Crítica | Durante a Tormenta

durante-la-tormenta-PLANO CRÍTICO NETFLIX

“A tempestade é a mesma de alguns anos.”

Temática de viagem no tempo só pode ser realizada eficientemente por quem sabe o que está fazendo. Geralmente obras com esse tema terminam com inúmeros furos no roteiro. Apesar disso, o gênero ganha um espaço significativo no cinema. E o que a Netflix propõe em Durante a Tormenta é uma narrativa inteligente, cativante e, principalmente, sem furos. 

Vera (Adriana Ugarte) descobre fitas do garoto Nico (Julio Bohigas), que morava na sua casa há 25 anos. Ao pesquisar a vida do menino na internet, a mulher descobre que ele morreu atropelado. Enquanto isso, uma tempestade forma um buraco de minhoca que possibilita Vera de conversar com Nico por meio das fitas e o salvar da morte. Entretanto, ela precisou pagar um preço: sua vida antiga é totalmente apagada, inclusive sua própria filha Gloria (Luna Fulgencio).

O mais interessante é que a obra não foca em detalhes fúteis, como a maioria de obras do gênero faz. A questão do buraco de minhoca, por exemplo, sequer é citada. Isso poderia causar uma confusão nos espectadores que não conhecem conceitos de viagem no tempo, entretanto a película é tão bem desenvolvida nos outros aspectos que essas definições não se tornam necessárias.

Por exemplo, a ligação de Nico e Vera por meio das fitas simplesmente acontecem: não há uma explicação definida, até porque o projeto não pareceu querer explorar isso. Por outro lado, se considerado o desenvolvimento da protagonista diante da perda da família, o filme não deixa a desejar. O roteiro transmite o pesadelo de Vera eficientemente, criando mistérios e tensões que prendem o espectador.

Além disso, é notório o esforço do script em valorizar cada um dos personagens. Inclusive, é um dos únicos filmes do gênero que deixam a viagem do tempo como background. Aqui, a narrativa evidencia a vida de Vera, mas não deixa de explorar os coadjuvantes. Seria comum que com tantas coisas a percorrer, a história se perdesse ou deixasse algum dos personagens com questões não respondidas. Contudo, isso não chega perto de acontecer.

SPOILERS!

É uma pena que nesse desenvolvimento, o roteiro peque um pouco em dramatizar demais algumas cenas, em especial a do Nico adulto, agora conhecido como Inspetor Lewis (Chino Darín), com Vera. A última sequência dos dois no filme, por exemplo, tem uma pitada de romance, que não era necessária. Seria melhor que o roteiro continuasse na história que estava desenvolvendo do que introduzir um romance incoerente e repentino. Outro ponto negativo é a trilha sonora animada em cenas de suspense, destaque para a cena em que Nico está escondido na casa do vizinho Prieto (Javier Gutiérrez) enquanto ele esquartejava a esposa. A obra tinha tudo para ter sequência belíssimas que causasse suspense e nervoso, porém a trilha estraga isso.

Durante a Tormenta dá uma aula de como produzir um filme de viagem no tempo sem furos no roteiro. Infelizmente, a película peca em pequenos detalhes, como a trilha sonora animada em cenas de suspense e a introdução de um romance inútil. Entretanto, esses elementos não são suficientes para tirar o brilho da obra.

Durante a Tormenta (Durante la Tormenta) – Espanha, 2018
Direção: Oriol Paulo
Roteiro: Oriol Paulo
Elenco: Adriana Ugarte, Chino Darín, Javier Gutiérrez, Álvaro Morte, Nora Navas, Miquel Fernandéz, Belén Rueda, Albert Pérez, Mima Riera, Clara Segura, Aina Clotet
Duração: 128 min.

FERNANDO ANNUNZIATA . . . Por meio de um sonho, fui convocado pessoalmente pela Marilyn Monroe a participar do mundo das críticas cinematográficas. Sem saber o que esse mundo me reservava, cavalguei com a Lady Godiva em busca do Lendário Livro de Verdades. Atravessamos Gotham, Hogwarts e Twin Peaks atrás do nosso objetivo. Com a revelação dentro de um baú feito de mármore a dois metros dos nossos olhos, nos deparamos com o melhor final possível: o Livro era um espelho. Agora sou o dono de todas as verdades e faço parte de um culto de bruxos chamado Plano Crítico. A única resposta que não tenho é se prefiro minha antiga vida, quando eu era um mortal estudante de Comunicação Social de 18 anos, ou a vida atual, na qual eu descobri a verdade sobre Bohemian Rhapsody.