Vídeo | “The Joshua Tree” – U2

The Joshua Tree representou não só um marco na história do rock, como para a própria trajetória do U2. Até então, com cinco álbuns lançados, a banda irlandesa ainda lutava para encontrar a sua identidade e foi com o disco em questão que encontraram, enfim, a sua voz. Através de composições com temáticas mais abertas, que lidavam o a relação de amor e ódio com os EUA, problematizando a política de Reagan através de letras com alto teor político e social. Temos aqui um álbum que marcou a participação mais minimalista de The Edge, garantindo a identidade da banda, que difere do rock pesado dos anos 1980. É importante ressaltar, também, a influência gospel em boa parte das canções, que revelam raízes de música irlandesa e americana, algo o qual temos reflexo na instrumentação, ritmo e composição das letras, por Bono.

Completando seus trinta anos de lançamento, no dia 09 de março de 2017, homenageamos esse fantástico álbum através de um vídeo, do nosso canal parceiro Geek História, contendo inúmeras curiosidades sobre a banda e o disco em si. Confiram o vídeo abaixo e não se esqueçam de comentar, nos dizendo o que acham do álbum e qual a sua canção preferida!

The Joshua Tree
Artista: U2
País: Reino Unido e Irlanda
Lançamento: 9 de março de 1987
Gravadora: Island
Estilo: Rock

LUIZ SANTIAGO (OFCS) . . . . Após recusar o ingresso em Hogwarts e ser portador do Incal, fui abduzido pela Presença. Fugi com a ajuda de Hari Seldon e me escondi primeiro em Twin Peaks, depois em Astro City. Acordei muitas manhãs com Dylan Dog e Druuna, almocei com Tom Strong e tive alguns jantares com Júlia Kendall. Em Edena, assisti aulas de Poirot e Holmes sobre técnicas de investigação. Conheci Constantine e Diana no mesmo período, e nos esbaldamos em Asgard. Trabalhei com o Dr. Manhattan e vi, no futuro, os horrores de Cthulhu. Hoje, costumo andar disfarçado de Mestre Jedi e traduzo línguas alienígenas para Torchwood e também para a Liga Extraordinária. Paralelamente, atuo como Sandman e, em anos bissextos, trabalho para a Agência Alfa. Nas horas vagas, espero a Enterprise abordar minha TARDIS, então poderei revelar a verdade a todos e fazer com que os humanos passem para o Arquivo da Felicidade, numa biblioteca de Westworld.