Home TVEpisódio Crítica | Stargirl – 2X08: Summer School – Chapter Eight

Crítica | Stargirl – 2X08: Summer School – Chapter Eight

por Ritter Fan
1.274 views (a partir de agosto de 2020)

  • Há spoilers. Leiam, aqui, as críticas dos demais episódios.

Ora, ora, quem diria. Stargirl acerta mais uma vez em sua desconstrução da tão jovem e frágil nova Sociedade da Justiça, primeiro ao “quebrar” o cajado de Courtney no sexto episódio, depois ao fazer Yolanda desistir de ser Pantera no anterior e, agora, ao manipular Rick de forma que ele espancasse seu tio achando que era um Solomon Grundy assassino e parasse não prisão. Eclipso definitivamente é um vilão muito melhor do que sua aparência de cosplay de Duende Verde dava a entender e os roteiros da temporada tem conseguido tirar proveito de seus insidiosos poderes.

Mas, claro, a surpresa mesmo vem por conta de Beth Chapel, pois o roteiro de Steve Harper é afiado ao fazer duas coisas muito bem. Primeiro, ele faz com que os medos da jovem reflitam exatamente o que todo nós, espectadores, achamos dela, de uma forma ou de outra. Não, não quero dizer nada relacionado com o racismo (já abordo esse aspecto), claro, mas sim sua utilidade ao grupo, algo que começa por ela realmente não ter sido “escolhida” por ninguém, tendo entrado na equipe mais por ser enxerida e por querer pertencer a um grupo do que por qualquer outra coisa e continua com o fato inescapável de que ela, em conflitos, não passa de uma figurante fantasiada, sem oferecer muita ajuda a quem quer que seja. Ao deixar isso às claras, o texto do episódio nos faz até ficar com vergonha de termos esses sentimentos e acaba nos manipulando também.

No lado do racismo, a coisa vem quase que naturalmente, o que só faz tudo ser ainda mais maldoso, com Eclipso claramente demonstrando não exatamente ser racista, mas sim saber usar esse fardo como algo para cutucar Beth profundamente, quase fazendo-a acreditar que ela é uma marginal em razão da cor de sua pele. O uso do divórcio de seus pais para deflagrar todo o mergulho na mente da jovem foi outra ideia simples, mas muito bem executada e que justifica só ali toda a linha narrativa paralela que vínhamos acompanhando a conta-gotas em Summer School. Pontos para Geoff Johns por não dar ponto sem nó e ao deixar claro que, pelo menos no que se refere aos “ajudantes” de Courtney, Beth é a mais psicologicamente resolvida, capaz de efetivamente lutar contra a influência do vilão.

Mas toda a história envolvendo Rick é também muito eficiente, começando com a professora entregando material de faculdades, seu tio jogando tudo para o ar e dizendo que ele será preso antes de chegar a esse ponto e tudo caminhando, então, para que essa “profecia” se concretize ao final. Será interessante ver como Solomon Grundy reagirá à prisão do amigo e, mais ainda, como Rick conseguirá escapar dessa, mesmo que seu tio sobreviva (temos que aceitar que o poder da ampulheta é mixuruca aqui – é roteirismo puro, mas fechemos os olhos para não fazer de Rick um assassino…). O que fica claro, só por essa breve cena do jovem sendo levado pela polícia, é que Stargirl trata crimes cometidos por super-heróis de maneira infinitamente mais séria do que Titãs, que alegremente transforma quase todos os seus personagens em assassinos, agressores e fugitivos de penitenciária sem que haja qualquer traço de responsabilização.

A direção de Andi Armaganian conseguiu transitar bem entre thriller psicológico sombrio, com excelente uso do aterrorizante Bruce (tenho muito mais medo de Eclipso na forma do garoto do que ele como Orc rejeitado pelos amigos) e um drama envolvendo Rick que só revela sua verdadeira natureza mais para o final. Há uma boa divisão de tempo entre as duas linhas narrativas, o que estabelece um ritmo bom de acompanhar, com fotografias marcadamente diferentes para ajudar na composição visual.

Com S.T.R.I.P.E. despedaçado, a ampulheta quebrada, o uniforme de Pantera devolvido o o cajado “sem bateria”, a Sociedade da Justiça 2.0 não mais existe na prática, o que deve abrir espaço para os personagens já introduzidos na série que, mesmo a essa altura do campeonato, não retornaram. Já chegou a hora de ele darem as caras novamente para o processo de reconstrução do supergrupo comece sem que fique muito corrido.

Stargirl – 2X08: Summer School – Chapter Eight (EUA, 28 de setembro de 2021)
Showrunner: Geoff Johns
Direção: Andi Armaganian
Roteiro: Steve Harper
Elenco: Brec Bassinger, Luke Wilson, Yvette Monreal, Anjelika Washington, Cameron Gellman, Trae Romano, Meg DeLacy, Amy Smart, Hunter Sansone, Nick Tarabay, Ysa Penarejo, Joel McHale, Stella Smith, King Orba, Milo Stein, Jonathan Cake, Jim Gaffigan, Max Frantz, Christopher James Baker, Jake Austin Walker
Duração: 42 min.

Você Também pode curtir

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumimos que esteja de acordo com a prática, mas você poderá eleger não permitir esse uso. Aceito Leia Mais