Home Colunas Lista | Doctor Who: Os Episódios Ranqueados do 9º Doutor

Lista | Doctor Who: Os Episódios Ranqueados do 9º Doutor

por Rafael Lima
167 views (a partir de agosto de 2020)

O objetivo dessa lista é apresentar uma classificação pessoal dos episódios/arcos da era do 9º Doutor. Cada uma das classificações é acompanhada por um texto de impressões pessoais a respeito. Para ler as críticas dos arcos, basta clicar nos links que acompanham cada colocação. TODOS os episódios e especiais citados possuem crítica aqui no site. Para conferir os outros rankings, clique aqui.

.

10º Lugar: Aliens of London / World War Three

1X04 e 5

Embora traga uma série de conceitos interessantes, como a problematização do que acontece com a “vida real” dos companions que resolvem largar tudo e viajar pelo tempo e espaço com o Doutor, o primeiro arco de New Who sofre por repetir á exaustão a mesma piada de peido envolvendo os vilões, fazendo com que a crítica social e política que está tentando fazer se perca em meio ao humor pateta, no mau sentido.

.

9º Lugar: The Long Game

1X07

Mais uma vez, o roteirista Russell T. Davies tenta fazer uma crítica social ao jornalismo e, mais uma vez, a crítica, embora clara, não consegue ser bem amarrada a dramaturgia do episódio. A escolha de inserir um companion com o único intuito de expulsá-lo para valorizar Rose sem dar contexto ao personagem pouco ajuda o episódio. Apesar da ótima participação de Simon Pegg como o vilão Editor, muito pouco desta aventura fica na mente do público, mesmo com a sua importância no contexto da temporada.

.

8º Lugar: Rose

1X01

Apresentar para um novo público uma série cancelada 16 anos antes sem alienar os fãs da antiga série não é tarefa fácil. Mas Rose faz isso com louvor, ainda acrescentando mistérios que deve ter intrigado mesmo os Whovians de longa data. O casal protagonista é muito bem apresentado, assim como sua dinâmica, e entendemos por que eles decidem viajar juntos. Entretanto, coadjuvantes extremamente caricatos que funcionam como conveniências de roteiro, e um humor pastelão muito mal utilizado acaba jogando o piloto da Nova Série para as últimas posições desta lista.

.

7º Lugar: Boom Town

1X11

O episódio que dá sequência aos eventos de Aliens of London/World War Three mostra-se bastante superior ao arco que lhe deu origem. O humor é muito melhor utilizado, e a química de cena entre Christopher Eccleston e Annete Badland, que reprisa o seu papel como Margaret Blaine, é soberba. O roteiro de Davies ainda ganha ponto por trabalhar de forma leve, mas contundente, temas como a pena de morte e a natureza da misericórdia. O episódio entretanto peca por subutilizar um companion apresentado no arco anterior, e que se despediria no arco seguinte, e resolver o seu dilema central de forma fácil através de um Deus Ex Machina.

.

6º Lugar: The Unquiet Dead

1X03

O Primeiro episódio de “Celebridade Histórica” da temporada entrega uma excelente aventura do Doutor e Rose enfrentando zumbis ao lado de Charles Dickens, em um dos melhores trabalhos do roteirista Mark Gatiss para a série. O destaque com certeza é a delicada interpretação de Simon Callow para Charles Dickens. Peca apenas pelos vilões, os Gelth, que acabam sendo visualmente muito óbvios.

.

5º Lugar: The End Of The World

1X02

Rose pode ter sido o episódio que introduziu Doctor Who á uma nova geração de fãs, mas foi The End of The World que os engajou. A divertida aventura espacial escrita por Russell T. Davies sobre o último dia de nosso planeta possui coadjuvantes carismáticos, uma vilã que amamos odiar na figura de Lady Cassandra, e continua a aprofundar a dupla protagonista, revelando pela primeira vez o Nono Doutor como o último dos Time Lords, marca que o personagem carregaria por anos.

.

4º Lugar: Bad Wolf / The Parting of The Ways

1X12 e 13

Apesar de possuir uma primeira parte um pouco irregular, e de Davies se entregar mais uma vez ao Deus Ex Machina para resolver o dilema insolúvel (pra não falar do descarte sem cerimônias de um companion), não há como ficar indiferente ao bombardeio de emoções á que somos submetidos neste arco final do 9º Doutor, que fecha de maneira perfeita o arco dramático desta encarnação do Time Lord, e de Rose nesta temporada, além de entregar uma nova e assustadora abordagem para os Daleks, que conversava diretamente com o medo do terrorismo pós 11/9. Uma despedida fantástica para o Doutor de Eccleston.

.

3º Lugar: Father’s Day

1X08

Father’s Day  nos dá a chance de conhecer um lado mais vulnerável de Rose Tyler, na melhor atuação de Billie Piper na pele da companion. Trata-se de uma boa história de viagem no tempo com humor e suspense, mas que tem seus reais pontos fortes no desenvolvimento de seus dramas humanos e intimistas. Como não se emocionar com uma trama onde o mais comum dos homens pode se tornar o mais maravilhoso aos olhos da filha por um ato de amor? E usar histórias Sci-fi pra nos emocionar é justamente uma das coisas que Doctor Who faz de melhor.

.

2º Lugar: The Empty Child / The Doctor Dances

1X9 e 10

A história mais otimista da temporada ironicamente se passa em um dos períodos mais sombrios da história britânica. Em sua estreia como roteirista da série, Steven Moffat nos apresenta uma história arrepiante, mas com fortes tons de fábula, mostrando que mesmo no terrível cenário da guerra, a esperança pode florescer. De quebra, somos apresentados á um novo companion, o Capitão Jack Harkness, que se tornaria um dos mais queridos personagens da Nova Série.

.

1º Lugar: Dalek

1X06

Era inviável pensar em trazer Doctor Who de volta a televisão sem trazer também seus nêmesis, os Daleks. Mas como fazer o público moderno levar a sério uma figura que foi sendo ridicularizada ao longo dos anos? Mas o roteiro de Robert Shearman e a direção de Joe Ahearne não só consegue nos fazer ver neste “saleiro gigante” a criatura mais ameaçadora do universo, mas consegue nos fazer ter empatia para com ele. Ainda temos uma atuação monstro de Christopher Eccleston, retratando um Nono Doutor tomado de ódio e ressentimento, mostrando que os traumas de guerra tornaram os dois inimigos mais parecidos do que o Time Lord gosta de admitir

Esse foi meu humilde Top 10 da Era do 9º Doutor, uma era tão curta, mas ao mesmo tempo tão marcante para a série. E qual é o Seu Top 10 das aventuras do Nono Doutor e Rose? O que vocês acharam da Era Eccleston? Sintam-se à vontade para comentar. Espero que seu comentário seja fantástico.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais