Crítica | Modern Family – 5ª Temporada

estrelas 5,0

Quando se analisa uma temporada de Modern Family, devemos ir em busca do que a difere das demais. O que acaba acontecendo a partir daí é a constante tentativa em captar algum erro, um deslize mínimo cometido em algum momento que possa comprometer o seguimento da série. A única razão para proceder desta maneira, é a escassez de agumentos comparativos entre uma temporada e outra.

A série tem se mantido tão estável dentro de um nicho que domina com maestria, que o exercício de revisá-la perde sua função e tende a cair na redundância. Os personagens, apesar de estarem pautados em figuras estereotípicas, assumem cada vez mais diferentes posições dentro das famílias.

Claire finalmente começa a trabalhar e Phil, ao dividir minimamente as tarefas domésticas, começa a perceber melhor o difícil papel que a esposa sempre desempenhou. Dentro da Universidade Comunitária, Hailey começa a se preocupar com o seu futuro profissional, não tanto quando Alex que, nesta temporada, está mais neurótica que nunca à medida que vai seu tempo no High School vai chegando ao fim.

A chegada de Little Joe para a família Pritchett também não passa despercebida. O instinto maternal de Glória ganha novas dimensões e os costumes colombianos são resgatados com habilidade nesta temporada. Sofia Vergara traduz perfeitamente a figura da mãe que tem que lidar com filhos em diferentes idades. Ter que lidar com o desapego do filho que acaba de entrar no primeiro ano do High School e com a suspeita de que seu bebê de um ano está possuído pelo diabo não é uma tarefa fácil.

Todos os núcleos parecem ganhar abordagens equilibradas, mas o argumento condutor de toda temporada está localizado dentro da casa de Cameron e Mitchell. Com a legalização do casamento homoafetivo no estado da California, os dois resolvem oficializar a união de uma vez por todas e a relação está na maior parte do tempo voltada ao planejamento da festa. A ABC não poderia deixar que um momento tão importante para a série passasse despercebido e resolveu promover o fim da 5ª temporada financiando a união de diversos casais homoafetivos na cidade de Nova Iorque.

O 5º ano de Modern Family chega ao fim com a certeza de que a série tem todo potencial para durar mais tempo e não esgotar seu humor inteligente.

Modern Family – 3ª Temporada (EUA, 2011)
Criadores: Steven Levitan e Christopher Lloyd.
Direção: Michael Spiller, James Alan Hensz, Jeffrey Walker, Chris Koch, Steven Levitan, Gail Mancuso, Bryan Cranston, Alisa Statman, Fred Savage, James R. Bagdonas, Ryan Case, Beth McCarthy-Miller.
Roteiro: Steven Levitan e Christopher Lloyd.
Elenco: Ed O’Neill, Sofía Vergara, Julie Bowen, Ty Burrell, Jesse Tyler Ferguson, Eric Stonestreet, Sarah Hyland, Ariel Winter, Nolan Gould, Rico Rodriguez, Aubrey, Anderson-Emmons.
Duração: 24 min. (cada episódio)

FILIPE MONTEIRO . . . O exército vermelho no War, os indianos em Age of Empires, Lannister de Rochedo Casterly. Entrou em órbita terrestre antes que a Estrela da Morte fosse destruída, passou pela Alameda dos Anjos, pernoitou em Azkaban, ajudou a combater o crime em Gotham e andam dizendo por aí que construiu Woodburry. Em uma realidade alternativa, é graduando em Jornalismo, estuda Narrativas e Cultura Popular, gosta de cerveja e tempera coentro com comida.