Home LiteraturaConto Crítica | Podemos Recordar Para Você, Por um Preço Razoável (O Vingador do Futuro), de Philip K. Dick

Crítica | Podemos Recordar Para Você, Por um Preço Razoável (O Vingador do Futuro), de Philip K. Dick

por Ritter Fan
322 views (a partir de agosto de 2020)

Depois do lançamento do primeiro O Vingador do Futuro (Total Recall) em 1990, estrelando Arnold Schwarzenegger, o até então razoavelmente desconhecido conto do brilhante autor americano de ficção científica Philip K. Dick (1928 – 1982) We Can Remember It for You Wholesale, ou, em português, Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável, teve seu nome trocado pelos editores para espelhar o título do filme. Um movimento que faz todo o sentido comercial, mas que, claro, fere de morte o direito moral básico do autor de não ter sua obra modificada à sua revelia.

Mas, reclamações à parte, o breve conto do ilustre autor, de apenas 26 páginas, é muito interessante. Publicado pela primeira vez em 1966 na The Magazine of Fantasy & Science Fiction, a história nos leva a um futuro não determinado e nos  apresenta imediatamente a Douglas Quail, um homem aparentemente normal, trabalhador, que deseja fortemente conhecer o planeta Marte, mas sabe que nunca terá as condições econômicas para tanto. Ele não tem ideia de onde vem essa vontade e sua esposa tenta sempre demonstrar que esse sonho é uma loucura. Quail, então, depara-se com um tentador anúncio da empresa Rekal, que promete memórias implantadas melhores que as experiências verdadeiras como o título deixa entrever.

Relutantemente, nosso herói acaba desembolsando o dinheiro para ter essa “memória extra-factual” devidamente implantada, mas com um bônus excitante de viajar para Marte como um espião. Acontece que, quase imediatamente, os problemas começam e os técnicos da Rekal percebem que Quail talvez seja mesmo um espião.

Não há viagem para Marte ou mesmo ação nesse conto. Todo o resto foi inserido pelos roteiristas do filme de 1990. O que Philip K. Dick escreveu, na verdade, é quase um embrião de ideia que acabou sendo desenvolvido posteriormente em um filme completo, com enredos que partem do conto, mas o expandem consideravelmente, alterando radicalmente o final.

No entanto, a história de Dick sobrevive independentemente do filme e não há como negar a criatividade do que o autor escreveu. O artifício da implantação de memórias abre inúmeras possibilidades, um verdadeiro campo fértil para discussões até mesmo de cunho filosófico. Afinal, nós somos definidos pelo que lembramos? E se um dia pudermos artificialmente alterar nossa memória, quem então passaremos a ser?

Philip K. Dick, porém, apenas faz as perguntas e as deixa no ar, sem respostas definitivas. É a natureza do que ele costuma escrever e um conto tão curto, de toda forma, não poderia abordar questões de tamanha complexidade de forma definitiva.

Se há um defeito na história é seu final “fácil demais”. Não se enganem: ao ler essa obra, não esperava ação frenética ou reviravoltas mirabolantes fora do conceito em si (ele é ou não é espião, afinal de contas?), mas o escritor reduz drasticamente o conflito de Quail e suaviza fortemente o fechamento da trama. Talvez tenha faltado um terceiro ato, um epílogo que seja, ainda que a revelação final seja engenhosa (não contarei nada em respeito àqueles que ainda não leram).

Em breves linhas, Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável é um ótimo trabalho de ficção científica que merece ser lido por todo o fã do gênero e por curiosos em geral. É uma leitura rápida e prazerosa que, porém, deixará o leitor mergulhado em conceitos complexos e discussões interessantíssimas que marcarão a história em sua mente como as memórias implantadas de Quail.

Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável (We Can Remember it for you Wholesale, EUA – 1966)
Autor: Philip K. Dick
Editora original: Houghton Mifflin Harcourt
Data original de publicação: abril de 1966
Páginas: 26

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais