Especial | Terrence Malick

Filho de Irene e Emil Malick, Terrence Frederick Malick, o mais velho de três irmãos, nasceu em Ottawa, Illinois, nos Estados Unidos, em 30 de novembro de 1943. Ele se formou em filosofia por Harvard em 1965 e foi continuar seus estudos em Oxford, mas um desentendimento com seu conselheiro sobre sobre sua tese o fez largar a faculdade sem obter o diploma. Voltando aos EUA, ele começou a lecionar filosofia no M.I.T., trabalhando, também, como jornalista freelancer.

Em 1969, ele conseguiu o título de Mestre em Artes pelo AFI Conservatory por seu curta-metragem Lanton Mills. Já demonstrando sua famosa tendência por reclusão, esse curta nunca viu a luz do dia, sendo doado por Malick à AFI sob a condição de que apenas membros do instituto tivessem acesso a ele enquanto o diretor vivesse. Logo depois disso, ele passou por diversas experiências escrevendo roteiros (inclusive uma versão inicial de Perseguidor Implacável), até que teve um de seus roteiros rejeitados por um grande estúdio, que o considerou infilmável.

Com esse desapontamento, Malick decidiu filmar seus próprios roteiros, começando efetivamente sua carreira com Terra de Ninguém, lançado em 1973 pela Warner Bros. depois que o filme recebeu críticas extremamente positivas no New York Film Festival. Cinzas no Paraíso foi seu segundo filme e Malick, em seguida, literalmente em meio ao desenvolvimento de outro projeto, mudou-se para Paris e sumiu do mapa. Sua volta se deu 20 anos depois, com o lançamento de Além da Linha Vermelha e, desde então, o diretor vem mantendo um fluxo razoavelmente mais constante de filmes, especialmente a partir dos anos 2010.

Como um dos mais importantes diretores americanos da atualidade, o Plano Crítico reuniu as críticas de todos os seus filmes neste especial, que será constantemente atualizado, na medida do lançamento de obras novas.


LUIZ SANTIAGO (Membro da OFCS) . . . . Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.