Home TVEpisódio Crítica | Mayans M.C. – 3X08: A Mixed-up and Splendid Rescue

Crítica | Mayans M.C. – 3X08: A Mixed-up and Splendid Rescue

por Ritter Fan
958 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leia, aqui, as críticas dos demais episódios.

Com exclamaria minha mãe: “Eita-Ferro!”. Foi isso que tive vontade de dizer algumas vezes na medida em que A Mixed-up and Splendid Rescue progredia, revelando-se como um episódio que parece correr desesperadamente atrás do prejuízo causado por You Can’t Pray a Lie e, em parte, por What Comes of Handlin’ Snakeskin de forma a armar a temporada para seu final já que só há mais dois episódios pela frente e ainda nenhum sinal de renovação por parte da FX, hoje da Disney (e, sinceramente, duvido que haja renovação…).

É tanta coisa para escrever que eu realmente nem sei por onde começar, mas, contemplando as diversas linhas narrativas e sub-tramas abordadas, creio que a melhor saída para meu texto da semana seja não cair na mesma armadilha do roteiro de Jenny Lynn e concentrar-me nos aspectos macro. Aliás, vale um parêntese importante, pois Lynn conseguiu um milagre ao lidar com tanta coisa ao mesmo tempo, certamente um mandamento do showrunner, escrevendo pequenas, mas importantes interações entre um sem-número de duplas de personagens, seja El Palo tentando convencer o violento El Banquero a ajudá-lo em sua rota de vingança, seja a doçura de Hank com Nails ou a conexão mais forte entre Angel e a mesma Nails quando ela o informa sobre sua gravidez, ou, ainda, a terna e surpreendente conversa entre Laura e Tazza, em que o segundo é revelado como homossexual, tendo o finado David como o único amor de sua vida. Foi sem dúvida uma tarefa complexa que a roteirista mostrou eficiência em cumpri-la e que o diretor Alonso Alvarez-Barreda soube colocar na telinha da melhor maneira possível.

Mesmo assim, claro, a quantidade de pequenas histórias chegou a cansar. Algumas ganharam bom tempo de tela, como tudo envolvendo EZ e Gaby, especialmente o terrível brunch em que Angel expõe todas as suas mágoas e tristezas, acabando com EZ revelando o que parece ser seu verdadeiro e cada vez mais violento “eu” e a investigação de Miguel Galindo sobre o assassinato de sua mãe, o que o colocará em rota de colisão com os Reyes e que levou à perturbadora cena dele e Emily transando que a direção e o roteiro trabalharam com percepções opostas, ou seja, ele com intenção de matá-la, ela compreendendo tudo aquilo como demonstração de “amor violento”, um toque particularmente interessante – e macabro – que foi muito bem conduzido. Outras, como Tazza e Laura ou até mesmo Palo e Banquero, foram quase que inseridas “na surdina” para lidar com as questões muito mais por um ditame prático, do que pela estética ou mesmo pela narrativa como um todo. Elgin James precisava lidar com essas subtramas, algo que se repete com Bishop sendo “elevado” ao único rei quando o clube toma a decisão de matar Canche, e precisava que fosse agora e, com isso, o episódio ficou inevitavelmente todo entrecortado, com uma pletora de momentos anticlimáticos.

Fiquei, porém, particularmente surpreso pela qualidade da interação entre Coco, Hope e Leti. Com o cliffhanger sendo resolvido sem nenhuma enrolação, já que a morte de Coco por overdose pouco serviria à narrativa, restou a antes perdia Leti tentar colocar as coisas nos eixos, com uma performance digníssima de Emily Tosta que empresta à sua personagem o desespero, raiva e desapontamento que sente pela situação deplorável de seu pai, sua única conexão familiar. Percebe-se, muito claramente, o amor que ela sente por Coco e por tudo o que ele fez por ela e, em atitude adulta, ela arregaça as mangas para fazer o mesmo pelo pai em um caminho potencialmente muito difícil e tenso, especialmente com Hope ironicamente abandonando a esperança e novamente entregando-se ao vício. Apesar de pessoalmente eu esperar o pior nesse núcleo, secretamente – ou não tão secretamente assim – espero que tudo corra bem e que pai e filha possam sair dessa razoavelmente incólumes.

Ou seja, apesar de lidar com realmente muita coisa em apertados 54 minutos (e olha que Álvarez, Adelita e eventual conexão com a polícia, especialmente Potter, ficaram de fora), A Mixed-up and Splendid Rescue ainda consegue escapar da tragédia que poderia ser e efetiva e inteligentemente move as peças no complexo tabuleiro dos Mayans para o que parece ser um conflito entre diversas partes ao mesmo tempo, o que igualmente merece um “Eita-Ferro”, só que, agora, de admiração. Não sei se há tempo em apenas dois episódios para que tudo – ou quase tudo – seja resolvido a contento, mas fica a torcida para que sim já que, como disse, a renovação parece ser um sonho impossível.

Obs: Em 03/05, saiu a confirmação da renovação de Mayans M.C. para a 4ª temporada.

Mayans M.C. – 3X08: A Mixed-up and Splendid Rescue (EUA – 27 de abril de 2021)
Showrunner: Elgin James
Direção: Alonso Alvarez-Barreda
Roteiro: Jenny Lynn
Elenco: J.D. Pardo, Sarah Bolger, Clayton Cardenas, Michael Irby, Carla Baratta, Richard Cabral, Raoul Trujillo, Danny Pino, Edward James Olmos, Emilio Rivera, Emily Tosta, Sulem Calderon, JR Bourne
Duração: 54 min.

 

Você Também pode curtir

9 comentários

planocritico 3 de maio de 2021 - 22:13

NOTÍCIA QUENTE EM 03/05:

Mayans M.C. foi renovada(!!!) para sua 4ª temporada. Que beleza!

Abs,
Ritter.

Responder
Alex Fonseca 3 de maio de 2021 - 22:57

Oh beleza! 👏👏👏👏👏

Responder
Pedro Brito 3 de maio de 2021 - 23:04

Vim aqui só pra falar isso kkkkkk
Ainda bem que renovaram!

Responder
Cesar 3 de maio de 2021 - 21:44

RENOVARAM!

Responder
planocritico 3 de maio de 2021 - 22:20

Sim! A prova de que milagres acontecem em Santo Padre!!!

Abs,
Ritter.

Responder
Comediante 2 de maio de 2021 - 20:10

Enfim se chega no episódio que pega quase todos os núcleos da temporada e os coloca no caminho de sua conclusão. É bom lembrar que Mayans ainda consegue lidar com diversos personagens e suas histórias paralelas muito bem, não se tem muitas séries que fazem isso atualmente.. Agora espero que Gaby, por mais adorável que seja, vá embora mesmo, só há violência, caos e morte por ali. Certamente os dois próximos episódios serão trágicos para todos os lados, mas já estou com pena do Hank antecipadamente e olha que ele quase nunca ganha destaque.
Teve uma revelação sobre o Taza e agora acredito (esperando muito estar errado) que ele é o grande candidato à se encontrar com o senhor ceifeiro. Mesmo tendo alguma coisa ali e aqui pra resolver com os Sons of Anarchy acho possível que o vice presidente do clube acabe desistindo de lutar em algum momento X, mas novamente espero que não. Ironicamente o episódio trouxe esperança para Coco e sua filha, mas tem que ficar esperto porque isso aí tem cara de sapecagem, já que ele roubou o clube e Isaac e seu grupo macabro nem apareceram.
No final de temporada passado eu imaginei que o Álvarez cobrindo os rastros das motos iria dar ruim pra ele, porém isso nem foi descoberto (Pelo menos não ainda..). No mais é esperar que o final de temporada não seja trágico nos bastidores e haja uma renovação, por mais improvável que seja.

Responder
planocritico 3 de maio de 2021 - 02:34

Sim, sim, a série lida de maneira exemplar com os diversos núcleos narrativos e essa 3ª temporada fez o que as outras duas não fez, ou seja, abordou os outros Mayans fora os Reyes e Coco.

Abs,
Ritter.

Responder
Alex Fonseca 29 de abril de 2021 - 19:27

Depois da briga, duvido muito que a Gabi queira permanecer em Santo Padre. Ela já esteve no meio de um tiroteio e, dessa vez, acabou até saindo ferida. A cena do Miguel com a Emily foi muito intensa, aquele choro de raiva mostrou que a vingança dele será igualmente cruel. Agora é esperar os mortos e feridos do restante da temporada. Abraços!

PS: Não sei se a renovação é tão impossível assim, já que a segunda temporada foi renovada na semana em que foi exibido o episódio 9. Aguardemos!

Responder
planocritico 29 de abril de 2021 - 19:29

Sim, Miguel será cruel SE ele sobreviver a vindoura guerra…

Sobre a renovação, tomara!!!

Abs,
Ritter.

Responder

Escreva um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais