Home Colunas Crítica | 101 Dálmatas – 1X01: Lar é Onde Está o Latido

Crítica | 101 Dálmatas – 1X01: Lar é Onde Está o Latido

por Ritter Fan
356 views (a partir de agosto de 2020)

Bem-vindos ao Plano Piloto, coluna dedicada a abordar exclusivamente os pilotos de séries de TV.

Número de temporadas: 2
Número de episódios: 65 (105 segmentos)
Período de exibição: 1º de setembro de 1997 a 04 de março de 1998
Há continuação ou reboot?: Não, mas a série funde elementos tanto da animação quando da versão live-action de 1996 e foi seguida, mas não continuada, de uma outra série, Rua Dálmatas 101, em 2019.

XXXXXXXXXX

Em 1961, a Disney lançou a versão animada cinematográfica de 101 Dálmatas, adaptação inesquecível obra literária infanto-juvenil homônima da britânica Dodie Smith que se tornou mais um clássico da produtora e que, mesmo com a autora publicando uma continuação em 1967, permaneceu intocada por 35 anos, até que finalmente resolveram capitalizar em cima da propriedade com a estreia da versão live-action da animação – então apenas a segunda da empresa – em 1996. Com o sucesso de bilheteria, o que se seguiu daí, antes da fraquíssima continuação de 2000, foi o desenvolvimento de uma série animada que foi ao ar entre 1997 e 1998, com duas temporadas e 65 episódios, vários deles composto de dois curtos segmentos de algo como 11 ou 12 minutos cada.

A série, apesar de dar nome e mostrar diversos outros filhotes biológicos e adotados até então “anônimos” de Pongo e Perdita e de usar todos os personagens adultos conhecidos, foca mesmo em três dos pequenos dálmatas, todos parte da ninhada original de 15: Lucky (Pamela Adlon), que é chamado assim por ter manchas no dorso em formato de ferradura; Roliço (Rolly, voz de Kath Soucie), o mais gordinho de todos e sempre esfomeado e Queridinha (Cadpig, também Soucie), a menor dos cachorrinhos. A trinca, sempre inseparável, normalmente cria as confusões que dão impulso aos episódios, com Lucky sendo caracterizado com líder, mas também sendo o maior responsável pelos problemas por que eles passam.

Nessa linha, o primeiro episódio – que, inexplicavelmente, é o 11º na lista do Disney+ – lida com a mudança de Roger e Anita para uma fazenda depois que Nana é roubada em plena Londres, de forma que possa haver espaço para todos os filhotes e tranquilidade para os adultos. É claro que os três filhotes protagonistas não gostam nada da ideia e, na primeira oportunidade, tratam de retornar para Londres, somente para perceber que a vida na cidade que tanto achavam que  gostavam já não é a mesma coisa, especialmente considerando que seus pais e o restante de seus irmão permaneceram no campo, divertindo-se entre galinhas, vacas e demais personagens animais que povoam o local.

No entanto, jogando muito seguro demais para o meu gosto, o roteiro do piloto, escrito por Roberts Gannaway, retorna à temática de sequestro de filhotes de dálmata por Cruella de Vil (April Winchell), desta vez não para fazer um casasco de peles, mas sim para usá-los como instrumentos para forçar Roger e Anita a vender a fazenda que, por uma razão aleatória qualquer, ela quer comprar de qualquer jeito. Com isso, em uma tacada só, o roteiro caminha pela estrada mais preguiçosa possível e descaracteriza Cruella que passa a ser uma vilã corporativa que só vê cifrões à sua frente, algo bem diferente de sua abordagem clássica e, pior do que isso, tornando-a genérica.

Pelo menos no lado do design e da técnica de animação, a série acerta, trabalhando traços levemente mais caricatos para todos os seus personagens, especialmente, claro, Lucky, Roliço e Queridinha, com um roteiro inicial que imediatamente acerta ao dar o tom correto a eles e a criar uma bela conexão entre os irmãos, algo em que as vozes de Adlon e Soucie ajudam muito em ótimos trabalhos. Da mesma forma, a animação em si é muito dinâmica, ainda que claramente simplificada como é comum em séries desse naipe, com cenários variados e muito coloridos que encantam a todo tempo e prende o espectador mirim à telinha.

Lar é Onde Está o Latido não arrisca muito em termos narrativos e entrega uma história batida de sequestro em sua segunda metade, mas, por outro lado, consegue estabelecer e desenvolver bem a trinca principal, além de investir em traços mais modernosos, mas sem exageros e sem deixar de lembrar os da animação de 1961. Não é nenhuma maravilha, mas ele funciona bem como diversão descompromissada para os mais velhos em muita diversão simpática para os pequeninos.

101 Dálmatas – 1X01: Lar é Onde Está o Latido (101 Dalmatians – 1X01: Home is Where the Bark Is – EUA, 1º de setembro de 1997)
Desenvolvimento: Jim Jinkins, David Campbell (baseado em romance e personagens de Dodie Smith)
Direção: Rick Schneider
Roteiro: Roberts Gannaway
Elenco: Pamela Adlon, Debi Mae West, Kath Soucie, Jeff Bennett, April Winchell, David L. Lander, Michael McKean, Charlotte Rae, Kevin Schon, Frank Welker
Duração: 23 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais