Plano Gallifrey #11 | O primeiro projeto de spin-off de Doctor Who: The Daleks / The Destroyers

Equipe: Sara Kingdom, Mark Seven, Jason Corey
Vilão: The Daleks
Espaço: Meteorito M5
Tempo: 3994

Seguimos com o Plano Gallifrey, agora com a gravação de programas sobre obras do Universo Expandido em áudios! E para começar, trazemos The Destroyers, episódio 2b da 2ª Temporada de The Lost Stories, um sensacional projeto da Big Finish.

The Destroyers foi escrito por Terry Nation em 1966, um roteiro destinado a se tornar o primeiro spin-off de Doctor Who, com a Agente Sara Kingdom e os Daleks como protagonistas. A ideia veio para Nation após a escrita do enorme arco The Daleks’ Master Plan. O projeto foi endereçado à produção da BBC, mas não foi para frente.

Em dezembro de 2010, como parte do plano para dar vida aos “roteiros que eram para ser, mas nunca foram“, a Big Finish resolveu fazer a sua versão desta história, lançada no The Second Doctor Box set.

Duração: 40 minutos

Assine na iTunes Store
Feed do Plano Gallifrey

Ficha Técnica

The Daleks / The Destroyers — The Lost Stories (2X2b) – Reino Unido, 2010
Direção: Lisa Bowerman
Roteiro: Nicholas Briggs, John Dorney (adaptado do roteiro original de Terry Nation)
Elenco: Jean Marsh, Alan Cox, Chris Porter, Alex Mallinson, Nicholas Briggs
Duração: 72 min. (divididos em 2 episódios)


.

Parceria: Trenzalore / TrenzaloreCast.

Plano Gallifrey #11
Catalogação: 
1ª Temporada (1X11)
Tema: The Destroyers (The Lost Stories — 2ª Temporada)
Apresentação: Luiz, the Time Meddler
Edição e comentários: Guilherme Wilfred

LUIZ SANTIAGO (OFCS) . . . . Após recusar o ingresso em Hogwarts e ser portador do Incal, fui abduzido pela Presença. Fugi com a ajuda de Hari Seldon e me escondi primeiro em Twin Peaks, depois em Astro City. Acordei muitas manhãs com Dylan Dog e Druuna, almocei com Tom Strong e tive alguns jantares com Júlia Kendall. Em Edena, assisti aulas de Poirot e Holmes sobre técnicas de investigação. Conheci Constantine e Diana no mesmo período, e nos esbaldamos em Asgard. Trabalhei com o Dr. Manhattan e vi, no futuro, os horrores de Cthulhu. Hoje, costumo andar disfarçado de Mestre Jedi e traduzo línguas alienígenas para Torchwood e também para a Liga Extraordinária. Paralelamente, atuo como Sandman e, em anos bissextos, trabalho para a Agência Alfa. Nas horas vagas, espero a Enterprise abordar minha TARDIS, então poderei revelar a verdade a todos e fazer com que os humanos passem para o Arquivo da Felicidade, numa biblioteca de Westworld.