Home TVEpisódio Crítica | Legends of Tomorrow – 7X03: wvrdr_error_100 not found

Crítica | Legends of Tomorrow – 7X03: wvrdr_error_100 not found

Gideon é oficialmente uma Legend, uma humana.

por Davi Lima
2.749 views (a partir de agosto de 2020)

100

  • Há spoilers! Leiam, aqui, as críticas dos outros episódios da série.

Welcome to the team, Gideon.
– Lance, Sarah

Era obrigação que uma série sobre viagem no tempo soubesse fazer um episódio centenário consciente dos seus efeitos temporais sobre o espectador, recheado de referências e acúmulo de memória. Felizmente, Legends of Tomorrow mais uma vez esbanja criatividade e assertividade em tratar com a clássica nostalgia. Ela, que normalmente prende o público como disfarce para não se preocupar com qualidades narrativas em algumas produções, aparece certeira em wvrdr_error_100 not found. Não se trata de flertes, não se trata de sentimentalismo com lembranças, trata-se da nostalgia como um vínculo essencial da memória humana.

Depois que Gideon incorporou um corpo humano no começo dessa temporada, foi posta a discussão sci-fi da inteligência artificial e da humanidade. No episódio anterior, houve momentos lúdicos com essa novidade na série, mas, neste capítulo da semana, não poderia ser mais inteligente propor uma comemoração da série tratando da humanidade que a voz da Waverider aprendeu com os viajantes do tempo. A figura mais associada à nave das lendas agora está sem ela, o que cria a justificativa de tratar das memórias de Gideon, em vista que o espaço que se vive contempla a permanência e fixação de aprendizados, criando um problema para a personagem encaixar-se virtualmente em seu corpo humano. No percurso de consertar a mente dela, tudo se conecta – o útil e o agradável – de maneira singular.

Se antes Spooner e Astra eram a trama secundária em relação a acompanhar a história dos outros Legends nos episódios anteriores, agora elas estão no front, toda a atenção e o heroísmo é delas. Elas são as novatas também, criando ainda mais plausibilidade em como elas passeiam por momentos que Gideon precisa lembrar ao longo da série sempre em conflito, por desconhecerem a história completa dos heróis do tempo. O valor emocional e dramático do episódio se unem na funcionalidade da nostalgia como necessidade de fazer a inteligência artificial ser humana, entender a humanidade. Não bastasse essa trama tão bem arranjada, aproveita-se para colocar uma possível explicação para o grande mote da temporada, que foi a destruição da Waverider.

Bishop reaparecendo no futuro, depois de ter sido o principal antagonista da sexta temporada, dá indícios que o seu reset da consciência de Gideon é o que causou um efeito cascata que provocaria a grande consequência desta nova temporada. Ao mesmo tempo que o criador da AVA Corporation tem seus lapsos temporais do passado com alienígenas, criando toda uma ideia de não permitir que a IA se convença de sua humanidade, a narrativa do episódio desafia o espectador a pensar os momentos da série mais ordinários que refletiram o conceito de humanidade que desenvolveu Gideon. Tematicamente, wvrdr_error_100 not found é harmonioso, tal qual a voz da personagem cantando com os Legends.

Apesar da direção de Caity Lotz enrijecer o grande o valor desse episódio, ela ao mesmo tempo parece saber precisamente o quão importante é oficializar Gideon como uma Lenda. No acúmulo de memória, talvez o público nunca tivesse pensado nisso, pois a personagem sempre esteve com a Waverider. Mas o descolamento da IA do seu espaço de costume coloca-a em outro patamar, ainda mais relevante, ainda mais integrante do grupo de heróis. Ao final, se Legends of Tomorrow é um sci-fi serializado que se diverte com as homenagens aos gêneros de histórias, recriações históricas e anacronismos transformadores, comemorar uma espécie de aniversário extra série do centésimo episódio tinha uma baita responsabilidade de saber tratar com o tempo. Ela foi assumida e executada com louvor. Bem vinda, Gideon.

Legends of Tomorrow – 7X03: wvrdr_error_100 not found – EUA, 27 de setembro de 2021
Direção: Caity Lotz
Roteiro: Phil Klemmer, Matthew Maala
Elenco: Caity Lotz, Tala Ashe, Jes Macallan, Olivia Swann, Adam Tsekhman, Shayan Sobhian, Lisseth Chavez, Amy Louise Pemberton, Nick Zano, Matt Ryan, Brandon Routh, Victor Garber, Arthur Darvill, Courtney Ford, Wentworth Miller, Raffi Barsoumian, Falk Hentschel
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais