Home FilmesCríticas Crítica | Crônicas de Natal 2

Crítica | Crônicas de Natal 2

por Ritter Fan
1222 views (a partir de agosto de 2020)

O despretensioso e simpático filme natalino do Netflix de 2018 Crônicas de Natal com Kurt Russell como Papai Noel fez sucesso e uma continuação, claro, era inevitável. O que chega a ser uma surpresa é a presença de Chris Columbus na direção, substituindo o desconhecido Clay Kaytis, ainda que o então um dia inspirado cineasta esteja já há muitos anos procurando a mágica que comandava, certamente não a encontrando aqui.

Mas Columbus, que também co-escreve o roteiro com Matt Lieberman, este retornando à franquia, sabe usar os pontos fortes do primeiro filme e consertar em parte seu problema de começo lento, ainda que acabe trocando por um dénouement longo demais. Com isso, o novo longa não perde tempo algum em estabelecer o novo status quo de Kate (Darby Camp) passando o Natal no calor do México com Teddy (Judah Lewis), seu irmão, Claire (Kimberly Williams-Paisley), Bob (Tyrese Gibson), o namorado de sua mãe e Jack (Jahzir Bruno), o filho de Bob. Não só Kate está emburrada pelo fato de estar nos trópicos passando seu feriado favorito (exatamente como me sinto todo ano, vale dizer…), como o relacionamento de sua mãe com Bob, em sua cabeça, parece separar mais ainda sua família e fazê-la esquecer de seu amado pai.

Armada a história em poucos minutos, eis que Kate e, inadvertidamente, Jack, acabam sequestrados pelo elfo em forma de garoto Belsnickel (Julian Dennison) e teletransportados para o Polo Norte de forma que eles sirvam de isca para o Papai Noel que não demora nada a aparecer e a salvá-los do frio, levando o elfo malvado para dentro da redoma protetora onde ele, então, começa seu plano para tomar conta do Natal. O que funciona na história é que seu conceito não é uma mera repetição da anterior. Columbus e Lieberman não só criam algo bem diferente que abre até mesmo oportunidade para uma história de origem e ao uso razoavelmente decente da Mamãe Noel (Goldie Hawn), como estabelecem um bem-vindo ritmo acelerado que faz a metade do longa passar com velocidade.

Por outro lado, como grande parte da ação se passa no mundo mágico do Papai Noel, com um vilarejo multicolorido e milhares de pequenos elfos povoando o local, a computação gráfica reina absoluta e isso não é exatamente uma boa notícia. O primeiro longa, que foi bem mais terreno do que esse, por assim dizer, já sofrera com o CGI cartunesco e, agora, com a computação gráfica tomando de assalto basicamente o filme todo sem que realmente tenha havido investimento na melhoria sensível de sua qualidade, acaba que a continuação sente ainda mais esse peso. Lógico que as crianças muito pequenas não ligarão, mas levando em consideração o estado atual da computação gráfica, seria razoável esperar algo sólido, que fizesse jus à abordagem de Columbus, mas o que temos não é muito melhor do que gráficos de games de duas gerações atrás.

Além disso, todo o bom ritmo da primeira metade mostra exaustão na segunda. Para o mérito da dupla de roteiristas, vale dizer que eles conseguem emplacar uma surpresinha simpática, além de outro número musical para lá de divertido, cortesia de um dueto de Darlene Love, cantora pop americana que, no cinema, é mais conhecida como Trish Murtaugh, esposa do personagem de Danny Glover na franquia Máquina Mortífera, com Kurt Russell, mas não muito mais do que isso. A narrativa começa a ficar arrasta lá pela marca da uma hora, com situações que se repetem e uma ação final tão longa que chega a ser cansativa que é complementada com um epílogo arrastado demais que estica demais o filme.

Se esperar computação gráfica de ponta talvez fosse um pouquinho demais, Crônicas de Natal 2 teria se beneficiado de mais polimento técnico e, especialmente, de uma duração consideravelmente mais econômica. Columbus parece dirigir no automático, valendo-se apenas das presenças magnéticas de Russell e Hawn e da capacidade dramática de Camp (pois os jovens Bruno e Dennison são fraquinhos, e isso porque estou me sentindo já dominado pelo espírito natalino…) para criar um longa que certamente divertirá os bem pequenos, mas que está muito longe de sequer ter o direito de figurar ao lado dos exemplos mais ilustres de sua filmografia.

Crônicas de Natal 2 (The Christmas Chronicles: Part Two – Canadá, 25 de novembro de 2020)
Direção: Chris Columbus
Roteiro: Matt Lieberman, Chris Columbus (baseado em personagens criados por Matt Lieberman e David Guggenheim)
Elenco: Kurt Russell, Goldie Hawn, Darby Camp, Julian Dennison, Jahzir Bruno, Darlene Love, Tyrese Gibson, Sunny Suljic, Judah Lewis, Kimberly Williams-Paisley, Patrick Gallagher, Malcolm McDowell, Violet Columbus, Tricia Munford, Christy St. John, Danny Dworkis, Seth Whittaker, Andrew Morgado
Duração: 112 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais