Lista | Top 10 – Os Melhores Membros dos Vingadores

Os Vingadores é uma das equipes mais conhecidas entre o mundo dos super-heróis, tendo sido criada em 1963 numa revista própria, por Stan Lee e Jack Kirby, como uma reunião de vários nomes famosos da Marvel Comics. O Homem de Ferro, o Incrível Hulk, o Poderoso Thor, a Vespa e o Homem-Formiga, nessa primeiríssima edição, se uniam para combater o Deus da Trapaça, Loki – é uma premissa que remeteria, pontualmente, à adaptação cinematográfica do super-grupo.

Mas esses “Heróis Mais Poderosos da Terra”, como viriam as ser conhecidos, mesmo mantendo-se importantes dentro de um nicho, ganharam verdadeira proeminência nos últimos anos, conquistando o carinho de uma geração. E a década de 2010 é o auge dessa conquista comandada pelo visionário Kevin Feige, transformando Os Vingadores na mais querida das super-equipes, em decorrência da explosão do Universo Cinematográfico Marvel. Uma nova era de ouro.

Os quadrinhos, no entanto, são os verdadeiros pais dessas histórias que encantam milhões de corações e ainda encantará mais. Com equipes que já variaram bastante durante as décadas, Os Vingadores é um dos times que mais ganhou novas caras dentro do Universo Marvel. O Homem-Aranha já tornou-se um Vingador. O Wolverine já tornou-se um Vingador. Contudo, quem são os 10 membros da equipe mais importantes, em meio a seres maravilhosos e relevantes para tais HQs?

10. Pantera Negra
(T’Challa, Rei de Wakanda)

O Pantera Negra possui uma das passagens mais longínquas ao lado da super-equipe, o que o tornou um dos membros mais conhecidos do rol de ícones que ocuparam cadeiras na escalação do grupo. É um dos personagens mais recorrentes, unindo-se aos demais participantes dessa turminha da pesada em Os Vingadores #52, edição de maio de 1968. Nos cinemas, terminou sendo interpretado por Chadwick Boseman. Curiosamente, o Pantera Negra não mostrou ser importante apenas para os Vingadores, pois também é, em menor escala, associado ao Quarteto Fantástico, justamente a revista onde despontou pela primeiríssima vez, pouco tempo antes disso.

Uma das coisas mais complexas envolvendo o Rei de Wakanda acontece mais para frente em sua jornada super-heroica, no arco Vingadores Vs. X-Men, onde T’Challa precisa se opor à sua esposa, Ororo Monroe, a Tempestade. O casamento dos personagens, unindo-se em 2006, termina sendo anulado após Wakanda ser devastada por Namor, que estava possuído por uma das partes da Força Fênix. Essa é uma posição na nossa lista, contudo, que quase foi ocupada por outros membros com uma quantidade aproximada de contribuições às narrativas enquanto Vingadores, como o Magnum, o Mercúrio, a Mulher-Hulk, o Hércules e o Fera. Ganhou o Panterão.

9. Viúva Negra
(Natasha Romanoff)

  • Primeira Aparição: Tales of Suspense #52 (Abril de 1964), criada por Stan Lee, Don Rico e Don Heck.

Sem uniforme, Natasha Romanoff, a espiã Viúva Negra, debutou na Marvel como antagonista de algumas revistas protagonizadas pelo Homem de Ferro. Essa história de protagonismo e antagonismo ganharia algumas viradas nos anos, mas foi apenas em The Amazing Spider-Man #86, de julho de 1970, que o visual icônico da personagem apareceria, com o ruivo marcante tornando-se clássico à assassina. E os Vingadores? Depois de várias aparições, Natasha – ou seria Natalia Romanova? – enfim tornaria-se uma membra em Os Vingadores #111. Com os anos, a proeminência foi aumentando, o que culminou na introdução de Natasha no UCM, interpretada por Scarlett Johansson. Já na Guerra Civil, a posição da Viúva foi a mesma nas duas versões. Uma das coisas que mais marca a personagem é o seu relacionamento com o Gavião Arqueiro, estando envolvidos com vidas criminosas e antes de serem reconhecidos como os heróis que são.

8. Homem-Formiga
(Hank Pym, Gigante/Golias/Jaqueta Amarela)

  • Primeira Aparição: Tales to Astonish #27 (Janeiro de 1962), criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby.

Mesmo sendo um dos membros-fundadores dos Vingadores, o Homem-Formiga não ganhou tanto espaço dentro da super-equipe quanto demais personagens dessa sua geração. Hank Pym, por outro lado, cresceu consideravelmente, mais que o super-herói que primeiramente vivera. O cientista assumiu outras identidades como Gigante, Golias e Jaqueta Amarela ainda nas mais clássicas revistas da super-equipe, sempre transformando-se. Isso é um sinal, no caso, das crises internas ao personagem e que afetaram os outros membros ao seu redor. Em seis anos de criação, Hank Pym já havia assumido quatro codinomes diferentes, por exemplo – crescendo e diminuindo.

Como alguém que fica tão grande pode se sentir tão pequeno – em outros casos, verdadeiramente ser pequeno? Pois esse comportamento tão errático do personagem – e justamente o que o deixaria tão interessante, além dos super-poderes especiais -, tornaria Hank Pym uma ameaça rotineira aos Vingadores em si. Em uma história, por exemplo, Jaqueta Amarela agrediu a sua esposa, Janet van Dyne, a Vespa, até mesmo tramando contra os Vingadores apenas para reconquistar um respeito. O seu grande feito, entretanto, foi a criação – sem intenções malignas – de Ultron – coisa que não aconteceu pelas suas mãos nos cinemas. Criou a Academia Vingadores.

Nos cinemas, Hank Pym terminou sendo vivido por Michael Douglas, em um envelhecimento do personagem que serviu para colocar, no seu lugar, Scott Lang, mais jovem, como o protagonista de Homem-Formiga. Hank Pym também não tem relacionamento com a origem dos Vingadores no MCU. Lang, em contrapartida, foi mesmo um Vingador nos quadrinhos, o segundo personagem a assumir a identidade de Homem-Formiga – após, como o cinema mostrou, roubar o equipamento do super-herói original. Uma pena que questões mais sérias ao arco de Pym, importante personalidade dos quadrinhos, tenham sido apagadas, visando uma amenização do personagem.

7. Gavião Arqueiro
(Clint Barton, Golias/Ronin)

  • Primeira Aparição: Tales of Suspense #57 (Setembro de 1964), criado por Stan Lee e Don Heck.

O Gavião Arqueiro é um personagem subestimado, mesmo sendo muito legal. Fora as minisséries interessantes que apareceram no decorrer dos anos envolvendo Clint Barton, o Gavião Arqueiro é extremamente conhecido pela sua aliança aos Vingadores, que o acolheu, juntamente a outros dois ex-criminosos, na segunda formação da equipe. Essa mudança foi pavimentada quando Barton salvou o mordomo da Mansão dos Vingadores, Edwin Jarvis. Terminou tornando-se um dos garanhões da Marvel Comics. Já nos cinemas, o personagem é parte da formação original, interpretado por Jeremy Renner. Os quadrinhos demoraram para serem justos com o Gavião – às vezes Golias, posteriormente Ronin na encarnação dos Novos Vingadores -, conseguindo dar mais destaque objetivo para ele apenas na década de 80. Quando o Visão quis expandir a influência dos Vingadores, o Gavião Arqueiro criou os Vingadores da Costa-Oeste, uma equipe spin-off da original, mas importante para o cânone dos quadrinhos, os responsáveis por cuidar destas regiões.

6. Visão

Até mesmo um androide pode chorar. O Visão possui uma das histórias mais singelas do Universo Marvel, ganhando, mais recentemente, uma revitalização interessante por autores que assinaram séries aclamadas do personagem. É um Vingador por natureza, por ter sido originado das mãos de Ultron, mas logo transformando-se em um herói. O Visão já assumiu até mesmo a liderança dos Vingadores, para vermos o quão relevante o personagem é. Fora, obviamente, os poderes que possui, como intangibilidade, e um visual muito curioso e também agradável, com cores bem vivas.

A adaptação para o MCU, em outra instância, fez jus em várias partes a essa versão classicista, embora tenha, para fins narrativos, diminuído consideravelmente o poder do personagem. Enquanto que, nos quadrinhos, Ultron mistura as ondas cerebrais de Magnum com o corpo do Tocha Humana Original, nos cinemas o que acontece é diferente. Jarvis – que possuía interpretação de Paul Bettany – se torna o Visão, impulsionado pela Jóia da Mente, que é colocada na sua testa – uma mudança na origem do sintetizoide. O relacionamento com a Wanda é mantido.

5. Feiticeira Escarlate
(Wanda Maximoff)

  • Primeira Aparição: X-Men #4 (Março de 1964), criada por Stan Lee e Jack Kirby.

Uma mutante? Uma inumana? Pois não importa, Wanda Maximoff é uma Vingadora, cargo que começou a ocupar logo após sair da Irmandade dos Mutantes, onde atuava ao lado do seu irmão, Mercúrio, sob os comandos de Magneto, seu “pai”. O Capitão América a trouxe para a segunda formação dos Vingadores, em Os Vingadores #16, de maio de 1965. A Feiticeira Escarlate transformou-se numa das personagens mais relevantes para a equipe, tanto para o bem quanto para o mal. Os roteiristas começaram a aumentar e aumentar a quantidade de poderes de Wanda, que se tornou uma heroína cada vez mais importante aos Vingadores, em termos táticos também.

É a mais poderosa Vingadora, como o MCU, pela interpretação de Elizabeth Olsen, tentou emular. Os males, porém, surgem mais para frente. O casamento com o Visão, outro membro relevante dos Vingadores, dá origem a duas crianças que, na verdade, foram mentiras criadas pela imaginação fértil dessa personagem, tão poderosa a ponto de subverter a realidade. Mais para frente, quando descobriu a verdade sobre o passado, tendo sua memória apagada, Wanda enlouqueceu, dando um fim à equipe dos Vingadores como antes conhecíamos, em A Queda. O resto é história e das mais intrigantes – um dos momentos mais interessantes do Universo Marvel.

4. Thor Odinson

O Deus do Trovão é membro-fundador e presente constantemente no rol de protagonistas dos Vingadores. Ao mesmo tempo, é a primeira conexão que os Heróis Mais Poderosos da Terra possuem com mundos cósmicos, o que geraria, posteriormente, aventuras e premissas malucas, mas divertidas, para os nossos heróis, precisando sair do mundo terreno. Por isso, Thor muitas vezes esteve ausente de certas edições, por ter que trabalhar, paralelamente, com sua revista solo e essa revista em conjunto. Certamente, em vista disso e das decisões dos roteiristas, encontra um espaço menor do que os outros dois principais nomes da super-equipe, o Homem de Ferro e o Capitão América. Mas os louros permanecem, porque a grandiosidade de Thor terminou conferindo excelentes questões para as revistas dos Vingadores. Eis, por fim, personagens compartilhando de experiências justamente com um Deus em carne, osso, martelo e trovões. É a jornada ao mistério.

3. Vespa
(Janet van Dyne)

  • Primeira Aparição: Tales to Astonish #44 (Junho de 1963), criada por Stan Lee, Ernie Hart e Jack Kirby.

Quem vocês acham que nomeou os Vingadores de Vingadores? Isso mesmo! A Vespa! Janet van Dyne é membro-fundador da super-equipe, chegando ao posto de líder dos Vingadores, nomeação que manteve por anos, constantemente a retomando. O evento em questão aconteceu em Os Vingadores #217, de 1982, e a posição permaneceu por anos. O seu visual, por outro lado, foi mudando. Mudanças estéticas, enquanto o seu par passava por complicações mais sérias com essa questão de identidade. A Vespa só é estilosa mesmo! O MCU, todavia, preferiu manter a personagem com um papel menor, interpretada por Michelle Pfeiffer, contudo, já mais envelhecida.

Ninguém pode com o seu tamanho, porque a Vespa enfrentou uma grande quantidade de pancadas pela vida de super-heroína, o que inclui, nesse meio, um polêmico divórcio – com o seu famigerado marido, Hank Pym. O respeito, consequentemente, é tão grande que, no terceiro volume de Os Vingadores, quando retornou à equipe, Janet tornou-se co-líder com Steve Rogers. Sua posição de liderança só não é mais recorrente que a posição, obviamente, desse próprio Capitão América como líder da equipe. Essa é uma personagem charmosa, carismática e bastante inteligente também. A Vespa é gigante e merecia ser vista com olhares mais carinhosos! Eu a vejo.

2. Homem de Ferro
(Tony Stark)

  • Primeira Aparição: Tales of Suspense #39 (Março de 1963), criado por Stan Lee, Jack Kirby, Larry Lieber e Don Heck.

Quem diz que o Homem de Ferro não era um Vingador importante antes de Robert Downey Jr. encarnar o personagem não manja muito de quadrinhos. O Homem de Ferro sempre foi um dos Vingadores mais importantes, recorrente em muitas histórias e presença constante no rol de participantes das tantas formações do grupo. Embora tenha se ausentado mais que um outro ícone da super-equipe, Tony Stark margeou várias coisas que torna os Vingadores quem eles são, principalmente por conta do apoio financeiro. Se a equipe sempre vai mudar de integrantes, Stark sempre irá mudar de armadura – como Pym irá mudar de identidade e Janet irá mudar de penteado e traje. É essa contínua transformação – mesmo que em graus mais inofensivos – que torna toda a experiência mais engajante e um pouco ingênua até. É um cientista ou um mecânico?

1. Capitão América
(Steve Rogers)

O Bandeiroso, interpretado por Chris Evans nos cinemas, é um Vingador por excelência, apesar de, curiosamente, não ter sido membro fundador da super-equipe, aparecendo pela primeira vez com os demais personagens apenas na quarta edição da revista. O Capitão América, por outro lado, surgiu muito antes que todos esses personagens. Esse símbolo patriótico, que pensa mais nos ideais que moldaram uma nação do que em verdades mascaradas por mentiras de corruptos e gananciosos, nasceu na época da Segunda Guerra Mundial, sendo veiculado como um personagem de propaganda, surfando na onda da época. Porém, duas décadas depois, Steve Rogers seria resgatado por Stan Lee e colocado como o cabeça dos Vingadores, pensando, consequentemente, a moral em questão, o heroísmo à frente e o que fazer diante de impasses. Um homem perdido no tempo encontraria uma casa para ser a sua: eis o coração dos Vingadores.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.