Crítica | Gotham – 5X03: Penguin, Our Hero

  • Contém spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos episódios anteriores.

A última temporada de Gotham, ainda em seu terceiro episódio, quer repensar completamente algumas noções passadas de heroísmo, ou seja, desconstruir quem são os mitos aclamados pelo povo da cidade, mas agora abandonada pelo governo. As únicas pessoas que cada um dos cidadãos de Gotham possuem para enxergar como seus salvadores são os policiais e principalmente o Capitão Gordon (Ben McKenzie). Quem é o Pinguim no meio disso tudo, senão um líder cada vez mais odiado pelos seus próprios seguidores, com sede e com fome? Como consequência disso, surge a poderosa angústia de Robin Lord Taylor, que é tão cômica para nós quanto enraivada para o personagem. O capítulo da semana explora competentemente os heróis de uma terra de ninguém, ao mesmo tempo que parece se encaminhar a um mundo em que apenas o Batman poderá ser visto como herói. Nada mais irônico que o coral do Pinguim cantando uma música que aponta o antagonista como rei daquelas pessoas, mesmo não sendo majestade.

Penguin, Our Hero mostra-se um episódio que renega os ultrapassados salvadores, transformando-os em peças de outrora. Como aponta um dos figurantes da série, em uma cena importante, todos os núcleos estão tendo debandadas de pessoas para os braços do GCPD e de James Gordon, protagonista que, aqui, expõe dois monólogos emocionados, carregados por aquele vigor que McKenzie sabe muito bem como imprimir ao personagem. Já por outro lado, o braço-direito de Oswald, durante a sua própria morte, comenta que todos odeiam o Pinguim. O roteirista do episódio, com isso, arcando com decência a responsabilidade do cargo, consegue tornar o público entristecido – às vezes, por meio da comédia – em questão desse personagem, que por fim se vê sem seguidores e sem amigos – o que encaminha a narrativa para um cerco que se conclui corretamente. Um pouco previsível até – a cena de Bullock (Donal Logue) com Barbara (Erin Richards) soa desencontrada -, contudo, a resolução possui como fim a destruição do Haven.

O desnorte de Gordon na cena conclusiva, no entanto, poderia ser mais chocante, se evidenciando como muito mais destruidor do que confuso. Mas impulsiona ainda mais um sentimento extremamente deprimente, em contrapartida às lendas do ontem, percebermos, ao término do capítulo, que o único líder que continua ileso a qualquer ataque exterior e interior é aparentemente Jeremiah – ao menos ainda. O vilão, desaparecido desde a temporada passada, é revelado estar juntando seguidores por toda Gotham, pessoas enlouquecidas que encontraram suas últimas esperanças no palhaço. Jeremiah não aparece – por outro lado, uma espécie de Arlequina dá as caras, sendo o paralelo perfeito para o garotinho que vira amigo do capitão e para o já morto secretário do Pinguim. Sua entrega ao “Coringa” é maior do que a dos dois a seus respectivos mestres. Onde que a Mulher-Gato fica no meio disso tudo? Querendo ser sua própria super-heroína, sem mais ter que se sustentar na moral de Bruce Wayne, o nosso Cavaleiro das Trevas.

Gotham – 5X03: Penguin, Our Hero (EUA, 17 de janeiro de 2019)
Showrunner: Bruno Heller
Direção:
Rob Bailey
Roteiro: 
Tze Chun
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, David Mazouz, Camren Bicondova, Erin Richards, Chris Chalk, Alex Morf
Duração: 
44 min.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.