Crítica | Doctor Who – Série Clássica: Mission to the Unknown (Arco #19)

estrelas 4,5

Equipe: Marc Cory (Agente de Segurança Espacial que investigava secretamente a presença dos Daleks em Kembel) e Gordon Lowery (membro da UN Deep Space Force Group 1, capitão da nave que levou Marc Cory ao planeta Kembel).
Espaço-tempo: Planeta Kembel, c. 4000

Mission to the Unknown é um episódio curioso da 3ª Temporada de Doctor Who. Ele constitui o 19º arco da série, mas não se caracteriza exatamente por ser um arco, já que não é um bloco de episódios com uma temática específica. Trata-se de um capítulo solitário da série, que de maneira inédita, não traz nem o Doutor nem seus companheiros no elenco principal.

Escrito por Terry Nation, Mission… é um prólogo de The Daleks’ Master Plan, e funciona perfeitamente bem sem o Time Lord e seus passageiros da TARDIS. Como uma história de introdução, temos aqui as primeiras cartas dadas pelos Daleks, sua aliança com as sete forças destruidoras do Universo e o plano para tomar de assalto a Via Láctea, começando, claro, pelo planeta Terra.

Os líderes dos Conselho Galáctico que estão na reunião com os Daleks são Malpha, Desmir, Stifka, Hjbuj, Pteron, Dbremen e Leemon. Desses, o mais interessante é Malpha, que se parece com o Coisa do Quarteto Fantástico.

Na cronologia dos acontecimentos, Mission to the Unknown se passa 6 meses antes do início do plano, iniciado no arco 21. Alguns dados também podem ser considerados para melhor localizar o espectador em relação ao eventos, mas para isso, é preciso trazer um pouco da história…

Uma nave terráquea pousa no planeta Kembel e apresenta alguns defeitos, por isso demora decolar novamente. Dos tripulantes dessa nave, apenas um sabe o verdadeiro motivo desse pouso. Há 1000 anos, os Daleks invadiram a Terra, mas recentemente foram descobertas atividades desses vilões na Via Láctea. Uma missão secreta e disfarçada foi enviada para checar um dos planetas mais hostis do Universo, e ao ver as Vargas, plantas sintéticas criadas pelos Daleks e originárias de Skaro, o responsável pela missão secreta não tem dúvidas: os saleiros ambulantes estão ali.

Em conversa com um dos tripulantes da nave terráquea, o responsável pela missão secreta diz que nos últimos 500 anos os Daleks conquistaram mais de 70 planetas no 9º Sistema Galático e mais 40 na Constelação de Miros. Os dados apontam para um intensa atividade bélica e imperialista, que se completa em Mission to the Unknown, quando vemos uma aliança ser traçada com outros alienígenas imperialistas.

Mission to the Unknown pode não ser assim tão grandioso se visto isolado em si, mas pensando-o dentro da série, com sua função de prólogo para o grande arco The Daleks’ Master Plan, ele se torna um ótimo exemplar dessa 3ª Temporada e prepara o espectador para uma das maiores investidas dos Daleks na conquista da Terra e do Universo

Mission to the Unknown (Arco #19) – 3ª Temporada

Roteiro: Terry Nation
Direção: Derek Martinus
Elenco principal: William Hartnell, Edward de Souza, Barry Jackson

Audiência média: 8,3o milhões

1 Episódio (exibido em 09 de outubro de 1965).

LUIZ SANTIAGO (OFCS) . . . . Após recusar o ingresso em Hogwarts e ser portador do Incal, fui abduzido pela Presença. Fugi com a ajuda de Hari Seldon e me escondi primeiro em Twin Peaks, depois em Astro City. Acordei muitas manhãs com Dylan Dog e Druuna, almocei com Tom Strong e tive alguns jantares com Júlia Kendall. Em Edena, assisti aulas de Poirot e Holmes sobre técnicas de investigação. Conheci Constantine e Diana no mesmo período, e nos esbaldamos em Asgard. Trabalhei com o Dr. Manhattan e vi, no futuro, os horrores de Cthulhu. Hoje, costumo andar disfarçado de Mestre Jedi e traduzo línguas alienígenas para Torchwood e também para a Liga Extraordinária. Paralelamente, atuo como Sandman e, em anos bissextos, trabalho para a Agência Alfa. Nas horas vagas, espero a Enterprise abordar minha TARDIS, então poderei revelar a verdade a todos e fazer com que os humanos passem para o Arquivo da Felicidade, numa biblioteca de Westworld.