Crítica | Star Wars Resistance – 1X13: Dangerous Business

O décimo segundo episódio de Star Wars Resistance começa com Kaz consertando a nave Fireball para que seus amigos possam utilizá-la no começo do dia. É interessante ver as habilidades de Kaz como mecânico melhorarem, no começo da temporada nosso protagonista não sabia nada a respeito de como as naves funcionam, agora ele já progrediu o suficiente para consertar uma nave sozinho.

Não são só as habilidades de mecânico que evoluíram em Kazuda, durante todo o episódio Dangerous Business, vemos que o menino também progrediu como espião. Antes, tudo passava muito pelo radar do recente membro da Resistência. Agora Kaz está com o alarme sempre ligado, buscando por atividades suspeitas.

Voltando a trama, o menino conseguiu as partes para a nave na oficina da plataforma. O negócio parecia simples, os donos do local davam as peças para, e ele teria que cuidar da oficina enquanto ambos estavam fora. A única exigência da dupla era que Kaz não poderia vender nada do que estava localizado na parte de traz da loja.

Tudo está indo bem até que um alienígena aparece pedindo por uma peça que não pode ser vendida. Kaz diz que não pode vendê-la, porém ele dá um jeito de enganar o protagonista e o prende dentro de um container enquanto pega a peça que precisa.

Para dar um pouco mais de urgência para a trama, Eugene Son, que escreve o roteiro do episódio, coloca Kaz em uma situação complicada. O container está prestes a cair dentro do mar, e ele precisa sair dali o mais rápido possível.

É interessante ver Kaz trabalhando sozinho, sua primeira reação é chamar BB8, esse que tem sido o grande resolvedor de problemas da série. Mas dessa vez o droid também está preso, fazendo com que Kazuda tenha que resolver esse problemão sozinho.

Ele logo consegue se livrar do container e corre para encontrar o ladrão, ávido por recuperar a peça, Kaz entra dentro da nave do alienígena e nela encontra seu alvo conversando com stormtroopers da Primeira Ordem. Confirmando suas suspeitas que o ladrão trabalhava para o regime, o espião decide derrubar o veículo com uma pane elétrica. Aqui vemos, de novo, Kaz tendo que resolver o problema sozinho.

Voltando para a plataforma, descobrimos com os mecânicos, esses que são um dos personagens mais interessantes e engraçados da série, que a peça que a Primeira Ordem queria roubar é utilizada para mineração de grandes asteróides. O menino ainda não sabe o porque o regime precisa de um equipamento como esse, mas a audiência já sabe que todo esse aparato está sendo recolhido para a base StarKiller.

Essa dinâmica do público saber mais do que os personagens é um pouco frustrante. Em episódios passados vimos os personagens descobrindo que a Primeira Ordem está produzindo armas, algo que para o público já é mais do que claro. Em Dangerous Business a mesma coisa acontece, nós sabemos o grande plano do regime, mas os personagens ainda não sabem. Esse artifício pode ser interessante se utilizado de forma moderada, como aconteceu durante as últimas temporadas de Rebels, quando o público já sabia do grande plano da Estrela da Morte, mas os personagens principais não.

Dangerous Business foi um episódio focado em mostrar que Kaz progrediu como mecânico e como espião, o roteiro de Eugene Son faz questão de focar em partes onde essa evolução é evidente. Especula-se que a próxima temporada da série será passada fora da plataforma e que o protagonista precisa crescer em habilidades para poder fazer isso. Enquanto isso não acontece, o público espera para ver revelações realmente novas.

Star Wars Resistance – 1X13: Dangerous Business (EUA, 20 de Janeiro de 2018)
Criado por: Carrie Beck, Dave Filoni, Kiri Hart
Direção: Saul Ruiz
Roteiro: Eugene Son
Elenco: Christopher Sean, Scott Lawrence, Josh Brener, Suzie McGrath, Bobby Moynihan, Jim Rash, Donald Faison, Myrna Velasco, Lex Lang, Stephen Stanton, Mary Elizabeth McGlynn, Diedrich Bader, Rachel Butera, Oscar Isaac, Adam Driver, Gwendoline Christie, Elijah Wood, Anthony Daniels
Duração: 22 minutos.Star Wars

PEDRO CUNHA . . . Com corpo e alma de Hobbit, sou um eterno Padawan e aprendiz. Amigo dos ursos, dos elfos e das águias. Nativo de Krypton e apreciador da sétima, nona e de TODAS as artes. Quando tentado sempre rebato; "sou um Jedi, como meu pai antes de mim".