Home TVEpisódio Crítica | The Walking Dead – 10X14: Look at the Flowers

Crítica | The Walking Dead – 10X14: Look at the Flowers

por Iann Jeliel
373 views (a partir de agosto de 2020)

Look at the Flowers

  • SPOILERS do episódio e da série. Leiam aqui as críticas das demais temporadas, games e HQs. E aqui, as críticas de Fear the Walking Dead.

Aproximando-se do final da décima temporada fica mais claro o alarme falso dos sussurradores, prometidos como a maior ameaça da série até então, mas na prática nunca funcionando dessa forma (tal como o Negan), extremamente bem introduzidos, mas com um arco enrolado tão à exaustão que foi diminuindo o tamanho deles conforme o tempo. A Alfa (Samantha Morton) MORREU no episódio passado e parece que toda a sua trupe evaporou junto a ela, porque ninguém fica sabendo disso ao longo desse episódio além de Beta (Ryan Hurst) e outros cinco capangas. Inclusive, aquele final vinha com a conexão forçada de Carol (Melissa MacBride) como a precursora do plano ao liberar Negan (Jeffrey Dean Morgan) para matá-la, uma jogada deviadamente irresponsável, no limbo, mas que parecia na fala “You take long enough”, transparecia uma lucidez de que ela sabia que era certa, para o discurso mudar justamente na cena seguinte, em que ela já começa reclamando ao Negan que demorou demais e começa a transtornar de novo, dizendo que quer ficar sozinha e partindo sem rumo, para lugar nenhum.

Já defendi a personagem antes, poucos episódios atrás (especificamente em Squeeze), mesmo sendo uma dramaticidade de atitudes irracionais que ela já havia tomado antes na série, havia coerência e verdade segundo a tendenciosa crescente do arco até aquele momento. Contudo, com o fim de Alfa, com a confiança daquela fala e dado o “planejamento” que o roteiro assumiu, escancaradamente explicado na primeira cena forçando a conexão, não faz sentido ela, nesse episódio, continuar maluca da cabeça alucinando fantasminha (de novo) para lembrar da sua fragilidade que já está clara há muito tempo. O que isso significa? De novo, aquela famosa enrolação marota que The Walking Dead adora fazer em episódios de numerações parecidas. Ao menos em determinado tempo, a série fazia uma questão de esconder, agora pouco importa, Negan nem a questiona ao não cumprir a parte do trato de levá-lo para Alexandria como álibi de testemunha, porque eventualmente ele não está nem um pouco preocupado, no território inimigo, em ser pego, porque já parece que sabe o que vai acontecer nas cenas seguintes.

Ok. Admito que mesmo assim foi de enorme satisfação a cena em que três dos sussurradores encurralam Negan e Daryl (Norman Reedus), que encontra o personagem na cabana de Lydia (Cassady McClincy | sumida, de novo), e todo o contexto leva a crer que ambos estavam encrencados, mas inesperadamente os capangas mascarados se ajoelham perante Negan como se fosse o novo Alfa. Aproveitando a situação, principalmente diante da grande desconfiança de Daryl, Negan articula um teatrinho para satisfazer o ego, e consequentemente, pela indomável performance de Jeffrey Dean Morgan, por alguns segundos consegue levar o público a achar que realmente a série poderia mudar totalmente o rumo e colocá-lo como vilão de novo (e seria sensacional se acontecesse, diga-se de passagem). Mas lógico, na hierarquia dos “sussu”, quem estava devoto a isso era Beta, que assim como Carol passa o episódio tendo devaneios inúteis com a Alfa zumbi, a diferença é que ele não quase morre gratuitamente com isso e que não era um fantasminha, mas a cabeça da mulher falando com ele e o guiando a tomar alguma atitude. 

Ora, qual seria esse grande plano do subconsciente de Beta, digo, que a cabeça de Alfa tinha para guiá-lo? Pegar um vinil, aparentemente dele mesmo pelo que deu a entender, chamado Half Moon, começa tocar e juntar zumbis na área para que ele possa guiá-los de lá, Rob Zombie ficaria orgulhoso. Mas, cadê o resto dos zumbis da caverna? Ou do ataque a Hilltop? Não eram controlados por eles? Como dito, parece que eles evaporaram junto de Alfa, tanto que na cena em que Beta pega a cabeça de Alfa, só dois o acompanham ao invés uma manada considerável, um deles é comido pela cabeça e o outro foge e fica por isso mesmo, a ameaça final parece ser apenas Beta e o restante dos zumbis que irão à vingança, com desvantagem. A promessa de que “nunca vimos uma horda tão grande como aquela do penhasco” possivelmente ficará na falácia, afinal só faltam mais dois episódios para o fim, e o próximo, que até tinha tempo para organizar isso, não vai porque irá provavelmente ocupar o que esse deveria ter sido, que é a jornada de Eugene (Josh McDermitt) em conhecer a tal nova comunidade de Stephanie no rádio.

Infelizmente até nisso eles enrolaram em Look at the Flowers, embora a preocupação geográfica mais uma vez tenha ido para o espaço. Como depois de tanto tempo eles se deparam com uma cidade nova aparentemente tão próxima dali, porque Atlanta certeza que não era vista a demora imensurável que foi chegar em Alexandria originalmente, então fica o questionamento. Chega a ser tão grotesco que vai além dos erros de montagem, também presentes no capítulo, que em uma cena Negan e Daryl trocam palavras, e na outra, Daryl já está em Alexandria recebendo Carol que quase morreu na cena anterior, sozinha, cadê a cena de ligação entre os fatos? Ou melhor, Negan entrou lá de boa mesmo por causa do Daryl? Aliás, o combinado de Eugene e Stephanie era só que ambos se encontrassem, mas Ezequiel (Khary Payton) e Yumiko (Eleanor Matsuura) decidem ir também só para haver três ceninhas de enrolação, uma com Yumiko e Magna (Nadia Hilker) falando se é uma boa ideia ela acompanhar e abandonar de novo o grupinho delas, já separado, e as outras duas com Ezequiel possivelmente se despedindo de Jerry (Cooper Andrews) porque deve morrer logo em breve, e outra que ele questiona se deve continuar ou não pela limitação física.

A Stephanie mesmo só vai dar as caras por meio segundo nos minutos finais do episódio, obviamente, como dito, deixando o gancho de como se desdobrará essa nova comunidade para o próximo. Espremendo tudo ao final, não houve nada em Look at the Flowers, a história não avançou, personagens não foram desenvolvidos, situações que já não estavam previstas para ele foram criadas, foi um travamento completo e inútil de dezenas de situações pendentes que ficaram para ser resolvidas somente no último episódio, que nem tem data mais para estrear, visto a baderna que está a produção da série, não houve tempo nem de concluir um episódio já gravado de longa data na pós-produção, porque nem os produtores devem saber como ele deve acontecer para ligar o universo compartilhado e finalizar de forma minimamente recompensadora essa decepcionante temporada.

The Walking Dead – 10X14: Look at the Flowers — EUA, 29 de fevereiro de 2020
Direção: Daisy Mayer
Roteiro: Channing Powell
Elenco: Norman Reedus, Melissa McBride, Christian Serratos, Josh McDermitt, Khary Payton, Ryan Hurst, Samantha Morton, Jeffrey Dean Morgan, Eleanor Matsuura, Cooper Andrews, Nadia Hilker
Duração: 45min.

Você Também pode curtir

38 comentários

JC 31 de agosto de 2020 - 16:31

Bicho, que episódio porco. Parece que foi feito sem vontade nenhuma. Legal de ler críticas é isso, notei tudo que você falou mas jamais acertaria escrever assim, rs.

Carol voltou tão do nada que eu quase pensei que era algum flashback doido.
Fora que ela viajando na maionese…que troço mais chato.

Se aquela guria no fim for a mesma das HQ´s, pode se preparar que a audiência vai sumir.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 6 de dezembro de 2020 - 10:54

Fico lisojeado pelo elogio! Respondendo agora pq to passando a limpo meus comentários.

Responder
Edp 2 de julho de 2020 - 00:09

Depois do episódio da caverna, deu uma caída essa temporada…o episódio pré-batalha de Hilltop foi legal, mas não deu em nada, pessoal fugiu e parece que se reagrupou 100 metros de lado de Hilltop.

Por um lado achei a alucinação da Carol chata, por outro eu gosto muito da atuaçaõ da Morton.

Eu sinto uma familiaridade com GoT nessa temporada com várias coisas (infelizmente), a Geografia criativa, os sussurradores que uma hora tem um grupo gigantesco, aí somem, a horda que uma hora é gigantesca, outra hora soma (tipo os Imaculados da Dany) e principalmente o roteiro preguiçoso.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 6 de dezembro de 2020 - 10:54

Gostei das comparações e realmente fazem sentido com esse episódio e com que vem sendo TWD ultimamente.

Responder
Roger Jr 6 de abril de 2020 - 16:41

Antes de escrever a crítica, assista o vídeo sobre o episódio, neste canal:
https://www.youtube.com/channel/UCSyGPb1z-NyakXl0whOS6NA

Vc vai ficar mais “por dentro” do que aconteceu, e pode ser que mude sua opinião sobre o episódio.

Responder
Massy Andrade 3 de abril de 2020 - 01:12

Meu deus, que crítica cheia de má vontade kkkkkk

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 3 de abril de 2020 - 20:26

Pode ter certeza que não tenho má vontade com a série, só ver as criticas do 10×9 até o 10×11, elogiei bastante, quando devia e estou criticando agora quando também deve. Não é por que sou fã que vou contentar com qualquer coisa, pelo contrario, o fã é aquele que acompanha e sempre cobra o melhor da série e no caso de TWD, mesmo com essas limitações do momento agora, eu sei que ela entrega MUITO mais. Na própria temporada, o episodio 9 é a prova disso.

Responder
Isac Marcos 1 de abril de 2020 - 00:12

Esses 3 últimos episódios nem fiz questão de ver no horário de exibição, tamanha era minha “empolgação”.
Tá cada vez mais ladeira abaixo. Eu não ligo de modificarem algo do original, uma vez que são formatos/mídias diferentes, mas se mantivessem pelo menos a coerência do que quisessem modificar, beleza. O problema é que isso não vem acontecendo. O Negan matar a Alfa daquele jeito e chegar com a cabeça dela, era pra ser algo de grande impacto para Alexandria, mas aí preferiram “fantasminha camarada” da Carol, conversa que não leva a nenhum lugar entre Daryl e Negan, e por fim, Beta reunindo um grupo de zumbis, sendo que ele já tem A horda (sério?!). Tá bizarro.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 09:56

Exatamente. Existia outras maneiras de “enrolar” melhor, como apresentar os desdobramentos em Alexandria, se for pra pular o percurso até a princesa que pulasse logo de vez e já mostrasse direto as interações e que ao invés de Beta ter devaneios sozinhos que mostrasse ele junto com os outros sussuradores planejando de verdade uma vingança.

Responder
Cleisson Oliveira 31 de março de 2020 - 22:01

A crítica tá toda acertada. A escolha da série de abandonar os arcos que dedicavam 1 episódio inteiro a um personagem foi um ótimo avanço mas de nada adianta se a história só serve para o personagem ficar andando por aí, tendo alucinaçõezinhas e isso e aquilo. No fim de tudo a série fez o que ela faz há muito tempo, mostrou-se covarde, só avançando a trama do Negan e do Eugene, em passos curtíssimos. Essa segunda metade começou com 4 ótimos episódios mas volto a reclamar de novo e de novo, esse arco de 16 episódios é desnecessário, a história não rende tudo isso e o que perderia em quantidade, ganharia em qualidade. Muito do que ainda salva a série reside nas boas atuações, principalmente do Jeffrey Dean Morgan e nesse episódio, apesar dos somente 5 segundos em cena, da menina que fez a princesa. Como sempre, vai ficar toda o resto da ação acumulado pros 45 do segundo tempo.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 09:56

Isso do 16 episódios é papo antigo, ao menos as temporadas antes da 7° por exemplo, sabiam contornar preencher melhor o campo de acontecimentos ao longo deles. Desde lá, há capítulos de enrolação simplesmente surreais, se era antes focados em um núcleo, agora é distribuído entre vários para parecer menos pior e ai apelam pra alucinação e derivados.

A temporada ao meu ver, é fraca na primeira metade, começa bem na segunda com 3 (não 4, por que ainda acho o 12 o pior da temporada) e volta a fraqueza que estava anteriormente, se acovardando em momentos decisivos. Pra mim a unica coisa que fica próxima do nível ideal de TWD é Negan e Daryl, fora eles, tá difícil criar empatia com os outros personagens, quando começa a criar, morre ou desaparecem por vários capítulos.

Agora sem orçamento, mesmo deixando tudo para o final, acredito que ele em si não vai ser bem entregue, como em outros momentos foi.

Responder
Comediante 31 de março de 2020 - 18:34

Olá Iann, tudo bem ?

É… Tá difícil ver The Walking Dead. Faz um tempo que tá né, uns anos aí, mas na época da guerra eu ainda conseguia ter motivação para continuar vendo enquanto agora tá osso. Não sei se é a falta de um protagonista definido ou as porcarias que eles estão usando como roteiro ou os dois. A conclusão que fica é que eles não tem planejamento nenhum, algo que você sempre menciona com razão nas críticas, pois tá uma bagunça generalizada.

Falando em bagunça estou começando a ter dúvidas por causa da falta de desenvolvimento nas coisas, por exemplo: Agora só existe Alexandria ? Já que Hiltop parece ter sido completamente destruída e diferente da HQ não parece ter como reconstruir e Oceanside.. É só ignorar como sempre. Negan entrou lá mesmo ? Aarron e Luke morreram (tomara que sim) ? O que diabos fez o Beta deixar o lado esquizofrênico de lado e o fez escutar a música? Pelo que eu saiba ele tem repulsão do seu passado e achei bizarro aquelas cenas, ainda mais sem nenhum sussurrador. Que coisa mais ridícula levar o Ezekiel para morrer lá, ok que talvez pelo discurso motivacional da Yumiko vindo diretamente de Arrow ele se cure com a força de vontade digna de um anel da tropa dos lanternas verdes, mas se o Eugene foi acompanhado por que levar um peso morto ? “Ah mas o rei queria ir”… era melhor ter matado ele no ataque. Inclusive o que aconteceu com o cavalo dele ? Vi que ele estava ferido lá, mas vi muito bem o que era.

Para finalizar, creio que a Princesa, a personagem apresentada no final, não é a Stephanie. Seja pela voz ou pelas ações malucas dela que vêm da HQ. Infelizmente isso significa que a próximo episódio pode nem ter a Stephanie, sendo apenas desenvolvido o conflito inicial do trio sem noção com a maluca Princesa, resolvendo seus problemas apenas quando são emboscados pelo outro grupo e acaba o episódio. Ou pior, o próximo episódio só vai ter o ataque do Beta. Ouvi dizer que o próximo episódio será considerado a “season finale” e o outro episódio sem data vai ser uma espécie de episódio especial.. Sabe dizer se é isso mesmo ?

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 09:41

Fala comediante! Tudo ótimo e você? Lembre-se de ficar em casa haha. Vamos falar de TWD!

Acredito que a série em si nunca teve uma temporada ruim de fato, existe a queda na 7° e 8° que teve seus momentos e a 9° pra mim tinha recuperado o folego, para nessa 10° parecer ter uma queda ainda maior diante do que foi a anterior. Não gostei da 1° metade, diferente do critico anterior que estava sendo responsável por ela, mas a segunda inegavelmente teve seus momentos nos 3 episódios de volta que, infelizmente foram engolidos por outros 3 fraquíssimos posteriores, esse incluso.

Engole no sentido de que os bons rumos anteriores parecem ter sido um tiro de sorte ao invés de estarem dentro de um planejamento, que como venho mencionando, parece não existir. Hilltop pelo jeito vai cair em definitivo para economizar orçamento posterior (o que será lamentável visto que o local não terá nem uma despedida decente, ou mesmo mostrada). Oceanside é como disse é ignorada, mas só para poder aparecer quando convém, possivelmente um deus ex maquina para a batalha final. Negan pela logica entrou, mas a montagem meio que engoliu isso. Aaron e Luke possivelmente vão ser instrumentos de enrolação para o próximo episodio.

Sobre o passado de Beta, é aquilo né, chegou a ter episodio inteiro dedicado e não apresenta uma verdade completa, justamente para essa sua ação ter sentido por ocultar informações na cena. Pensando nessa coisa da cura em Ezequiel em algum tratamento medico na nova comunidade faz sentido leva-lo, seria melhor do que vê-lo morrer por lá. Sobre isso da princesa eu quero acreditar que são a mesma pessoa, por que não é possível que vão enrolar mais a Sthephanie em meio a apresentação de um arco totalmente novo, se ela não for a princesa, no minimo a princesa ta indo a reunião em seu lugar. Se duvidar isso não é nem resolvido e ficará só no Beta mesmo.

Sobre isso da finale ou não, pelo que vi, a finale vai ser mesmo a 16, só não vai ser lançada no dia 12 por que não deu tempo de finaliza-la na pós produção, então a temporada não irá acabar, só terá um novo hiato de um episodio (logo o final, tamanha a falta de desorganização da série).

Responder
Comediante 1 de abril de 2020 - 16:03

Opa, tudo bem também. E já estou ficando amigo das baratas de tanto ficar em casa e ignorando o filme “Joe e as baratas” dá para conviver com elas (O filme só me fez ter mais repulsão a elas, dá raiva só de lembrar da existência dele).

Agora que você mencionou eu me toquei que o Ezequiel pode encontrar uma cura por lá, então faz mesmo sentido ele ir, afinal conseguiram matar todos os médicos e projetos de curandeiros das comunidades. Agora é torcer pelo melhor mesmo e esperar um episódio minimamente bom para poder sustentar esse hiato indefinido para a season finale. De fato não entendi como isso pôde acontecer, ainda mais no último episódio, mas infelizmente a desorganização sempre surpreende.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 3 de abril de 2020 - 20:26

KKKKKKKK também odeio baratas.

Sobre os comentários não tenho muito a acrescentar, pelo visto você como eu é fã raiz, que critica quando precisa, mas deve sempre que pode. Torço a cada episodio por melhoras e cobra por elas, afinal, nos dois sabemos que a série pode entregar MUITO mais do que isso.

Responder
Adilson 31 de março de 2020 - 17:34

Acabei de chegar à conclusão que o prazo de validade dos showrunners é de uma temporada e meia, no máximo duas. Exceto Darabont, que foi tirado por forças ocultas, todos os demais, depois um tempo à frente começaram a apresentar sérios problemas de fluidez e continuidade nas histórias, além de falta de propósito e congruência no desenvolvimento dos personagens. Adorei a nona temporada e a primeira metade da décima, mas estou decepcionadíssimo com essa segunda metade. O que fizeram com a Carol????? Só anda em círculos. Todos os problemas de sociabilidade que ela teve antes, as crise de identidade, os isolamentos que pareciam tê-la feito evoluir, parecem não ter servido pra nada. Eu sempre gostei da personagem, em todas essas crises, que a galera detonava achando-a chata, eu via nela uma das poucas personagens que apresentavam uma profundidade e uma continuidade evolutiva verossímil, pois era reflexo de todas as experiências passadas. Claro, ela perdeu o filho adotivo, está sofrendo, mas ela já havia perdido um filha verdadeira e já passado pela experiência do luto outras vezes. Não era pra continuar nessa ladainha. Pela primeira vez em todos esses dez anos, estou achando a personagem realmente chata. Além disso, tá se mostrando uma puta de uma egoísta. No momento que ela abandona Negan, descumprindo o trato, eu pensei: ela vai tentar procurar a Connie, tá se sentindo culpada e vai tentar se redimir. Seria ma ótima sacada e um ótimo desfecho pra situação. Mas não, criam uma nova cena de alucinação que, como você disse, era pra já ter se resolvido com a morte de Alpha, tentam mostrar uma tensão que não cola porque sabemos que não vai morrer e mantém a situação dela com o resto da comunidade inalterada.

Na falta de protagonistas, pelas diversas cagadas que geraram o afastamento dos atores, não podem se dar ao luxo de matá-la. Mas conseguiram fazer pior, estragando uma das melhores personagens da série.
Outra coisa, como você disse, é o comportamento do Beta. Descarrega sua ira no próprio grupo (um bando de retardados, diga-se de passagem), age sozinho e sem espírito de liderança algum. A estratégia pra reunir o tal oceano de mortos vai ser, botar um som alto??? Haja amplificadores!!! Bicho, aí não dá né, é forçar demais a amizade! Essa segunda metade da décima temporada cagou todo o trabalho da Kang, essa é minha opinião.

Responder
Sussurrador 1 de abril de 2020 - 01:07

Para a maioria esse foi o único episódio fraquinho da segunda metade mas ainda com boa repercussão

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 10:01

Honestamente, só acho em alto nível os episódios 9 e 11.

Tem o 10, 8, 7 e 5 como bons/médios e o resto é fraco pra ruim.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 09:32

Concordo com cada virgula.

Primeiro no que diz respeito ao histórico de showrunner, Kang foi uma ótima corretora de problemas, tais como foi comprovado na 9° temporada, contudo, não se demostrou ser tão habilidosa assim para encorpar um novo arco por si própria, ou no minimo tem sido devidamente prejudicada no processo.

Não gosto da primeira metade no geral, para mim tem dois episódios “ok” e nada mais. A segunda metade começa melhor, só que depois do 11 há uma queda vertiginosa que se mantém até agora, evidenciada com isso da Carol. Como bem disse, se houvesse uma preocupação em no minimo disfarçar a enrolação ela procuraria Connie, o que faria mais sentido dentro da narrativa, mas não prefere ficar nessa ladainha, prejudicando uma das poucas personagem de peso, agora sobra Daryl e Negan.

Sobre o Beta é o tipo de personagem que funciona só como capanga do mal mesmo, e será resumido basicamente a fome de vingança e vai levar um monte de zumbis para o confronto de video-game final. Espero que ao menos eles não economizem no orçamento de novo dessa vez.

Responder
Roberval Machado 31 de março de 2020 - 13:43

Acho que aquela aparece no final não é a Stephanie, deve ser outra personagem.

A série parecia que tinha se recuperado, mas essa temporada só foi ladeira abaixo, muitos problemas.

A diminuição do orçamento é bem visível. Acho que a maior quantidade de cenas que teve nessa temporada foi de pessoas conversando no meio do mato.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 31 de março de 2020 - 16:41

É bem isso mesmo. Se não for a Stephanie, vai ser uma enrolação maior ainda, quem diria em?

Responder
joshua david 3 de abril de 2020 - 12:12

É a princesa, ela aparece na edição #170.

Responder
Sussurrador 31 de março de 2020 - 13:43

Temporada fantástica

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 31 de março de 2020 - 16:41

Pra mim, do jeito que tá, vai acabar como a mais fraca da série.

Responder
Sussurrador 1 de abril de 2020 - 00:59

Depende da opinião

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 09:56

Logicamente. Eu como fã, exijo mais, por que a série já entregou MUITO mais do que agora.

Responder
Carlos Faria 31 de março de 2020 - 12:23

Dos últimos 4, esse foi o que me empolgou menos, mas mantém a cotação alta dessa temporada na minha opinião. A questão do tempo do Negan matar a Alpha estabelece e explica o estado anterior e atual da Carol, sendo a linha narrativa do episódio. Ela queria algo rápido para não provocar as mortes e o ataque que aconteceu e sabia que o Negan não o fez em parte por gostar de ser aceito lá, por isso nao quer voltar pela culpa disso e deixa o Negan ali. Na sua crítica tem algumas coisas que me incomodam por parecer que assistiu de forma distraída e sem conhecimento da série e HQs. Que o Beta é o Half Moon, cantor country famoso, foi dada a dica com um easter egg em Fear The Walking e num episódio anterior quando um outro Sussurador reconheceu ele pela voz. A parte dele atraindo os zumbis pelo som da voz gravada e indo na sacada como se eles fossem fãs é muito boa e daria ótimas analogias. Agora a parte que é desinformação total é o que escreveu sobre o final: aquela cidade abandonada não é Commonwealth e aquela não é a Stephanie, mas a Princesa.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 31 de março de 2020 - 16:49

Sim, mas aí para e pensa, o ataque trouxe mortes? Visíveis, nenhuma, só depois que o Earl morre e é um personagem terciário ali, que ela nem soube da morte. Essa coisa da demora ou não, mesmo justificável, só tem pessoa quando convinientemente abre margem para ter mais draminha e enrolação, já que justamente na cena anterior, parecia já ressolvido.

Sobre a questão do “conhecimento” a qual julgou, primeiro que analiso o episódio em si e não o capítulo de HQ, onde o tempo mesmo provou que os dois não seguem exatamente a mesma linha. Dito isso, quem garante que a Stephanie não será a princesa? Se sim, é enrolação, se não, vai ser uma enrolação maior ainda.

Se você teve acesso a essa informação nós fóruns de SPOILER, me perdoe por preservar minha experiência e não fazer parte deles. É um dos grandes motivos de TWD ter perdido o peso é de qualquer acontecimento ter essa fonte anterior decodificada e aprovada pelos produtores. Enfim, não é desinformação se não foi confirmado ainda na série, enquanto série, segura a onda aí.

Responder
Sussurrador 1 de abril de 2020 - 00:53

Sim,espero que o último ataque tenha mais mortes e seja destrutível pra Alexandria apesar de ter personagens que muitos não vão gostar de ver morrer como Daryl,Carol e pra min Gabriel e Eugene que evoluíram muito quanto a Rosita ela é um rosto bonito e lutadora

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 10:01

Pra mim pode não ter morte nenhum desde que seja ao menos mostrada ou que acarrete em alguma consequência, em peso, em escala, TWD perdeu isso desde há 7° temporada.

Responder
Carlos Faria 1 de abril de 2020 - 11:42

Iann, essa informação da Princesa é especificamente por ter lido as HQs, visto como foi construída a cena e a aparição da personagem com seu visual típico, e já dando toques de sua personalidade, no episódio. Para você ver, mesmo ela já aparecendo perto do arco final nos quadrinhos teve pelo uma duas ou três capas com sua imagem.
Pode ser a questão do orçamento, mas a edição vem trabalhando com elipses temporais. A parte pós batalha abre com o Negan matando um sobrevivente mutilado e queimado, sendo o que os Sussurradores faziam no momento, quando a Alpha manda ele acertar o coração, pois tiveram muitas perdas na horda e que reagrupassem os que sobraram para darem meia volta para descansarem e prepararem mais suprimentos.
Na conversa com o Eugene, a Carol desabafa como é frustante jogar todas suas as fichas, irritando todo mundo e não ter resultados. Acho que esse episódio evita fazer mais draminha na frente já resolvendo tudo aí. Por conta da demora e comportamento, a Carol deixa o Negan à própria sorte falando que ele poderia ir ou esperar; e ele decide esperar. Daryl tem a prova do que Negan fez e que pode ter mudado (lembrando que a conversa da Michonne e Judith se dá bem depois disso) e a Carol tem seu tempo para deixar as coisas acalmarem. Aliás, gosto muito de não fazerem aquelas cenas de amigos vindo salvar do ataque do zumbi no último minuto e o corte final mostrando que houve uma certa passagem de tempo para sua volta por vontade própria.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 1 de abril de 2020 - 15:49

Pois pronto, NAS HQs, quem garante que NA SÉRIE, ela não seja a mesma personagem de Sthefanie, pelo menos, toda a construção do roteiro da entender que será. Até que se apareça as duas personagens como distintas, não há falta de informação.

Sobre a questão das elipses, sim, o roteiro vem usando delas, só que sem qualquer organização, fazendo pular de uma cena ou outra, sem usar a transição sutil de que dê a entender nitidamente a passagem.

Sobre as mortes, eu não quis dizer que ninguém morreu ali, mas que isso não foi mostrado. Logo, a série conta que morreram para deixar personagens ressentidos quando é conveniente para enrolar.”You take long enogh” pelo menos, da a entender satisfação, ai agora, por que precisava enrolar, o discurso muda e ela volta a ter culpa momentaneamente para no futuro, como bem “justificou” não precisar ficar com birra de novo.

Responder
Carlos Faria 4 de abril de 2020 - 19:46

Sim, não vai ficar meia temporada vagando. Não vejo com tão maus olhos o recurso; consigo ver a linha narrativa. Finalizando com algo curioso, aquela relação do Beta com aquele Sussurrador sacrificado parece com a do nosso presidente com o Trump, sendo o Trump o Beta 😆

Iann Jeliel Pinto Lima 1 de junho de 2020 - 12:32

Boa referência! Parece mesmo!

Junito Hartley 31 de março de 2020 - 10:58

A melhor parte do episodio foi a parte do Negan mandando o Daryl ajoelhar, foi foda a cena, o resto com vc disse foi tudo mal feito. Aquela cena do Daryl no meio do mato com negan trocando ideias, ai na cena seguinte ele ja aparece em Alexandria, detalhe que ele nao é porteiro de la pra abrir o portao kkkkkkk.

Vc esqueceu de mencionar a cena que mais me incomodou, as cenas daquele capanga sussurrador foram um lixo, o cara deixou o beta empurrar o rosto dele de encontro a alfa zumbi pra ela morder ele, depois o beta da as costas a ele e ele nao faz nada (ele ja tava morto ja que foi mordido, nao tinha nada a perder) ai la na cidade, ele vê um zumbi e vai querer defender o beta depois do que ele fez com ele, achei um lixo essas sequencias.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 31 de março de 2020 - 16:55

É bem isso mesmo, uma cena boa e o resto totalmente descartável.

Alexandria nem porteiro tem mais parece.

Parando pra pensar, faz sentido, mas acho mais absorvível, vai que ele sentiu prazer em poder servir uma última vez o legado de Alfa, sei lá. Foda é engolir que o Beta deixaria aquele outro cara escapar.

Responder
Mr.L 31 de março de 2020 - 03:29

A noção geográfica de TWD é uma piada,os caras passam quase uma década morando numa região,andam 1 dia e encontram uma área jamais vista kkkkkkkm
Gostei muito desse episódio,os plots não foram uma maravilha digna de emmy, porém achei todos eles bem divertidos. O de Eugene foi bacana, só não entendo pq jogaram a Yahiko e o Ezequiel(tá eu sei que vão fazer uma “escolta’), preferia o Eugene solo. Negan e Daryl até que dariam um bom bromance,a cena do novo alpha foi hilária. Carol pirando pra variar,mas gostei da fantasmalpha jogar umas verdades na cara dela. Beta mais louco que de costume foi ótimo (adoro esse clichê do subordinado lokão que só fica na linha por causa do chefe), só me decepcionei pq não rolou um beijo dele com a cabeça depois que ele mete a faca.
E por último,os zumbis cidadãos foram foda, ri tanto quanto o Ezequiel quando viu o zumbi aplicando a multa.

Responder
Iann Jeliel Pinto Lima 31 de março de 2020 - 16:56

Exatamente! Uma nova cidade brotar do nada depois de estarem a quase uma década ali é sacanagem, seria a solução de tantos problemas. Não só a geografia como o tempo de elipses tá completamente mal articulado.

Sim, preferia ver o Eugene solo, a cena do Negan foi hilária e valeu o episódio, os bizarros zumbis cidadão foram engraçados também, mas nessa altura eu já tava nem ligando mais. Carol por mim, não passa dessa temporada, se for pra ficar assim, que saia logo da série e Beta vai ser possivelmente o vilão mais blazer da série com esse final. Enfim, vamos esperar.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais