Home FilmesCríticasCatálogos Crítica | Oceanos de Plástico

Crítica | Oceanos de Plástico

por Leonardo Campos
148 views (a partir de agosto de 2020)

A duração do plástico é uma dádiva para a economia. No entanto, para o meio ambiente, torna-se parte de uma terrível maldição. É com esse direcionamento que os realizadores se guiam para a construção dos discursos reflexivos em Oceanos de Plástico, um dos mais comentados documentários ambientalistas da última década, produção que reflete didaticamente o problema acerca da destruição dos nossos oceanos, tudo isso, sem deixar de atender aos pontos importantes na construção de uma narrativa cinematográfica visualmente interessante. Em suma, uma cartilha com estética das boas. Sob a direção de Craig Leeson, cineasta guiado pelo próprio roteiro, escrito numa parceria com Mindy Elliot, temos um panorama inicial de quase oito minutos dos 103 totais do documentário, preâmbulo que nos situa diante da ânsia de nossa atual sociedade por plástico, necessidade que atende aos interesses da economia, mas depois descamba na inadequada cultura do descarte, sendo os oceanos um dos receptáculos desse montante de lixo indesejado, nefasto para as águas, para os animais e até para nós humanos.

O que aprendemos em Oceanos de Plástico é uma lição simples: os nossos oceanos se movem por meio de cinco correntes intensas, originadas pela ação dos ventos e da rotação do planeta. Com isso, a movimentação do lixo descartado inadequadamente atravessa amplas faixas territoriais e navega por longas distâncias oceânicas, numa devastação prejudicial para uma fonte que nos emite mais da metade do oxigênio que utilizamos. O lixo lançado por pessoas e empresas em praias, rios e afins é levado para os oceanos e com os efeitos das mencionadas correntes, transformam-se em ilhas de plástico. O que agrava ainda mais a situação é que não basta apenas um mutirão para ir de embarcação e catar todo o material despejado na água. O material, além de ser resistente e durar mais tempo que muitas substâncias correlatas, cria a chamada “neblina de plástico”, formada por microplástico que vai se dispersando e dando forma ao conteúdo nocivo para todo o nosso ecossistema.

Esse é um tipo de poluição muito complexa para resolução, pois é um tipo de tratamento difícil, haja vista o largo impacto que tem. O cenário é o seguinte: os peixes ingerem o material e acumulam toxinas no músculo e na gordura. Como eles servem de alimento para outros animais marinhos e até mesmo para nós, seres humanos, temos uma cadeia absurda de destruição que vai muito além da superfície das águas oceânicas, isto é, algo infiltrado profundamente. A reversão para esse caos? Tal como apontado nos textos de Seaspiracy: Mar Vermelho, Oceanos, Em Busca dos Corais, dentre tantos outros, a mudança de posicionamento não apenas de empresas, mas dos seres humanos, consumidores do conteúdo fabricado por esses conglomerados capitalistas produtores de materiais descartáveis em excesso. Até que ponto queremos modificar nossos hábitos diante do uso de corpos, garrafas, canudos, vasilhas de alimentos delivery e afins? Para refletir. Já um começo. Sair do discurso e colocar a prática em dia. Você, caro leitor, considera-se preparado para isso?

Lançado em 2016, Oceanos de Plástico conta com imagens subaquáticas registradas pela direção de fotografia de Michael Pitts e Chiu Yung Chow, parte importante da equipe de produção, pois aparecem como os responsáveis por nos mostrar as mazelas sofridas por animais envoltos em plástico, bem como outras áreas imensas dos oceanos, destruídas pela ação do descarte de resíduos sem o devido cuidado. A condução musical, também cuidadosa, opta por não preencher a tela de sentimentalismo sonoro, tampouco carregar as imagens com os tons emergenciais geralmente abordados neste tipo de realização cinematográfica. Isso, no entanto, não nos impede de sentir algo pela trilha de Mirian Cutler e Vladi Slav. Além destes pontos que merecem destaque, o documentário também conta com os gráficos inseridos na pós-produção, supervisionados pela equipe de Syd Garon, conteúdo que amplia a nossa compreensão diante do assunto, explicando por meio de dados, material de arquivo e justaposição de imagens, o quão emergencial é este tópico atual das demandas ambientalistas para um futuro menos ameaçado.

Oceanos de Plástico — (A Plastic Ocean) Estados Unidos, 2016.
Direção: Craig Leeson
Roteiro: Craig Leeson, Mindy Elliot,
Elenco:  Sylvia Earle, Ben Fogle, Barack Obama, Tanya Streeter, Ivan Varela, Jon Ruxton, Craig Leenson
Duração: 100 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais