a398f9bbba9ab683a1ee625.png

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Sim, a showrunner é mulher. Errei. Vou mudar tudo, valeu!

Sobre os episódios, se extirparmos as informações, reviravoltas e cenas de ação propriamente ditas para ficarmos em uma base comparativa mais justa, eu acho que o episódio anterior foi mais bem-sucedido em termos narrativos. Nesse aqui, a estrutura foi básica e eu tenho certeza que continuará assim até o final agora. E não acho isso péssimo ou mesmo ruim. É ok, faz total parte do jogo.

Abs,
Ritter.

Responder
cleverton 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Episodio muito bom que explica muita coisa tmb, e te falar os vingadores são muito descuidados eles deixam sempre as “armas” deles caírem na mão de outras pessoas ou grupos. No mais uma coisa que tá me incomodando na série e os civis que não estavam nas lutas dos vingadores saber tudo q aconteceu lá, como eles sabiam q a feiticeira quase matou o thanos? No mais acho q o Pietro vai lembrar mais o papel dele em American Horror Story do q Xmen.

PS: Esse episódio fez referencia a qual série dos anos 80?

Responder
Daniel Kososki 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Fez referência a Três é Demais (Full House) e Roseanne

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Isso!

Abs,
Ritter.

Responder
cleverton 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Chutei certo o três é demais kkkk vlw

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Um evento dessa magnitude não pode ficar escondido. No mínimo todas as agências do mundo tiveram acesso aos relatórios e, daí, todos os jornais também, pelo menos uma boa parte.

Abs,
Ritter.

Responder
cleverton 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Faz sentido essa explicação e eu até imaginei isso, mas ainda estranhei um pouco. Mas nada que tire o quão daora foi episódio

Responder
xaropinho 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Creio que os vingadores tenham um bardo, daí explica a galera saber o que aconteceu na batalha.

Responder
cleverton 7 de fevereiro de 2021 - 12:59

OHHHH kkkk

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 15:20

O Thor certamente tem vários bardos a seu serviço!

Abs,
Ritter.

Responder
Filipe Isaías 7 de fevereiro de 2021 - 00:33

A abertura é referência a Family Ties, a série do Michael J. Fox
https://www.youtube.com/watch?v=acrwvCyVrtI

Responder
planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:33

Boa!

Abs,
Ritter.

Responder
cleverton 7 de fevereiro de 2021 - 13:08

Maneiro, n sabia da existência desse

Responder
Wagner 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

Tenho que discordar do início, Ritter: continuo pensando que o público achará o episódio anterior o melhor e por esses mesmos motivos que você disse. Não é difícil achar comentários do tipo “Agora sim parece algo do MCU”. Para mim o quarto é o melhor por casar muito bem o estilo dos filmes com esse aspecto fora da curva que a série criou no início

Sobre esse episódio, gostei (mas com boas ressalvas). Não achei que combinou muito bem o sitcom com a trama fora de Westview no mesmo capítulo. Com isso chego a pensar que o problema foi a duração dos episódios anteriores, em que daria para incorporar parte da criação da Wanda neles caso fossem um pouco maiores e deixassem esses dois últimos para o trabalho da SWORD, com a participação da ala televisiva já sabendo do controle.
Outro fator foi o Visão tomando ciência dos fatos no início do episódio, coisa que ele poderia fazer na mesma proporção anteriormente. Por mim deixavam isso só para a parte do trabalho.

Agora sobre a Wanda, pqp! Que momento lindo ela botando moral pra cima do povo. Também queria que tudo isso fosse obra apenas dela, mas é o que temos pra hoje. E aparentemente ela sabe quem a está “ajudando”, que aliás traz uma discussão legal sobre controle, além da conversa com seus filhos em querer fugir das dificuldades

Sobre o Pietro, acho que ele vai ficar só pra série e nem por muito tempo. Wanda não pode ressuscitar seu irmão, então ela teria que colocar outra pessoa no lugar. Como já tivemos outro ator interpretando o mesmo personagem, foi tipo que a escolha óbvia (ou vai ver a Wanda assistia aos Fox-Men)

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 02:04

Para mim o quarto é o melhor porque ele tem um roteiro realmente incrível e não porque ele se parece com o que o UCM normalmente faz, até porque eu não acho que se pareça nadinha com o que o UCM faz… Esse aqui é une as duas pontas e cria um balanço entre imaginário e real que dá aquela sensação de se estar vendo algo familiar. Mas veremos!

Sobre o Pietro, teremos que esperar. Pode não ser absolutamente nada a não ser uma piscadela ao público, como pode ser o começo de uma bela amizade, se é que você me entende… Não acho que os filmes dos X-Men existam como filmes no UCM, pois senão a Darcy pegaria a referência…

Abs,
Ritter.

Responder
Wagner 6 de fevereiro de 2021 - 20:54

A sua descrição desse episódio é justamente o que acho da junção dos quatro primeiros com uma forma melhor construída (e com isso o quarto episódio fica ainda mais incrivel). Achei que essa combinação não funcionou tão bem quanto anteriormente, mas ainda é boa.

Responder
Leonardo Alves 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

Excelente crítica. Também senti um gosto meio agridoce após o episódio, apesar de ter gostado muito. O diretor da SWORD me lembrou muito aquela facção da SHIELD que aparece na segunda temporada de Agents of SHIELD, querendo resolver tudo na pancadaria.

Sobre o Pietro… Não acho que iriam colocar ele na série sem propósito…mas também não consigo ver qual caminho sua presença pode levar…

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

Pois é. Não sei qual é o plano de se colocar esse Pietro aqui. Pode significar MUITA coisa, como pode não significar nada além de uma piscadela…

Abs,
Ritter.

Responder
Bruno Lopes Lima 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

Caraca.

Responder
Giovanni Filoni 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

Esse episódio começou o que eu mais temia: a transição entre sitcom e realidade. Era algo esperado e necessário, mas talvez tenha visto cedo… mas, mesmo assim, foi trabalho de uma maneira que achei muito gostosa de se assistir e não incomoda. Além do mais, abriu espaço para enfim haver a primeira união de núcleos. Ao mesmo tempo em que vemos nessa união o total controle da Wanda (aguardarei o devido momento para chamá-la de Feiticeira Escarlate!), também temos uma talvez incapacidade de trazer de volta o cachorro e também uma completa falta de conhecimento sobre como tudo aquilo começou (eu, ao menos, não acho que ela esteja mentindo ao fim do episódio).
Fora isso, acho que o Paul Bettany brilha a cada episódio mais e mais. A Elizabeth Olsen está ótima, também, mas por ora acho que a trágica busca do Visão está dando espaço para ele demonstrar o personagem de uma forma que nunca foi possível antes. A dor, que nunca pareceu ter acompanhado o Visão até o fim de Guerra Infinita, agora pode se tornar uma constante. O horror na expressão dele é uma das coisas que mais me chateia e me deixa desconfortável na série (ainda mais depois de uma abertura tão maravilhosa e de derreter o coração como a deste episódio)

E atualizando a opinião de meus companheiros de série, esse foi realmente o episódio que eles mais curtiram até o momento! Por mim, acho que o primeiro episódio continua sendo o que melhor se aproveita da forma em favor do roteiro, mas esse acaba sendo sim o que vem logo atrás. Era um episódio que, na real, eu não esperava muito, e acabei saindo bastante surpreso.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

O Bettany mandou muito bem aqui e tem potencial para engolir a série toda pela tragédia inerente ao seu personagem. Será muito interessante ver como ele evolui.

He, he, viu como minha suspeita de que o público em geral vai gostar mais desse episódio de estrutura “comum”?

Abs,
Ritter.

Responder
Mago Cartman 6 de fevereiro de 2021 - 02:02

Eu acho que o Pietro da Série B vai ser mais uma metalinguagem do que realmente o Mercúrio da Fox. Única certeza que não é o mesmo Pietro não só pela aparência pq ele nem conhece o Visão Morto Muito Louco.

Quanda a Wanda sai pistola do domo ela muda de roupa, q Mônica sair com a roupa da Geraldine me parece uma falha na Matrix da Wanda, nem ela sabe que pode materializar suas criações do lado de fora.

E achei excelente todas rupturas no conceito de sitcom que tiveram aqui, as risadas cessando quando a Agnes escorregou no personagem e a treta com os créditos rolando foram ótimas sacadas.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 02:04

Se for só uma metalinguagem, acho que será um grande desperdício. Mas pode ser sim.

Sobre os créditos rolando, achei excelente. Muito bem sacado aquilo.

Abs,
Ritter.

Responder
Mago Cartman 6 de fevereiro de 2021 - 20:53

Eu espero que não seja, mas acredito que só trouxeram esse ator pra fazer essa confusão mesmo e deixar no ar e não que isso significa que o Fox-Men vai vir pro MCU. Mas acho q no mínimo eles podem colocar o Foxverse como um terra do multiverso.

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Sim, sim. No minimo dos mínimos tem que ser um dos universos do Multiverso mesmo. A única série que eles precisam eliminar do Multiverso é Inumanos…

Abs,
Ritter.

Responder
Mago Cartman 7 de fevereiro de 2021 - 00:34

Essa eu nem vi, não conheço ninguém gostou, vou confiar em geral.

planocritico 7 de fevereiro de 2021 - 00:39

Não gosto de falar para alguém não ver algo, mas eu abro exceção para essa série… Que coisa mais dolorosa foi ver e ainda por cima escrever por episódio…

Abs,
Ritter.

Caio Cesar 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Outro ponto que contribui para o Pietro não ser dos X-Men é o fato de que, nos filmes dos mutantes, o nome dele era Peter Maximoff (acho que teve algum acordo de que só a Marvel Studios chamaria seu Mercúrio de Pietro).

Responder
planocritico 6 de fevereiro de 2021 - 21:00

Não sei se isso é uma pista válida, pois a americanização de nomes estrangeiros é lugar-comum nos EUA. O cara nasce Giovanni, mas vira John a vida toda…

Abs,
Ritter.

Responder
Mago Cartman 6 de fevereiro de 2021 - 21:01

Exatamente. Acho que só aproveitaram o ator pra fazer uma confusão.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais