Especial | Luis Buñuel

Luis Buñuel Portolés nasceu em Calanda, uma pequena vila na província de Teruel, em Aragão, na Espanha, em 22 de fevereiro de 1900. Sua família era rica, extremamente religiosa e numerosa, com Luis sendo o mais velho de um total de sete crianças (dois irmãos e quatro irmãs). Ainda em tenra idade, seus pais se mudaram, com toda a ninhada, para Saragoça e lá se estabeleceram como a família mais abastada da cidade. O gosto pelas artes em Buñuel começou cedo, com verdadeiros shows que ele montava para amigos e familiares usando uma lanterna mágica e um lençol. No entanto, foi apenas com 16 anos que Luis, até então muito religioso, desamarrou seus laços com a Igreja Católica e partiu para a Universidade de Madri, primeiro para estudar agronomia, depois, desiludido, engenharia e, finalmente, filosofia.

Durante seus estudos, fez amizades com ninguém menos do que Salvador Dalí e Federico García Lorca, formando uma espécie de clube dos surrealistas. Aliás, surreal mesmo foi uma das habilidades que Buñuel desenvolveu durante essa época: tornou-se um hipnotizador! Na verdade, isso seria um prenúncio para sua capacidade de hipnotizar seus espectadores com inesquecíveis filmes. Seu interesse pelo cinema foi catalisado pelo filme A Morte Cansada, de Fritz Lang e, com isso, ele, já em Paris, acabou ingressando na escola de cinema de Jean Epstein, tornando-se uma espécie de diretor assistente em duas obras do diretor, especialmente do fantástico A Queda da Casa de Usher, de 1928.

Mas a carreira de Buñuel o levaria a caminhos diferentes, solidificando – ou, para alguns, criando – o movimento surrealista no cinema com obras impressionantes e inesquecíveis, além de transformá-lo em um diretor literalmente internacional, com filmes franceses, espanhóis e mexicanos em seu currículo. O presente especial reúne todo o material do diretor criticado aqui no Plano Crítico. Acompanhe-nos em nossa bizarra viagem pelos olhos de Luis Buñuel!.


Um Cão Andaluz

Un Chien Andalou, 1929

Un-chien-andalou um cão andaluz plano crítico cinema

A Idade do Ouro

L’âge D’or, 1930

plano crítico a idade do ouro luis bunuel filme

Terra Sem Pão

Las Hurdes, 1933

plano crítico las hurdes terra sem pão

Coração de Soldado

¡Centinela, alerta!, 1937 (co-direção)

Gran Casino

Idem, 1947

El Gran Calavera

Idem, 1949

el gran calavera plano crítico luis buñuel cinema

Os Esquecidos

Los Olvidados, 1950

Susana, Mulher Diabólica

Susana, 1951

A Filha do Engano

La Hija del Engaño, 1951

Subida ao Céu

Subida al Cielo, 1952

plano crítico subida ao céu cinema luis bunuel

Uma Mulher Sem Amor

Una Mujer Sin Amor, 1952

plano crítico uma mulher sem amor cinema

O Bruto

El Bruto, 1953

O Alucinado

Él, 1953

A Ilusão Viaja de Bonde

La Ilusión Viaja en Tranvía, 1954

Escravos do Rancor

Abismos de Pasión, 1954

As Aventuras de Robinson Crusoé

Robinson Crusoe, 1954

O Rio e a Morte

El Río y la Muerte, 1954

Ensaio de um Crime

Ensayo de un Crimen, 1955

Assim é a Aurora

Cela S’appelle L’aurore, 1956

A Morte Neste Jardim

La Mort en ce Jardin, 1956

Nazarin

Nazarín, 1959

Os Ambiciosos

La Fièvre Monte à El Pao, 1959

A Adolescente

The Young One, 1960

Viridiana

idem, 1961

O Anjo Exterminador

El Ángel Exterminador, 1962

O Diário de uma Camareira

Le Journal d’une Femme de Chambre, 1964

Simão do Deserto

Simón del Desierto, 1965

A Bela da Tarde

Belle de Jour, 1967

A Via Láctea ou O Estranho Caminho de São Tiago

La Voie Lactée, 1969

Tristana, Uma Paixão Mórbida

Tristana, 1970

O Discreto Charme da Burguesia

Le Charme Discret de la Bourgeoisie, 1972

O Fantasma da Liberdade

Le Fantôme de la Liberté, 1974

Esse Obscuro Objeto do Desejo

Cet Obscur Objet du Désir, 1977

Llanto Por un Bandido

Ator | 1964

Buñuel no Labirinto das Tartarugas

Buñuel en el Laberinto de las Tortugas, 2018

Bunuel-in-the-Labyrinth- BUÑUEL E O LABIRINTO DAS TARTARUGAS PLANO CRÍTICO

As Muitas Faces de Luis Buñuel

Entenda Melhor

luis bunuel plano crítico cinema

Meu Último Suspiro

Mi Ultimo Suspiro, 1982


LUIZ SANTIAGO (OFCS) . . . . Após recusar o ingresso em Hogwarts e ser portador do Incal, fui abduzido pela Presença. Fugi com a ajuda de Hari Seldon e me escondi primeiro em Twin Peaks, depois em Astro City. Acordei muitas manhãs com Dylan Dog e Druuna, almocei com Tom Strong e tive alguns jantares com Júlia Kendall. Em Edena, assisti aulas de Poirot e Holmes sobre técnicas de investigação. Conheci Constantine e Diana no mesmo período, e nos esbaldamos em Asgard. Trabalhei com o Dr. Manhattan e vi, no futuro, os horrores de Cthulhu. Hoje, costumo andar disfarçado de Mestre Jedi e traduzo línguas alienígenas para Torchwood e também para a Liga Extraordinária. Paralelamente, atuo como Sandman e, em anos bissextos, trabalho para a Agência Alfa. Nas horas vagas, espero a Enterprise abordar minha TARDIS, então poderei revelar a verdade a todos e fazer com que os humanos passem para o Arquivo da Felicidade, numa biblioteca de Westworld.