Especial | Doctor Who: Big Finish Productions (Audiodramas)

A Big Finish é uma empresa britânica, fundada em 1996 com o intuito de distribuir peças em áudio sobre materiais de grande impacto cult no Reino Unido. Existem várias linhas de produção realizadas pela empresa, que também é uma editora de livros, possui uma revista própria chamada VORTEX e um podcast (desde dezembro de 2010), onde anuncia as novidades da produtora para todas as linhas, faz entrevistas com os artistas envolvidos em seus projetos e discute temas pertinentes para o público assinante. No final de 1998, a BF começou a produzir áudios baseados nas New Adventures da editora Virgin, que desde Love and War (1992) trazia a companion Bernice Summerfield ao lado do 7º Doutor em uma porção de livros. A BBC assinou um contrato de licença de produção com a Big Finish no mesmo ano e o estendeu, em 1999, para que a empresa produzisse material original (inclusive spin-offs) de Doctor Who, com todos os Doutores, companions e vilões de 1963 a 1996. Após o aniversário de 50 anos do show, a BBC foi aos poucos adicionando novos itens de licenciamento ao contrato da empresa, e até o momento em que faço a revisão desse especial (22 de fevereiro de 2020), a BF tem o seu contrato estendido até o ano de 2025 e pode trabalhar com tudo relacionado à Nova Série (2005 em diante), até o 12º Doutor.

.
Nem só de Doctor Who vive a Big Finish

Algumas pessoas acreditam que a Big Finish produz áudios apenas para Doctor Who ou é uma empresa criada exclusivamente com esse propósito. Bem, nenhuma das duas coisas é verdade. A BF é uma empresa que produz um número bastante extenso de linhas dramáticas fora DW (27, para ser mais exato). Não há dúvidas que Doctor Who seja o seu carro-chefe, mas o público que gosta de audiodramas em seus mais diversos modelos, compra e acompanha as outras publicações. Dentre essas outras linhas, podemos citar as aventuras com o Juiz Dredd (2000 AD); a revisão de clássicos como Frankenstein (com Arthur Darvill, o Rory, no elenco!) e A Ilha do Tesouro (com Tom Baker, o 4º Doutor, no elenco!) — lembrando que esses dois últimos não são uma linha de produção de sim “one shots” dentro do bloco Big Finish Classics –; expansão do universo do personagem de Oscar Wilde em The Confessions of Dorian Gray; e o mesmo em relação ao de Conan Doyle em Sherlock Holmes.

E para finalizar, vale citar as novas aventuras para a elogiada série Sombras da Noite, de 1966, numa linha com vários sub-blocos chamada Dark Shadows; o mesmo para a série de Terry Nation (sim, ele mesmo!), Blakes 7, e para a série de Sydney Newman (sim, ele mesmo!), The Avengers; além de séries para inúmeros outros Universos, como Stargate, Robin Hood, Adam Adamant, Callan, Captain Scarlet, Dan Dare, Earthsearch, Luther Arkwright, Space 1999, Star Cops, Survivors, Terrahawks, Timeslip, The Scarifyers, The Prisoner, Pathfinder Legends e Highlander. É muita coisa!

.

Compro, baixo, como faço?

A resposta a essa pergunta DEVERIA ser “é a gosto do freguês“, mas não é bem assim que funciona. A rigor, a Big Finish possui os dois modelos de comércio: eletrônico e físico. Ou o cliente faz o download ou compra a versão em CD ou LP (si, agora os LPs voltaram!). No entanto, a empresa tem lançado alguns arcos apenas no modelo digital e outros apenas no modelo físico. Algumas aventuras a empresa disponibiliza GRATUITAMENTE para aqueles que quiserem conhecer um pouco do trabalho deles. Eu indico firmemente a aventura gratuita abaixo (Rise and Fall, o primeiro episódio da primeira temporada das Short Trips), que vocês podem ouvir clicando no play. Quando terminar, corram para ler a crítica, clicando aqui.

Tem ordem certa pra ouvir? É material canônico?

Vamos começar pela segunda pergunta, já respondendo com polêmica: sim, tudo da Big Finish é material canônico. O leitor pode torcer o nariz para essa afirmação, mas pense o seguinte: Doctor Who é uma série de ficção científica sobre viagens no tempo, certo? Dentro desse parâmetro existem linhas temporais distintas, realidades alternativas, corrupções do universo conhecido, etc., etc., etc.. Ora, dentro deste padrão, qual é o problema em ver tudo como canônico? As aventuras simplesmente se passam em linhas do tempo diferentes. O espectador/ouvinte/leitor, só precisa ter cuidado ao citar, analisar, avaliar ou comparar as obras, mas fora isso, ouça sem medo e saiba que sim, em alguma realidade, o Doutor viveu aquilo. Nas minhas críticas, devido ao caráter informativo desse tipo de produção, eu uso a nomenclatura “canônico” ou “não canônico” apenas para diferenciar o que se enquadra na “linha do tempo do Doutor na TV + Especiais” que é, dentre as várias linhas do tempo da série, a considerada “oficial/principal“.

not-funny-serious-face-16

Agora vamos para a parte mais complicada (ou nem tanto assim), que é a da ordem certa para se ouvir os áudios. Bem, em cerca de 95% dos casos, não existe absolutamente nenhuma ordem certa. É uma questão de sobrevivência para a própria empresa lançar materiais que funcionem independente um do outro, mesmo que, em alguns casos, façam parte de um “plano maior”, a exemplo do arco Império Dalek. Em alguns casos, porém, os outros 5% atacam com força total. Não é aconselhável, por exemplo, você ouvir Dark Eyes antes de ter acompanhado a saga das Novas Aventuras do 8º Doutor. Ou o caso clássico e bastante conhecido do público que curte os áudios que é ouvir Zagreus sem ter passado por Neverland (hehehe). A mesma coisa vale para as minisséries (embora isso seja óbvio, creio eu) como Destiny of the Doctor. No final das contas, antes de se aventurar e até ter segurança, siga os passos que daremos abaixo, acompanhe um pouco as linhas e, claro, pesquise ou pergunte para quem sabe. Isso ajuda bastante.

.

Quero começar a ouvir os áudios. E aí?

E aí que você deve ter em mente que está entrando em um mundo de loucura e vício. Vai por mim: os áudios de Doctor Who na Big Finish são viciantes. E para começar, vamos do começo… A Big Finish trabalha com várias linhas de produção, como já disse antes. Essas linhas podem ser protagonizadas pelo Doutor ou por algum companion ou vilão (sim, tem spin-off para vários segmentos de Doctor Who na empresa). Dessas linhas de produção, a principal, a verdadeira menina dos olhos da produtora é a MAIN RANGE (ou BIG FINISH MENSAL) Se você quer saber por onde começar, comece por aqui: The Sirens of Time, a primeira aventura de DW na Big Finish.

A partir deste áudio, você terá uma noção de um dos modelos de produção da casa. Cada linha segue um modelo diferente, mas todas as que você vir escrito FULL CAST AUDIO DRAMA têm um estilo parecido com um episódio normal de TV, só que sem imagem (este, por exemplo, é o formato da Big Finish Mensal). Os outros modelos variam entre narração com apenas um ator (que também interpreta os protagonistas, formato das Short Trips); narração e interpretação, porém, com elenco pequeno, como no caso das Lost Stories; ou versões parecidas com esses modelos, como as Companion Chronicles. Com o passar do tempo, você se acostuma com o estilo de todos e vai escolhendo o seu favorito.

.

Tem histórias com os Doutores cujos atores já faleceram?

Tem sim. Geralmente elas são interpretadas por companions desses Doutores na série Clássica ou outros atores que possuem voz semelhante. O 1º Doutor é normalmente dublado ou por William Russell (Ian) ou Peter Purves (Steven). Barbara é normalmente dublada por Carole Ann Ford (Susan) ou Maureen O’Brien (Vicki). O 2º Doutor é normalmente (e brilhantemente!) dublado por Frazer Hines (Jamie). O 3º Doutor não possui dubladores fixos, assim como o Brigadeiro Lethbridge Stewart. Para matar as saudades desses Doutores, você pode escolher as seguintes linhas Short Trips, The Lost Stories, The Companion Chronicles e The Early Adventures.
.

Quais são as 5 principais linhas de DW na Big Finish?

Seria bobagem eu querer trazer para cá todos os spin-offs, arcos, minisséries e linhas da Big Finish. Não faz sentido algum, haja visto que o site da empresa é bem organizado e fácil de achar qualquer coisa, basta filtrar a série que você quiser e procurar o áudio de seu interesse. Aqui, trago as 5 principais linhas da empresa com base em sua popularidade e elementos acrescentados à mitologia do Universo Expandido da série. A ordem de classificação não obedece nenhum critério.

DW SHORT

Basicamente as Short Trips (ST) são contos narrados por um ator. O formato é delicioso e bem curtinho, com histórias entre 20 e 35 minutos de duração. O modelo apresenta, por volume ou temporada, pelo menos uma história para cada Doutor, do 1º ao 12º. Para ler as críticas dessas aventuras, clique aqui.
.

DW - LOST

As Lost Stories (LS) possuem roteiros que deveriam ter sido filmados na Série Clássica mas, por algum motivo, foram engavetados. Para saber mais sobre o projeto leiam este texto. Os Doutores contemplados nesta aventura são do 1º ao 7º. Para ler as críticas dessas aventuras, clique aqui.
.

COMPANION

Uma das mais adoradas séries da Big Finish, as Companion Chronicles (CC), como o nome diz, narra aventuras do ponto de vista dos companions. Elas abordam as eras do 1º ao 7º Doutor. Para ler críticas dessas aventuras, clique aqui.
.

DW 8TH

A série do 8º Doutor, The New Eighth Doctor Adventures (NEDA) é uma das mais importantes da casa e mostra o grande potencial de Paul McGann no papel do Time Lord. Para ler as críticas dessas aventuras, clique aqui.
.

DW - MES

Por fim, a suprema Monthly Releases, série mensal que comporta aventuras do 5º ao 7º Doutor (embora o 8º também tenha tido aventuras nesta linha antes de ter sua série própria. Já o 4º Doutor nunca participou desta linha, ele começou direto em sua The Fourth Doctor Adventures). Para ler as críticas destas aventuras mensais, clique aqui.
.

Qualquer dúvida sobre linhas, séries e outras sugestões, por favor, manifeste-se nos comentários! E abaixo, a organização de todo o material da BF que temos criticado aqui no site, em ordem cronológica, para você acompanhar tudo certinho. Allons-y!


BIG FINISH MENSAL

.
#1
plano crítico the sirens of time big finish
.
#2
phantasmagoria__plano crítico big finish
.
#3
Whispers of Terror plano crítico big finish

The Sirens of Time

Julho, 1999

Phantasmagoria

Outubro, 1999

Whispers of Terror

Novembro, 1999

 

.
#4
The Land of the Dead plano crítico big finish
.
#5
The Fearmonger plano crítico
.
#6
the_marian_conspiracy___plano crítico

The Land of the Dead

Janeiro, 2000

The Fearmonger

Fevereiro, 2000

The Marian Conspiracy

Março, 2000

THIRD DOCTOR ADVENTURES

plano crítico doctor who 3º doutor adventures

1X01 Prisoners of the Lake
1X02 The Havoc of Empires
2X01 The Transcendence of Ephros
2X02 The Hidden Realm
3X01 The Conquest of Far
3X02 Storm of the Horofax
4X01 The Rise of the New Humans
4X02 The Tyrants of Logic
5X01 Primord
5X02 The Scream of Ghosts

THE COMPANION CHRONICLES

 

LUIZ SANTIAGO (OFCS) . . . . Após recusar o ingresso em Hogwarts e ser portador do Incal, fui abduzido pela Presença. Fugi com a ajuda de Hari Seldon e me escondi primeiro em Twin Peaks, depois em Astro City. Acordei muitas manhãs com Dylan Dog e Druuna, almocei com Tom Strong e tive alguns jantares com Júlia Kendall. Em Edena, assisti aulas de Poirot e Holmes sobre técnicas de investigação. Conheci Constantine e Diana no mesmo período, e nos esbaldamos em Asgard. Trabalhei com o Dr. Manhattan e vi, no futuro, os horrores de Cthulhu. Hoje, costumo andar disfarçado de Mestre Jedi e traduzo línguas alienígenas para Torchwood e também para a Liga Extraordinária. Paralelamente, atuo como Sandman e, em anos bissextos, trabalho para a Agência Alfa. Nas horas vagas, espero a Enterprise abordar minha TARDIS, então poderei revelar a verdade a todos e fazer com que os humanos passem para o Arquivo da Felicidade, numa biblioteca de Westworld.