Home TVTemporadas Crítica | X-Men – Volume 1

Crítica | X-Men – Volume 1

por Ritter Fan
245 views (a partir de agosto de 2020)

A série dos X-Men que eu cheguei a assistir na televisão foi a que estreou em 1992, acabando em 1997, depois de 5 temporadas. A primeira temporada, contendo 13 episódios, foi, de certa forma, um divisor de águas em termos de desenhos animados.

E explico a razão: pela primeira vez, ou, pelo menos, é a primeira vez que consigo me lembrar, os desenhos passaram a ter continuidade, ou seja, não eram estórias estanques que acabavam e começavam no mesmo episódio. É bem verdade que alguns desenhos da década de 80 também se utilizaram dessa expediente mas não faziam isso por mais do que dois episódios seguidos.

X-Men mostrou que era possível manter o interesse sobre uma mesma estória por três episódios, com direito a menção a situações que aconteceram logo no início da temporada lá pelo seu final, algo que, depois dessa série, tornou-se mais comum.

A série, como todos devem saber, conta a estória de vários mutantes que formam o super-grupo X-Men, sob o comando do Professor X, um dos maiores telepatas do mundo. O grupo é formado por Cíclope, com o poder de lançar rajadas óticas, Jean Grey, outra telepata, Fera, um cientista que tem poderes animais, Tempestade, que controla o tempo, Vampira que absorve o poder dos outros, Gambit, que energiza qualquer objeto que toca e Wolverine, o baixinho que tem garras de metal nas mãos. Juntos, eles logo no começo da série resgatam Jubileu, que cria “fogos de artifício” e logo se junta ao grupo. Durante toda a série, o tema recorrente é o preconceito contra as mutantes e as medidas governamentais para se deter essa “ameça”. Obviamente, os heróis também enfrentam o poderoso senhor do magnetismo, Magneto, o mais clássico inimigo do grupo.

O bacana dessa série é que os roteiristas seguiram de maneira muito próxima algumas estórias clássicas em quadrinhos do grupo. Por exemplo, conseguiram a grandiosa saga Days of Future Past, uma das melhores dos mutantes, em apenas dois episódios, simplificando-a bastante mas sem perder o espírito. Da mesma maneira, não esqueceram do triângulo amoroso formado por Jean Grey, Cíclope e Wolverine, elemento recorrente dos quadrinhos e dessa série animada.

A animação, para os níveis de hoje, é bastante “tosca” mas muito fiel à representação dos heróis nos quadrinhos da época. Todas as armas atiram laser, assim como no desenho G.I. Joe da década de 80 e não fazem mal nenhum a ninguém. Mas dá para entender o objetivo: é um desenho que tinha que atingir o maior espectro demográfico possível e colocar tiros e sangue não iria dar muito certo.

X-Men é uma série que conseguiu se sustentar razoavelmente, apesar de sua idade e merece ser vista pelos apreciadores do grupo mutante no mínimo por sua fidelidade aos quadrinhos.

Você Também pode curtir

20 comentários

Jeferson Rodrigues 22 de fevereiro de 2021 - 13:41

X-MEN!!!!

Responder
planocritico 22 de fevereiro de 2021 - 17:14

SIM!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 1 de março de 2019 - 17:55

ótimo review. Não vejo a hora de ver no MCU, acho que irei chorar muito. Faça a critica de X-Men anime 2011 por favor.

Responder
planocritico 1 de março de 2019 - 19:34

@disqus_9KZLz8G0wg:disqus , que isso! Como é que você chegou aqui para ler essa velharia que eu escrevi quando basicamente estava na puberdade????? A série é maravilhosa, mas a crítica está um horror. Deu até vergonha agora…

HAHHAHAHHHAHAHAHAHHHAA

Esse anime de 2011 é bacana mesmo?

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 1 de março de 2019 - 20:08

Cheguei por recomendação no meu disqus kkkkkkkkk. Sim vale a pena, é de onde eu tiro meus gifs como esse. Da para maratonar, só 13 episodios, é levemente baseado em Surpreendentes X-Men.
https://uploads.disquscdn.com/images/be541fde58fe59164077e435806c2fa262fa0e219ed4b56ae3ea4de83d6bb36d.gif

Responder
planocritico 1 de março de 2019 - 21:32

Interessante, hein? Não sou o maior fã do mundo da estética de anime, mas vou procurar aqui e, de repente, faço a crítica como parte do Especial Stell… digo, Fênix Negra, que vai estrear!

Abs,
Ritter.

Responder
Stella 1 de março de 2019 - 21:42

Estou zero empolgada para o filme da Fenix Negra da Fox, achei todos os trailer podres, principalmente na escolha visual de retratar os poderes da Jean Grey Fenix Negra, parece que vão repetir os mesmo erros em algumas cenas. Deu pra ver claramente que a Jean matará Magneto como se fosse na de Xavier vs Jean em Confronto Final. Fora a roupa vinho dela que lembra bastante tbm.
https://uploads.disquscdn.com/images/c117b1ee889b89a08129e7b4f657fc8c6f8b429235074bc247713e954cf4cd10.gif
https://uploads.disquscdn.com/images/41250b33c8e03572604b74fe9a905209973ba772b3f145edc0a02fa4f655d275.gif

as primeiras reações teste foram negativas, e confirmaram que é um Confronto Final 2.0

planocritico 1 de março de 2019 - 23:09

Eu te entendo e farei uma confissão aqui e agora: nem vi ainda X-Men: Apocalipse…

Abs,
Ritter.

genio playboy e safadão 1 de março de 2019 - 22:31

Talvez a culpa tenha sido minha…

Responder
planocritico 1 de março de 2019 - 23:09

Descobriram minhas postagens medievais… HHAHAHHAHAHAHAHAHA

Abs,
Ritter.

genio playboy e safadão 27 de fevereiro de 2019 - 20:40

Acho que vou começar a serie hoje.

Responder
planocritico 1 de março de 2019 - 16:16

Divirta-se!

Abs,
Ritter.

Responder
genio playboy e safadão 1 de março de 2019 - 18:07

Cara, apesar de eu ler muito o universo marvel eu não tenho muito conhecimento dos x-men, eu realmente não gostava deles na infancia, aonde vc recomenda que eu comece a ler sobre eles?

Responder
planocritico 1 de março de 2019 - 19:34

Cara, comece SEM ERRO no início da gigantesca fase de Chris Claremont, que foi de 1975 até 1991. A primeira edição é X-Men #94, revista que, na edição #114, mudou de nome para o clássico The Uncanny X-Men. Na verdade, comece em Giant-Size X-Men #1, do Len Wein, que é a revista que introduz os novos X-Men (Tempestade, Colossus, Noturno, Wolverine e Pássaro Trovejante) e que o Claremont pega em seguida para sedimentar literalmente tudo o que modernamente conhecemos dos mutantes.

Abs,
Ritter.

Responder
genio playboy e safadão 1 de março de 2019 - 22:22

Caramba, ele passou 16 anos na mesma revista? Nossa

planocritico 1 de março de 2019 - 23:09

Sim. Pode ler sem medo, que é uma maravilha. As grandes histórias dos X-Men estão lá!

Abs,
Ritter.

planocritico 23 de outubro de 2018 - 10:28

Muito obrigado, @disqus_ZMtFC1obwd:disqus ! É um prazer e um orgulho!

Abs,
Ritter.

Responder
planocritico 22 de outubro de 2018 - 08:57

Sem dúvida!

P.s: Você tem desencavado umas críticas antigas que eu fico com vergonha relendo agora, quase uma década depois… Mas, paradoxalmente, tem sido uma baita experiência interessante e eu te agradeço esse seu interesse!

Abs,
Ritter

Responder
Anônimo 22 de outubro de 2018 - 09:56
Responder
Anônimo 22 de outubro de 2018 - 03:42
Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais